InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Chuva Passageira || Capítulo 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Gibson Lima

avatar

Idade : 28
Cidade : Ampére

MensagemAssunto: Chuva Passageira || Capítulo 2   15.02.13 13:53

SEGUNDO CAPÍTULO

EM FRENTE AO COLÉGIO Marcos e Isabela se olham por alguns instantes e ambos voltam ao passado (FLASHBACK).Em outubro de 2002 o ônibus escolar para na estradinha de chão que vai para as fazendas Estrela e Verde Vale. Marcos e Isabela desembarcam, uma amiga de Isabela que fica no ônibus fala:
Amiga – Tchau Isabela.
Isabela acena com a mão.
Isabela – Tchau amiga até amanhã.
Marcos agarra Isabela que fala:
Isabela – Não. Para se alguém chega ver isso, o meu pai é capaz de te matar. Isso ta errado, você é meu primo.
Marcos - Ta errado coisa nem uma, eu já te falei que não é pecado, eu li na bíblia. Quando duas pessoas se gostam não é pecado... Ou você acha que eu te quero pra que? Eu te quero pra sempre. Eu vou te esperar no parque hoje quando cair á noite.
Marcos fala e vai embora por outra estrada de chão. Isabela grita:
Isabela – Eu não posso ir.
Marcos – Eu vou te esperar.
Quando cai a noite Isabela sai de casa enquanto os pais estão assistindo TV. No parque Marcos está esperando Isabela em frente à roda gigante, com um algodão doce nas mãos. Ela pega o doce e os dois sobem na roda:
Marcos – Eu quero que você diga uma coisa pra mim.
Isabela - dizer o que?
Marcos- Que você me ama.
Marcos não espera ela falar e sobe num ferro do brinquedo:
Isabela - O que você ta fazendo seu doido? Você vai cair
Marcos - Se você não falar que me ama e que vai ficar comigo pra sempre eu me atiro daqui.
Isabela - desce vem pra cá. A sua calça ta caindo.
O operador desliga o brinquedo e grita - Desce daí seu deficiente, esta querendo morrer?
Marcos – Fala Isabela.
Isabela - Você é louco você viu isso num filme? Eu amo você e eu quero ficar contigo sim.
Tiago - Fala mais auto, mais auto.
Isabela - Pra sempre, ta. Eu te amo, eu amo-te como se diz em Portugal. Fica aqui comigo Marcos.
Com o parquinho já vazio, Marcos e Isabela correm abraçados na chuva e num galpão abandonado Isabela olha na janela e fala:
Isabela - É passageira.
Marcos estende um pano no chão
Marcos - O que?
Isabela - A chuva é passageira.
Marcos na mão de Isabela e fala baixinho:
Marcos - vem cá... (suspiros) Ta com medo?
Isabela - Estou...
Marcos - Eu também.
Eles então tiram as roupas peça por peça, se abraçam, se beijam e deitam no chão:
Isabela - Eu nunca fiz Isso, mas eu quero muito, mas eu to com medo, mas eu quero que seja com você.
Marcos - Eu posso te contar uma coisa?
Isabela - Harã...
Marcos - Eu também nunca fiz com ninguém.
Breno, um amigo de Marcos, entra correndo no galpão:
Marcos - Breno, seu desgraçado sai daqui, agora.
Breno - Me desculpa, me desculpa, mas é que a policia ta atrás de você, Isabela.
Isabela - Aí meu Deus.
No casarão Isabela e Marcos entram na sala:
Antonio - Onde você estava?
Isabela - Pai, por favor, eu estava no parque com o Marcos.
Antonio - vai pro quarto, agora, vai. E você garoto senta aí e me espera.
Marcos – Sim senhor.
no quarto Antonio e Otávia com Isabela:
Antonio - O que, que significa isso? Este garoto aqui na minha casa você não pensa? Que futuro você vai ter ao lado dele, um moleque que só quer [...].
Isabela – Eu, amo ele pai.
Antonio - Há ama? E você sabe o que quê é isso? Vocês, dois são primos pelo amor de Deus, é um incesto.
Isabela - E o que o senhor vai fazer pai? Vai matar ele ou vai matar á mim?
Antonio - Ele só quer se aproveitar de você. Será que você não conhece essa raça?
Isabela - essa raça é a sua. Tem sangue nosso correndo nas veias dele.
Antonio - eu não quero você com ele.
Isabela grita com seu pai:
Isabela - você nunca aceitou a família dele, o tio Manoel é seu primo, por que pai? Por quê?
Antonio bate em Isabela:
Antonio - cala a boca.
Isabela - você nunca vai separar a gente... O Marcos e eu nos amamos não como você e a mamãe que pouco se olham.
Antonio grita com Isabela e passa mal, Otávia o socorre:
Antonio - volta aqui, Isabela.
Otávia - Antonio, Antonio.
Isabela corre pra rua atrás de Marcos que esta indo embora:
Isabela - Marcos, não faz isso comigo. Não foi você que falou que os meus pais não importam?
Marcos - Eu to confuso, Isabela. Eu quero ir embora.
Isabela - não me deixa, eu amo você.
Marcos - eu não sei, eu não sei.
Isabela grita e bate em Marcos.
Isabela – Então some, vai embora você não merece alguém que te ama. Vai some daqui.
Depois de levar muitos tapas Marcos sai correndo da frente de Isabela.
No dia seguinte Isabela acorda com o barulho de um carro e corre olhar na janela.
Em seguida chega na fazenda verde vale e fala com Breno que está tirando leite:
Isabela - Breno eu quero falar com o Marcos.
Breno - Ele foi entregar o leite em Morro Doce.
Isabela - Eu to indo embora fala pra ele que eu o amo, Breno.
Isabela entrega um papel pra ele e diz:
Isabela - esse aqui é o endereço de São Paulo, é a casa da minha tia.
Isabela o abraça e vai embora:
Isabela - tchau!
Breno - Vai com Deus.
Quando Marcos volta para casa Breno diz:
Breno - Marcos corre a Isabela está indo embora.
Marcos - como assim?
Breno - vai Marcos, ela ta indo embora pra São Paulo, corre.
No carro, Isabela chora e José pai de Gilmar diz:
José - O que aconteceu?
Isabela - Nada seu José,isso passa.
EM SÃO PAULO
A empregada de Dova tia de Isabela vai até o portão pegar a correspondência e em seguida entrega para a patroa que esta lendo o jornal, ao olhar a correspondência pega uma carta de
Marcos para Isabela e diz:
Dova – Mais uma. Em um ano todos os dias chegaram cartas para Isabela.
Marcos atira pedrinhas no rio e fala a si mesmo:
Tiago – Hoje eu escrevi a última carta de 365 e você não me respondeu nem uma. Chega de esperar você não vai me responder, você não vai voltar. Eu vou te arrancar do peito pra sempre nem que doa muito.
EM SÃO PAULO Isabela Tira fotos com as colegas do curso de Sociologia é sua formatura. seus pais sentados á uma mesa falam da filha:
Otávia – Como nossa filha esta linda e feliz Antonio.
Antonio – Esta é a filha que você sempre quis ter. A filha que nós sempre quisemos ter.
Joaquim se aproxima de Isabela e meio tímido fala:
Joaquim – Me concede o prazer dessa dança moca?
Isabela sorri e os dois começam a dançar.
E as pedrinhas caem na água uma após a outra sempre no mesmo lugar.

FIM DO FLASHBACK
Isabela fica olhando para Marcos que desvia o olhar e entra no carro. Isabela não ouve que Brenda esta a chama – lá:
Brenda – Isabela, Isabela, Isabela vem.
Marcos liga o carro e sai sem olhar de novo para a prima novamente.
Isabela fala a Brenda e entra no carro:
Isabela – Me desculpa, mas eu não vou entrar.
Brenda – Mas por quê não? Isabela espera.
Isabela entra correndo no CASARÃO e sua mãe diz:
Otávia – Vem filha tomar café com a gente.
Isabela – Eu to sem fome agora.
Otávia – Aconteceu alguma coisa filha?
Isabela – Talvez eu não devesse ter voltado.
EM SÃO PAULO Julia arruma a gravata do marido Pedro em frente ao espelho do quarto:
Julia – Pronto, impecável.
Pedro abraça Julia por trás que se olha no espelho e fala:
Julia – O que seria de você se eu não existisse?
Pedro – Eu nunca imaginei isso. Você não existir.
Pedro pega a maleta de trabalho e senta na cama para conferir a papelada para ir para a Faculdade:
Pedro – E Joaquim? Será que está melhor?
Julia colocando os brincos:
Julia – Joaquim é um bobo Isabela jamais deixará dele, ela o ama demais.
Pedro – É, mas ela voltou pra casa dos pais.
Julia – Isabela viajou pra casa dos pais apenas para dar um susto no Joaquim que eu acho merecido. A Isabela não é louca de largar as aulas na faculdade ainda mais agora que ela esta preste a ganhar a coordenação do curso de Sociologia.
Pedro – Mas afinal o que o Joaquim fez que provocou essa briga?
Julia – Meu Filho é muito bonito.
Julia pega o colar conjunto dos brincos. Pedro coloca em seu pescoço:
Julia – Mexe com as mulheres a Isabela é só um pouco ciumenta é isso. Seu filho é muito bonito Pedro, muito bonito.
Jussara buzina para o irmão que entra no carro calmamente (parecendo estar gripado):
Jussara – Vamos logo ou vamos nos atrasar:
Jussara – Você ta mal meu irmão.
Joaquim – Uma gripe.
Jussara - Uma gripe e uma saudade da namorada. Liga não, daqui uns dias ela ta aí de volta.
Jussara liga o carro e os dois vão para a faculdade.
Tereza Justiniano a dona da faculdade esta em sua sala conversando com o detetive que procura seus filhos gêmeos desaparecidos á 17 anos:
Tereza – Mais uma informação errada?!
Carlos – Mais uma de muitas. Tereza será que já não procuramos demais, será que já não é hora de...
Tereza – Não diga isso Carlos eu não vou desistir nunca de encontrar os meus filhos, os meus gêmeos. Os gêmeos que foram roubados de mim.
Johnatan e Diego os gêmeos (Gêmeos não idênticos) estão sentados á mesa e Fátima mãe adotiva dos meninos serve o café de Jhonatan:
Johnatan – Obrigado mãe.
Diego – Esse Café ta Horrível.
Fátima – Ta sem açúcar meu filho?
Johnatan – O café ta ótimo mãe é o melhor café do mundo é esse seu filho que não sabe agradecer nunca á Deus pelo que a gente tem.
Diego – Falou o anjo da guarda. Eu vou pra aula. Lá o lanche é bem melhor que a comida aqui de casa.
Diego levanta da mesa pega a mochila e sai. Fátima senta á mesa com Johnatan e fala:
Fátima – Eu não sei mais o que fazer o seu irmão ta tão diferente. Se eu pudesse dar uma vida melhor pra vocês.
Johnatan – Não fica assim mãe nós não somos pobre nós temos a riqueza que Deus quis que nós tivéssemos.
Na fazenda estrela Sebastião termina de selar o cavalo que Antonio dará a Isabela. Gilmar esta na cerca olhando, Antonio chega e diz:
Antonio – E como esta o bichinho Bastião?
Sebastião – Ta domado patrão. A dona Isabela pode montar agora mesmo se quiser.
Antonio sorri e passa a mão no cavalo.
Antonio – Nós precisamos agora dar um nome a ele.
Isabela – Eu dou um nome a ele - Diz Isabela já pronta para montar.
Gilmar olha para Isabela dos pés á cabeça e ela fala á seu pai:
Isabela – O nome dele vai ser Chocolate tem cor de chocolate - olhando para Gilmar fala:
Isabela – E então senhor administrador será que você tem um cavalo páreo pro Chocolate pra gente sair por essas terras?
No Colégio Castelo Branco Marcos espera por Jéssica uma garota de 17 anos com quem ele tem um romance. Quando Jéssica sai os dois ficam se olhando por instantes.
Isabela e Gilmar andam á cavalo pelas terras da fazenda:
Isabela – Nossa fazia tanto tempo que eu não andava á cavalo, to toda doída.
Gilmar – E eu que pensei que a senhorita não soubesse montar. Mas a gente pode descer na sombra daquela árvore lá.
Isabela – Acho ótimo.
Gilmar – Você se lembra quando éramos crianças a gente corria por todas essas terras aí?A senhorita era uma menininha ainda eu já era um moleque.
Isabela – Eu me lembro de tudo como se fosse ontem Gilmar.
Gilmar desce do Cavalo e se aproxima de chocolate e fala a Isabela:
Gilmar – Quer ajuda pra descer.
Isabela – Ai quero sim. Obrigada.
Gilmar da os braços para Isabela que desce do cavalo. Já pisando no chão os dois se encaram:
Isabela - Não precisa me chamar de senhorita.

Joaquim passa pela sala e da um susto em Julia que está deitada no sofá:
Julia – Onde é que você?
Joaquim olha para sua mãe e fala:
Joaquim – Eu vou lá naquela cidadezinha, eu vou buscar a minha mulher Julia.


FIM

NO PRÓXIMO CAPÍTULO

Gilmar começa a jogar charme pra cima de Isabela, Marcos desabafa com Jéssica e Joaquim chega em Morro Doce.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Chuva Passageira || Capítulo 2
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Webs Encerradas :: Canceladas :: Chuva Passageira-
Ir para: