InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Vidas Vazias || Capítulo 12

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Eduardo Lobo

avatar

Idade : 19
Cidade : Redenção

MensagemAssunto: Vidas Vazias || Capítulo 12   10.06.14 20:47




Vidas Vazias



Alberto, assustado olha para Lívia.

Alberto- Eu não fiz nada!

Lívia- Como você tem coragem de mentir?! Eu fui atrás de você, depois do detetive ter me falado que tinha descoberto sua tradição, eu fui atrás de você e você me agrediu. Agora diz na minha cara que e mentira!

Minerva- Não... Não posso acreditar que meu neto seja capaz de fazer isso!

Alberto- Mentira dessa "vadia", mentirosa!

Rômulo- Ela não ia fazer isso, contra ela. Ela não e baixo nível.

Alberto- Fala a verdade, sua mentirosa!

Lívia se vira para a família, ficando de costa para Alberto.

Lívia- Eu, não ia me bater sozinha. Eu sei que ele e teu filho, mas, ele está mentindo. Quando eu fui tirar satisfação da traição, ele e aquela "vaca" da Elena, me deram uma surrar!

Ela se vira para Alberto.

Vilma- Confessa que você fez isso, logo.

Alberto- A única "vaca" que eu vejo aqui e você Lívia!

Lívia se aproxima de Alberto.

Lívia- Eu te perdôo, mesmo que você não reconheça o seu erro. Eu te perdôo.

Alberto olha fundo nos olhos dela.

Alberto- Me paga, sua desgraçada!

Alberto empurra no sofá, sobe em cima dela e começa enforcada ela com todo seu ódio. Rapidamente todos gritam e puxa o braço dele.

Todos- Solta ela!

Rômulo segura ele e consegue tirá-lo de cima de Lívia. Lívia coloca a mão no pescoço e grita:

Lívia- Estão vendo, como ele me trata?!

Alberto se livra de Rômulo.

Alberto- Que saber?! Eu vou sair daqui, antes que eu mate essa "lacraia"!

Sobe as escadas, sem dizer mais nada.

Miguel e Rebeca, sai da sala do cinema e vai para a frente do mesmo. Miguel olha para Rebeca, com um leve sorriso no rosto, pergunta:

Miguel- Vamos a uma lanchonete?

Marina- Não sei...

Miguel- Vai ser rápido.

Marina- Esta bem, eu vou.

Marina e Miguel, comem numa mesa de uma lanchonete.

Marina- Eu olho para seu rosto, e, parece que eu já vi você, em algum lugar. Você já apareceu na televisão?

Miguel- Já, me envolvi em um acidente e inevitavelmente apareci na televisão. Bem... Mas agora e minha vez de pergunta.

Marina dar um leve sorriso tímido, colocando uma mecha de cabelo solto no seu rosto, para atrás da orelhas.

Marina- O que você gostaria de me perguntar?

Miguel- O que você gosta de fazer?

Marina- Eu gosto de corre as tardes, quando eu estou de folga do trabalho. Me ajuda a relaxar. Fora isso eu não tenho nem um tipo de laser.

Eles continuam a conversa, com sorriso no rosto.

Elena abre a porta do seu apartamento e entra segurando suas malas, da uma passos e ver Vens, sentado no sofá, assistindo. Ela para e o olha, estranhando sua atitude incomum, pergunta:

Elena- Não vai fazer perguntas?

Vens- Pra quer? Você nunca me responde.

Elena- Você só fica assim quando... Você arranjou um bofe?!

Vens- Não e um bofe. É, o bofe!

Elena larga as malas no chão e senta no lado de Vens.

Elena- E qual e o nome dele?

Vens- Sonhei com esse dia!

Elena- Que dia?

Vens- O dia que finalmente te darei o troco. O dia que finalmente vou falar... Não te interessa!

Os dias começam a passar. Alberto evita falar com a família. Elena e Alberto, se encontram diariamente. Miriam faz uma plástica para tira as cicatrizes do rosto. Miguel e Marina continuam a se encontra, ficam cada vez mais íntimos. Hugo e Vens continuam tendo encontros noturnos. Rebeca e Ricardo se encontram, se beijão.

Dias depois...

Convidados, fotógrafos, garson todos no evento para uma instituição de dependente químico, promovido por Vilma, no seu belo jardim de casa. Vilma anda com seu belo vestido vermelho, com uma taça de champanhe na mão, cumprimentando convidados com seu belo sorriso falso. Vilma passa pelas cadeiras brancas que estão alinhada em frente au palanque que está armado em seu jardim, de frente para a bela e grande piscina. Vilma sobe com os olhares atentos das pessoas e Rômulo que está lá em cima, ajuda a mulher subir. Ela se posiciona em frente au microfone e começa a fala:

Vilma- Primeiramente, Boa tarde! Quando eu pensei neste evento para ajudar os dependentes químicos, não queria apenas um leilão, onde todos ficassem sentados, dando lances. Então fiz essa festa antes do leilão. Eu também agradeço, todos aqueles que compareceram em nome dessa nobre ação social. Divirtão-se!

Ela, com sua elegância, se afasta e desse do palanque, olha os convidados conversando e acaba avistando Elena, mais Alberto. Vilma para Dalva, uma das empregada da casa, que passava com uma bandeja servindo os convidados.

Vilma- Me trás uma taça de vinho, para mim.

Dalva- Sim, senhora!

Dalva sai, em instantes volta com a taça. Vilma pega a taça e vai em direção a Elena e Alberto.

Vilma- Oi!

Elena- Oi!

Alberto- Não venha casar confusão, mãe.

Vilma- Mas, eu só vim cumprimentar vocês.

Alberto- "Acredito".

Vilma- Já que minha presença incomoda eu saio.

Vilma vai passar por Elena e acaba esbarrando em Elena, derrubando toda a taça de vinho no vestido branco dela.

Vilma- Aí meu Deus! Me desculpa!

Elena- Isso foi de propósito!

Alberto- Você está louca! Você fez de propósito!

Vilma- Eu juro que não foi! Tanto que eu empresto outro vestido para você. Vamos até meu quarto, que eu tenho um vestido que vai dar muito bem em você.

Alberto- Eu vou também.

Vilma- Não precisa. Agorinha eu a devolvo.

Vilma e Elena entram no quarto Vilma tranca a porta e tira a chave, olha para Elena e Elena olha para ela assustada.

Elena- O que você está fazendo?!

Vilma- Só quero ter uma conversinha com você.

Elena- Não tenho nada para conversa com você! Agora abra essa porta que eu vou sair e ir em bora.

Vilma- O que você quer? Porque está se envolvendo com meu filho?!

Elena- Eu gosto do seu filho.

Vilma- Não tente me enganar. Você tem algum interesse.

Elena- Eu não tenho nem um interesse! Agora dar licença!

Vilma- Você e uma cadela mentirosa!

Vilma se aproxima dela e dá-lhe um tapa. Elena leva a mão au rosto, onde vilma bateu. Elena olha firme para Vilma e tem um flash back.

Elena está limpando a cozinha quando Vilma chega com uma taça de vinho na mão.

Vilma- Você acha que eu vou deixar você dá um golpe no meu filho?

Elena- Eu não tou dando um golpe no seu filho.

Vilma deixa a taça cair no chão, espalhando todo o vinho com cacos de vidro. Vilma a olha e com um tom arrogante, diz:

Vilma- Limpe... Pegue um pano se abaixe e limpe! Anda! O que está esperando?

Elena o olha, tentando controlar sua raiva, ela se vira, deixa as lágrimas escaparem de seus olhos, pega um pano e se vira e começa a limpar. Vilma a olha com um sorriso maldoso na cara.

Depois do flash back, Elena continua a olhar Vilma, com vontade de jogá-la pela janela. Vilma, ar de superior.

Vilma- Era só isso. Cadela!

Passa por ela e vai em direção a porta. Elena, não consegue aguentar a fúria, se aproxima dela, que está de costa, abrindo a porta e com toda sua força rasga o vestido dela. Elena, depois de rasga o vestido dela pega ela e joga no chão.

Elena- A única cadela que eu vejo aqui e você! Cadela!

A cena e congelada no rosto, furioso, de Elena...



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Vidas Vazias || Capítulo 12
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Webs Encerradas :: Canceladas :: Vidas Vazias-
Ir para: