InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Salamandra/ 18° Capítulo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Wilson Bernardo

avatar

Idade : 34
Cidade : Santa Isabel

MensagemAssunto: Salamandra/ 18° Capítulo   09.05.14 3:43


Salamandra


18° Capítulo
1° parte:

Navio Zenith, Externa, Noite/ Madrugada, Fundo Musical de “Victor e Léo/ Na Linha do Tempo”, O carro da policia se vai e Cesar chora desolado e lhe vem um dos pequenos momentos ao lado de Roberta em flashes em estado de sépia.

(Off)-Roberta- Amor! Quero ver Lucas, quero sair logo daqui é bom acordar e ver você aqui ao meu lado, me sinto protegida, segura nos seus abraços, me abraça preciso de carinho.

(Off)- Cesar- Te dou meu melhor abraço a do carinho a do amor a de minha vida por você mulher do meu caminho te amo muito Roberta, você vai ser mãe novamente... (risos Roberta surpresa)... Desculpa não me contive estou tão emocionado que felicidade maior eu posso querer se tenho a mulher mais perfeita no meu caminho? Corta para:
 Roberta chora desolada e estando algemada dentro do camburão da policia lhe vem imagens em flashes em estado de sépia.

(Off)- Cesar- Pode abrir amor da minha vida... (Roberta abre os olhos e se emociona com o gesto de Cesar que se aproxima de Roberta e lhe da o buque, Plano Detalhe sobre os olhares de Cesar e Roberta os lábios aproximam lentamente, beijam apaixonadamente, se perdem no amor, suas mãos unem-se em um só, distanciamento da Câmera em Zoom Out da cena de amor entre Cesar e Roberta).

Cesar senta sobre a rua movimentada madrugada todos volta do Navio, Annetta sorri olhando para Angelina na cadeira de rodas, Gerald se aproxima de Romano, Emanuelle abraçada com Gerald.

Carmela- Annetta você precisa tirar nosso sobrinho daquele chão é muita humilhação para um dia só!

Annetta- Cala esta boca sua velha acabada, eu preciso sentir este momento em que sempre sonhei de ver meu próprio sobrinho cravando as unhas em sua culpa, porque é isso que esta acontecendo agora e saibam vocês que sempre sonhei com este pior, pois eu sempre espero por isso, sempre!

Carmela- Nossa Annetta você não respeita a dor de nosso sobrinho?

Annetta- A francamente Carmela vai para o inferno com a Lucia e me deixa em paz! (Carmela fica quieta Angelina aproveita a distração de todos e segue Doutor Noronha até próximo a ancora onde foi soterrada para o Navio parar este o a espera olhando para o mar Fundo Musical de: Alberto Rosenblit/ Maldição do Mal).

Angelina- Você matou a Lucia Doutor Noronha? Você entrou naquele quarto e atirou duas vezes na maldita? (Em Três Vezes em Câmera Lenta, Doutor Noronha olha para Angelina assustado).

Doutor Noronha- Eu! Eu! ... Estava disposto a matar Lucia, disposto estava tudo muito fácil pois poucas pessoas estavam acordadas naquele momento com muito receio me aproximei de sua janela escutei a risada de Lucia e logo os disparos da arma!

Angelina- Alguém o viu naquela janela?

Doutor Noronha- (...)

Angelina- Eu perguntei se alguém o viu naquela maldita janela?
Doutor Noronha- Depois dos disparos retornei, pois era perigoso para ficar ali e na volta me deparei com a empregada da família com muito medo de e me viu bom acho que pelo fato de estar noite ela não percebeu que era eu.

Angelina- Imprestável! Na janela? Francamente Doutor Noronha! Pensei que antes médico fosse um profissional assassino! E me diz com esta cara de peixe morto que a noviça rebelde o viu na janela parecendo estar em um navio do Naufrago? Se ela o ver vai reconhecer e pode denuncia-lo.

Doutor Noronha- Receio que não, pois estava noite como ia me enxergar naquelas condições?

Angelina- Não sei não e se ela o viu, já imaginou no estrago que causaste? Você “acha”, e quem acha muito não acha nada e é este o meu ponto de vista! Você precisa ficar para não dar pistas de que você possa ser um dos suspeitos do crime... Bom! Preciso ir e bancar a boa samaritana e você Doutor tome muito cuidado com esta empregada ou pode tudo a perder, se algo acontecer comigo fique ciente que eu acabo com você. Bem! Preciso ir me esqueça até um dia. (Angelina se retira com dificuldade retira a cadeira de rodas do local Zoom In fechando em Plano Fechado sobre o rosto de Doutor Noronha que fica com ar de suspense).

2° parte:
O sol vai nascendo sobre a cidade de Gramado e tudo se torna claro e nítido.
Mansão Pellegrini, Externa, Manhã Fundo Musical de: “Revenge/ Vazio”, Plano Geral.

Cesar desperta e procura por Roberta sobre sua cama e percebe que o sol infiltra sobre a janela de seu quarto este pega o porta retrato onde estão Roberta e Cesar abraçados, este joga no chão se quebra e este chora.

Cesar- O que esta acontecendo? Meu Deus o que foi que aconteceu? Estávamos tão felizes e eu casado com uma assassina? Isso é tudo uma grande loucura e meu filho o que vou falar para ele? Que a mãe dele é simplesmente uma assassina? (Cesar e seus pensamentos de penúria são interrompidos com a chegada de Annetta que entra e abraça Cesar).

Annetta- Cesar você precisa reagir, você precisa esquecer aquela Jaca maldita e mais seu filho continua aqui.

Cesar- Tia o que eu vou falar para Lucas que a mãe dele é... É! (Chora e abraça Annetta)... Estou muito perdido hoje acordei mal, hoje estou de ressaca, mas não por causa de uma festa e sim por ser emocional, foi tudo uma traição eu estou desolado e destruído não sei como começar? Ajude-me tia, não tenho ninguém agora, não tenho ninguém... (Este abraça Annetta apertando com toda sua força esta se aproveita da situação e o conforta com seu abraço mal intencionado surge um sorriso maquiavélico).

Annetta- Você precisa ser forte, e para começar Cesar precisa apagar esta mulher de nossas vidas! Você vai tomar um banho descer para tomar café conosco e comunicar a todos mais chegados da família que Roberta Marques esta morta!

Cesar- O que?

Annetta- Isto Cesar, morta! Não vejo outra razão para toda esta tragédia, ou você vê? (Cesar hesita, Annetta fica olhando para Cesar).

Lucas olha para Cidinha e pergunta:

Lucas- Cidinha onde esta minha mãe? Ontem chegamos do Navio lembro que ela me beijou me cobriu e saiu e depois não vi mais ela.

Cidinha- Bem! É! Bem!... Olha Lucas vou para cozinha que a pia esta cheia e depois sua tia Annetta detesta ver sujeira, com
licença! (Cidinha saindo em disparate Carmela se comove com a cena).

Lucas- Tia Cacá onde minha mãe esta? Eu quero ficar com ela, quando acordamos sempre vamos à estufa molhar as plantas.

Carmela- Então Luquinha ela precisou ir ao médico de manhã é por isto que ela não esta aqui entende?

Lucas- Há entendi... Eu vou lá fora brincar com o Thor vou esperar por ela. (Lucas sai correndo).

Carmela- Lucas vem aqui espera por mim menino... Deus quanto sofrimento ter que esconder a verdade, como vamos dizer ao Lucas que sua mãe é?... Uma assassina! (Carmela segue Lucas, no quarto Zoom In em Annetta que passa a mão direita sobre o pescoço como esse fosse enforcar-se).

Cesar- Não! Não tudo é uma grande loucura, por mais difícil que seja matar um amor é pior que a morte que ver a morte e esta doendo em mim tia... (Annetta abraça Cesar este que chora).

Annetta- Você precisa reagir Cesar você tem o Lucas agora e logo outro filho e o principal a empresa da família, o que você precisa fazer é se divorciar da Jaca Podre! Olha que vergonha num dos principais jornais da cidade a Coluna Prestes destaca o crime da inocente e ingênua Roberta como maniqueísmo, olha para este jornal Cesar! (Cesar pega o jornal e rasga violentamente e Annetta sorri satisfeita com a situação).

Cesar- Eu odeio esta mulher! Odeio! Odeio! Odeio! (E cada vez que este rasga o jornal a Câmera Focando e se Mexendo as folhas do jornal caindo ao chão). Corta Para:

Delegacia de Gramado, Externo, Dia, Fundo Musical de: The Contract With Devil (Instrumental)”, Câmera Travelling.
Interno... Os oito viaturas da policia para em frente a delegacia Roberta é conduzida por dois policiais neste instante ela se encontra algemada e chora.



Delegado Orestes- Dona Roberta Marques, a senhora foi indiciada em flagrante por um crime cometido você será mantida presa em nossa delegacia até quanto não sai a seu julgamento...

Roberta- Eu não matei Lucia, eu sou inocente, eu sou inocente!

Delegado Orestes- Levem- na! (Roberta é conduzida a sela, Padilha se aproxima de Orestes).

Padilha- E esta quem é?

Delegado Orestes- É caso grande meu amigo... Esta ai é casada com um dos maiores empresário de nossa cidade.

Padilha- Nossa mais então quem é ele?

Delegado- Ela é casada com Cesar Pellegrini, família tradicional da Itália e que tem uma companhia onde fábrica peças para aviões do mundo inteiro. Corta Para:

Sela da Delegacia de Gramado, Tarde, Fundo Musical de: Ternura/ Alberto Rosenblit.
Roberta se aproxima de uma janela com grades e crava suas mãos.


 
Roberta- Deus o que esta acontecendo? Eu não matei Lucia, Deus estou tão desesperada, meu marido me odeia agora, e meu filho? Eu! As minhas ultimas recordações foram apenas um beijo e senti seu calor também, sem saber que ia passar por isso senti seu corpo estremecer de frio e o cobri.
E agora estou sozinha... (Chorando)... Sozinha para lutar, e quem vai me ajudar? Deus que dor, eu quero sair daqui, me tirem daqui, me tirem daqui eu imploro!  (Esta senta ao chão e chora desolada situação)

3° parte:
Padre Ottero se aproxima do Delegado Orestes.

Delegado Orestes- Senhor Padre que honra o senhor por aqui a sua benção. (Delegado Orestes beija a mão de Padre Ottero e este faz o sinal da cruz).

Padre Ottero- Deus te abençoe meu filho que a paz do senhor esteja com você!

Delegado Orestes- Amem seu Padre... Mas me diga o que houve? Esta havendo algum problema?

Padre Ottero- Sim!... Eu li no jornal sobre a Roberta Marques!
Delegado Orestes- Sei... Ela esta em uma de nossas selas, que crime bárbaro, não? Ela vai ficar por aqui até quando não sai seu julgamento.

Padre Ottero- Sim! Sim! Eu vim na realidade conversar com ela porque apesar de não ter provas que a inocente, mas sei e acredito que ela seja inocente! (Delegado Orestes cruza os braços).

Delegado Orestes- Então seu Padre! Não posso dizer em qual verdade ela se encontra, pois estou a favor da justiça, apenas cumpro com as formalidades da lei, mas posso sim liberar a você uma conversa com ela, me acompanhe, por favor, por aqui. (Padre Ottero acompanha Delegado Orestes Padre Ottero se comove ao ver Roberta olhando para fora através da janela com as grades).

Padre Ottero- Roberta! (Roberta sorri, Delegado Orestes abre a sela e o padre entra e abraça Roberta que chora).

Roberta- Padre eu não matei ninguém, eu não teria coragem de matar, eu! Eu! Estou desesperada e estou sozinha perante a lei dos Homens.

Padre Ottero- Mas não esta sozinha perante as leis de Deus, e eu vim em missão de paz, pois acredito em sua inocência, sei que não seria capaz de matar, vim dizer que pode contar comigo por que for preciso. (Ambos se abraçam).

Roberta- Eu fui humilhada, todos me julgam e Cesar me odeia agora Padre Ottero.

Padre Ottero- Maria Madalena ai ser apedrejada após descobrirem que ela prostituta, Jesus pediu que todos parassem com aquela situação e ressaltou, “Aquele que nunca pecou que atire a primeira pedra”? E então todos dispostos a fazer este ato pararam concisos da situação e nada fizeram, e assim como Jesus disse a Maria Madalena e vos digo Roberta... (Padre Ottero suspira um pouco cansado). Ninguém a condenou e eu também não a condenarei, e mesmo que esteja no leito das trevas a sua fé é inabalável filha. (Roberta abraça o Padre novamente).

Roberta- Não! Sabe padre, tudo se acabou, e minha fé? Não sei estou ficando fraca, eu perdi tudo, perdi meu filho, perdi minha dignidade, perdi minha sanidade, eu perdi o homem que eu amo meu marido, minha família. Nestes períodos de minha existência venho perdendo tantas coisas, o que me restou? O que sou agora?

Padre Ottero- Talvez seja hora ou um começo onde terá que deixar para traz um passado e esquecer, mesmo que lhe doa a alma, mas será capaz de se sacrificar para lutar a partir de agora em busca da sua liberdade.

Roberta- Foi tudo tão rápido e acho que estou assustada ainda, eu estou tentando entender, todos viraram as costas para mim Padre, e meu filho tão indefeso, tão agora sem mim, sem meu filho é muita dor para uma mãe eu estou arrasada, eu quero meu filho eu quero minha família de volta eu estou assustada. Corta Para:

Mansão Pellegrini, Externa/ Interna, Tarde, Fundo Musical de: James Newton Howard - Reflection Of Elijah.


Todos reunidos na sala de jantar, Cidinha serve a mesa, Gerald acende seu cigarrete, todos desconfiados Angelina olha para Carmela e para Romano esta chuta o pé deste.

Romano- Louca! Você ficou louca? Meu pé agora esta doendo.

Angelina- Pensa que não percebi que esta a olhar para aquela vadia?

Romano- Eu já disse que não estava olhando apara a Carmela, francamente Angelina.

Gerald- O que será esta reunião? Tudo acontecendo e Cesar inventando moda, inventando uma reunião.

Emanuelle- Tinha marcado no salão de fazer meu cabelo, as unhas e desmarquei, confesso que... (Angelina interrompe).

Angelina- Nossa Emanuelle que lindo este colar faz parte da sua nova coleção?

Emanuelle- Sim amada, lindo não? Confesso que amei também quando o vi na vitrine do shopping e disse ei você tem que me pertencer... (Risos) (Cesar chega acompanhado com Annetta ambos se sentam).

Cesar- Bom! Esta reunião vou tentar resumir um pouco de tudo que houve naquele maldito Navio, assim como vocês estou em choque também, e estou profundamente envergonhado, hoje não é um dia uma ocasião especial para brindar uma ocasião, hoje agora estou destruído. E baseado nestas condições é que acabei tomando algumas decisões a começar que quero que jurem perante mim que meus filhos não saberão toda a verdade referente à Roberta.

Gerald- Bom não saberão mesmo se nos der uma boa quantia per capita, quem sabe eu aceite a tal proposta. (Cesar retira um quadro de dentro de um papel de presente Câmera se Mexend
Emanuelle- Gerald quem é esta mulher no quadro?

Gerald- Nunca vi este quadro antes por aqui.

Angelina- Cesar quem é esta mulher?

Annetta- Calma Angelina! Todos vão saber quem é ela.

Carmela- Bela mulher nunca o a vi.

Romano- Estou surpreso também, quem é esta mulher no quadro Cesar?

Cesar- São muitos porquês sem respostas, assim como este crime que esta... (Hesita)... Que nos assola agora, sim este é o quadro, o quadro que ira representar em nossas vidas uma história marcada, marcada por um crime! Hoje esta mulher nasceu neste quadro e também morreu hoje! Donna é seu nome, esta é Donna minha esposa que morreu também esta será a mãe de meus filhos e a partir de hoje ela Donna ocupara seu lugar aqui nesta sala para sempre, neste mesmo lugar!


Cesar pendura o quadro de Donna sobre o pedestal da sala de jantar, Fundo Musical de: “Murder Scary Song/Bernard Herrmann”, Câmera se Mexendo, todos olhando para o quadro e Cesar ergue sua taça ao alto.

Cesar- Um brinde a minha amada e falecida esposa Donna Pellegrini! (Muito mistério neste instante, Foco em Emanuelle e Gerald, Foco em Angelina na cadeira de rodas ao lado de Romano que toma uma taça de vinho, Foco em Annetta que olha para Carmela, Annetta sorri satisfeita, Câmera em Zoom In vai de encontro a Cesar que olha a todos, com a taça no alto).

   (Encerramento com a música “Vendetta Agonizing/ Strange in He).

 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Wilson Bernardo

avatar

Idade : 34
Cidade : Santa Isabel

MensagemAssunto: Re: Salamandra/ 18° Capítulo   10.05.14 23:50

Gostaria de pedir desculpa pelo atrasos dos capítulos, mas quero que fiquem cientes que assim que der postarei os capítulos, obrigado a todos pela compreensão... 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Salamandra/ 18° Capítulo
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Web Novelas :: Salamandra-
Ir para: