InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Realeza || Capítulo 32

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Rodrigomes
Gold
avatar

Idade : 18
Cidade : São Paulo

MensagemAssunto: Realeza || Capítulo 32   06.01.15 21:32

TRIGÉSIMO SEGUNDO CAPÍTULO





Cena 1- Mansão Sales Couto de Sá- Dia.
Daniele chantageia Roberto, que a deixa ficar em sua casa. Simone se revolta, Antonella também. 
 
Roberto: Do que você está falando, garota? Saia da minha casa imediatamente. – Ele fala visivelmente irritado.
Daniele: Não me trate assim papai. Apesar de você ter me deixado para traz, eu te amo. – Ela é falsa. – Abra o portão, e me acolha em sua casa. Antes que eu vá à justiça, e te force a pagar por todos esses anos que você não pagou a minha pensão. – Ela ameaça.
Roberto: Você está me ameaçando? Sua víbora mirim. – Ele tenta ser forte, mas acaba fraquejando. – Tudo bem. Deixe-a entrar. – Ele diz aos seguranças.
Simone: Eu não acredito que você vai abrigar essa menina em nossa casa. – Ela se revolta. – Já não bastou ter me traído? Pelo amor de Deus, eu não irei aguentar isso.
Daniele: Contente-se senhora. Esta casa é dele, não sua. – Ela sorri, jogando suas malas no jardim. – Depois eu peço para algum serviçal vim buscá-las.
Simone: Você acha que só porque é filha do Roberto, pode mandar e desmandar aqui dentro? Essa casa também é minha, queridinha. Eu sou casada com ele.
Antonella: Que gritaria é...? – Ela fica perplexa ao ver Daniele. – O que essa lambisgoia está fazendo em nossa casa?
Simone: O seu pai resolveu trazer a filhinha dele para casa. – Ela comenta venenosa. – Estou farta com tudo isso. Para mim chega. – Ela sai correndo para dentro de casa.
Antonella: Por que você está fazendo isso com a gente, pai? Você sabe, nós não gostamos dessa garota. Ela não é bem vinda.
Roberto: Antonella, eu não tive escolha...
Antonella: Poupe-me de suas desculpas esfarrapadas. – Ela também corre para dentro de casa.
Daniele: Que família histérica o senhor tem. – Ela comenta ao se aproximar de Roberto. – Acho que sou a exceção. – Ela entra para casa, sorrindo.
Roberto: Que desgraça. Como isso foi acontecer comigo? – Ele se pergunta cheio de raiva. – Maria Letícia, se aquela vagabunda não tivesse dado com a língua nos dentes. Nada disso estaria acontecendo.    
 
Cena 2- Clube Realeza- Tarde.
Maria Letícia e Celso pegam o dinheiro da campanha. Célia os vê.
 
Maria Letícia: E não é que este dinheiro veio a calhar? – Ela fala com uma mala em mãos. – Se eu não fosse muito esperta, estaríamos ferrados agora.
Celso: Tenho que concordar com você. E melhor ainda: o corno velho ainda não veio ao clube para impedir a nossa entrada.
Maria Letícia: O baque deve ter sido tão grande, que ele vai ficar um bom tempo sem levantar da cama. – Ela dá uma gargalha. – Mas, e a Clotilde hein? O que nós fazemos com aquela vaca?
Celso: Para quem matou o filho, matar a prima vai ser fichinha. – Ele sorri para ela, que não gosta do que ele diz.
Maria Letícia: Por favor, não fique comentando isso. Já passou, vamos esquecer. – Ela caminha olhando para Celso, e acaba esbarrando em Célia.
Célia: Maria Letícia? Celso? O que vocês estão fazendo aqui? – Ela estranha. – Alberto ainda não proibiu a entrada de vocês aqui?
Maria Letícia: Pare de ser enxerida, Célia. E se o meu marido tiver se reconciliado comigo?
Célia: Duvido muito. – Ela ri da cara de Maria Letícia. – Só se ele gostar de ser corno. – Ela percebe que ficou com a revista de Luciana. – Ah! Gostou da nova coluna que saiu sobre você? – Célia mostra a revista a ela.
Maria Letícia: O que é isso? – Ela dá a mala para Celso, e lê o que tem na revista. – Desgraçados. – Ela se enraivece, e rasga a revista todinha. – Você gosta de brincar com fogo, não é sua cobra?
Célia: Esqueceu que somos da mesma espécie? – Ela pensa bem. – Quer dizer, éramos até ontem. Porque agora eu não vou me comparar com uma prostituta. – Ela sai elegantemente.
Maria Letícia: Vagabunda, desgraçada. – Ela olha para Celso, que está rindo. – Do que você está rindo seu paspalho?
Celso: Você fica tão bonitinha com raiva. Chega a ser engraçado.      
 
Cena 3- Cobertura de Marisa- Tarde.
Melissa chega em casa, e conta a mãe sobre o caso de Rodolfo. As duas falam que se decepcionaram com Celso.
 
Marisa: Finalmente você chegou, nem vi quando você saiu.
Melissa: Eu precisava estar cedo na delegacia.
Marisa: Outra vez esse assunto, filha?
Melissa: Eu não vou parar enquanto não descobrir toda a verdade. Eu fui pedir um requerimento, para que o inquérito sobre o caso de Rodolfo seja reaberto.
Marisa: E o que você quer com isso, Melissa?
Melissa: Se realmente Rodolfo foi vitima de um roubo seguido de morte, a justiça terá que achar quem o matou. E se não foi, também terão que descobrir o culpado.
Marisa: Estou com a cabeça tão cheia que nem vou conversar melhor com você sobre isso. Aliás, estou muito decepcionada com o Celso. Ele enganou não só o seu tio, como a nós também.
Melissa: Pena que não conseguimos falar umas boas verdades na cara dele. Mas, confesso que também fiquei bastante chateada com isso tudo.
 
Cena 4- Delegacia- Tarde.
Alberto e Maria Luiza pedem para que Rogério averigue se o carro que encontraram, é o de Marcelo.
 
Maria Luiza: Seu delegado. Nós fomos até o local que ele sempre ia quando estava magoado. Quando chegamos lá, aparentemente, não tinha nada. Mas, acabamos vendo que tinha destroços de um carro, lá em baixo.
Alberto: E pelo que conseguimos ver. Era um carro prata, assim como o do Marcelo.
Rogério: Faremos tudo que estiver ao nosso alcance, para descobrirmos se foi mesmo o carro do seu irmão que caiu do penhasco. Vocês saberiam me dizer o número da placa do veículo?
Alberto: Fui eu quem deu o carro para ele. Era meu até então. Vou te passar o número da placa. – Rogério pega um bloquinho, e uma caneta. Anota o que Alberto lhe fala, e guarda em seu bolso.
Rogério: Assim que tiver informações sobre o caso, eu os contato. – Eles se despedem. Na saída, Maria Luiza acaba passando mal.
Alberto: O que foi minha filha? – Ele pergunta a segurando em seus braços. – Maria Luiza? Fala alguma coisa filha.
Maria Luiza: Eu senti uma fraqueza. – Ela está quase desmaiada. – Me leva para algum hospital, eu não estou bem. – Alberto a coloca no carro, com a ajuda de Nelson.
Nelson: O que está acontecendo com a dona Maria Luiza, patrão? – Ele pergunta aflito.
Alberto: Eu também não sei. – Os dois também entram no carro. – Acelera, vamos para o hospital. Antes que seja tarde demais.
 
Cena 5- Mansão Corte Real- Tarde.
Regina conta a Jonathan sobre a conversa que teve com Maria Letícia.
 
Regina: Agora que a megera se foi. Eu posso, e tenho, que te contar toda a verdade.
Jonathan: Que toda verdade mamãe? – Pierre escuta a conversa dos dois.
Regina: Maria Letícia pediu para que eu separasse você e Maria Luiza. – Ela revela, e ele fica surpreso. – E foi por isso que inventei uma gravidez para a garota, pois eu sabia que você detesta crianças.
Jonathan: Criança pequena chora demais. – Ele faz cara feia. – Dá até dor nos ouvidos, só de falar. Enfim, então a senhora mentiu para mim? A mando daquela cobra.
Regina: Aproveitei que Maria Luiza havia passado mal, para então inventar aquilo.
Jonathan: Você mentiu. Mas, ela pode mesmo estar grávida. Não ia vomitar por nada, não é mesmo?
Regina: Quanto a isso você tem razão. Porém, eu não sei se é isso mesmo. A menina não quis passar no médico.
Pierre: Se “Madame” descobre que a filha pode estar grávida... de você. Ela não gostará nada, nada. – Ele surge, surpreendendo Jonathan e Regina.
Regina: Que coisa feia, Pierre. Escutando a nossa conversa por traz das paredes. – Ela balança a cabeça negativamente. – Ainda tem a cara de pau de dizer que é fino.
Jonathan: Você não viu o que aconteceu ontem com a sua “Madame”? Ela não tem mais moral para proibir a filha de nada.
Pierre: Eu só gostaria de saber quem foi a desgraçada que fez aquilo com a minha “Madame”. – Ele comenta com raiva. – Essa pessoa se meteu com a rainha errada.
 
Cena 6- Clube Realeza- Tarde.
Daniele aparece no clube, acompanhada de Roberto. Frederico fica de olho nela, e resolve ir até a moça.
 
Daniele: Que bom saber que estamos nos dando bem. – Ela fala sínica. – Pensei que você não me aceitaria numa boa, mas me enganei. – Ela sorri.
Roberto: Larga a mão de ser sínica, garota. – Ele não está com uma cara muito boa. – Por que você quis vir até aqui?
Daniele: Sei lá. Gosto tanto deste lugar, e o melhor é que a família Corte Real anda em peso por aqui.
Roberto: Claro, eles são donos disto aqui. Ah! Já entendi. Você quer mostrar para o Marcelo que agora é rica. Está pensando que ele vai reconciliar com você quando descobrir isso? – Ele ri da cara dela. – Pois tire o seu cavalinho da chuva. O Marcelo não se importa com o dinheiro, quem gosta disso é Maria Letícia. E além do mais, ele já é comprometido com a minha filha Antonella.
Daniele: Era comprometido com ela, não é mais. Você sabe muito bem que era comigo que ele estava.
Roberto: Até descobrir quem você realmente é. – Frederico se aproxima dos dois.
Frederico: Olá, tudo bem? – Eles o respondem. – Impressão minha, ou você está mais bela? – Ele pega carinhosamente a mão dela, e beija.
Daniele: São os seus olhos – Ela diz meiga. – Eu me lembro de você. Não é aquele rapaz que Marcelo não vai muito com a cara?... Frederico, se não me engano.
Frederico: Fred, para você. – Ele sorri.
 
Cena 7- Casa de Maria José- Tarde.
Maria José se lamenta com Michele por ter ajudado Daniele.
 
Michele: Nossa! Eu nunca imaginaria que a Dani fosse desse jeito, José. Desde quando a conheço, nunca ela se quer levantou a voz para você.
Maria José: Para você vê como as aparências enganam. – Ela faz uma pausa. – Ela deixou bem claro que fingia gostar de mim, só porque eu era a única família dela. E ainda por cima, assumiu que tem vergonha de mim por eu ser travesti.
Michele: E pensar que você cuidou dela como se fosse a sua filha. – Ela a abraça. – Nem acredito que ela foi capaz de fazer isso contigo.
Maria José: Se arrependimento matasse Michele. – Ela começa a chorar. – Eu já estaria morta. Pois, eu humilhei aquela mulher. E fiz isso pela Daniele. Porém, ela me agradeceu da forma mais cruel possível.
Michele: Foi muito injusto o que ela fez com você. – Ela abraça Maria José cada vez mais forte.
Maria José: Obrigada, Michele. Muito obrigada por me estar dando forças. – Ela a beija na bochecha. – Será que a tirana conseguiu o que queria? O pai dela a aceitou na casa dele?
Michele: Pelo visto sim. Mas, não vamos ficar falando nela. Ela só te traz tristezas.
Maria José: E o pior é que... eu ainda amo aquela maldita. Não consigo ter raiva dela. – Ela começa a chorar mais.  
 
Cena 8- Apartamento de Celso- Tarde.
Clotilde chega de mala e cuia, pedindo abrigo para Maria Letícia e Celso.
 
Maria Letícia: Estamos ricos, Celso. Ricos. – Ela joga algumas notas de dinheiro para o alto. – De fome nós não morreremos. – Ela sorri.
Celso: Mas, dinheiro não é eterno. – A campainha toca. – Temos que pensar em algum investimento que possa nos trazer lucros.
Maria Letícia: Deixa-me pegar esse dinheiro daqui. Depois conversamos sobre isso. – A campainha toca mais uma vez. Maria Letícia termina de recolher o dinheiro do chão. – Pronto, pode abrir.
Celso: Já vai. – Ele abre, e dá de cara com Clotilde.
Clotilde: Desculpem-me o incomodo, mas... eu não tenho para onde ir. – Ela entra sorrindo, com malas nas mãos. – Por isso, eu voltei. E pretendo passar um tempinho aqui com vocês, até que minha priminha me dê o dinheiro que eu necessito.
Maria Letícia: Não pense que você irá conseguir me intimidar, Clotilde. – Ela esbraveja, e se aproxima da moça. – Você já deu o que tinha de dar.
Clotilde: Abaixa a sua crista. – Ela aponta o dedo na cara de Maria Letícia. – E não fique me desafiando, pois eu posso muito bem ir até a polícia agora mesmo.
Maria Letícia: Você quer ir? Então vai. Vai. Eu quero ver se você é mesmo tão corajosa. Se eu cair queridinha, não haverá ninguém no mundo para te bancar... você morrerá de fome.
Clotilde: Eu tenho os meus truques. Não me subestime. – Ela se senta, e cruza as pernas. – Além do mais, as pessoas vão adorar saber que a “vossa rainha” matou o próprio pai. Acho que vou mesmo até a polícia. – Ela se levanta. – Cansei dessas ameaças que não me trazem resultado algum. Já que você não quer me pagar, então pague a polícia pelo crime que cometeu.
Maria Letícia: Não. – Ela grita. – Tudo bem. Eu te dou esse maldito dinheiro. – Clotilde se vira para ela, satisfeita. Ela abre a mala. E pega a quantia que a mulher havia lhe pedido anteriormente. – Aqui está.
Clotilde: E dizendo que não tinha um vintém. – Ela sorri. – Enfim. Irei comprar a minha passagem pela internet, tem algum computador por aqui?
Celso: Há um notebook lá no meu quarto. – Ela vai correndo. – Não acredito que você entregou um milhão de mão beijada para aquela chantagista. – Ele comenta contrariado.
Maria Letícia: Não se preocupe. Clotilde não irá para Paris como ela pensa. A vadia vai encontrar passagem somente para daqui uma semana, tenho certeza. – Ela prevê. – Nesse meio tempo, eu posso fazer tanta coisa.
Celso: Essa é a Maria Letícia que eu conheço. – Ele a beija.
 
Cena 9- Apartamento de Leonardo- Tarde.
Cléber e Leonardo conversam.
 
Leonardo: Ai amigo. O Frederico é tudo de bom, não é? – Eles estão sentados, tomando suco. – Eu já havia visto ele antes, mas não tinha reparado tanto na beleza dele.
Cléber: Ele é um gato. Um boy magia que tira o fôlego de qualquer um. – Ele diz se abanando.
Leonardo: É, mas se tudo der certo, ele será meu. Ouviu? – Ele brinca, simulando ciúme.
Cléber: Ih, até parece que não me conhece. – Ele sorri. – Não sou fura olho não.
Leonardo: Eu sei que você não é fura olho. E também confio muito em você. – Ele o abraça. – Você é meu melhor amigo, sabia?
Cléber: Sabia. Aliás, mudando completamente de assunto, você não vai ligar para sua mãe? Para dizer como você está.
Leonardo: Ela já tentou me ligar. Hoje quando acordei, havia três ligações perdidas dela. – Ele bebe um pouco de seu suco. – Mais logo eu ligarei para ela.
Cléber: Já o seu pai... não merece o filho que tem. – Ele fala com desprezo. – Ainda não consigo acreditar que ele te expulsou de casa.
Leonardo: Enquanto você não consegue acreditar, eu não consigo esquecer. – Ele mostra um hematoma em seu braço. – Olhe só o que ele fez.
Cléber: Ele é um covarde. Por que você não o denuncia? – Leonardo fica pensativo por alguns segundos, e o silêncio paira no local.
Leonardo: É isso. Eu vou denunciar o meu pai. – Ele fala com ódio.
 
Cena 10- Hospital- Noite.
O médico vai falar com Alberto sobre o estado de Maria Luiza.
 
Médico: Alberto Corte Real, é o senhor? – Alberto faz quem sim com a cabeça. – Venho lhe trazer informações sobre a sua filha.
Alberto: Ai, meu Senhor amado. – Ele fala aflito. – Pode falar doutor, sem rodeios. Seja sincero comigo. O que está acontecendo com Maria Luiza? – Ele faz uma pausa, está desesperado. – Não é a primeira vez que ela passa mal. Ontem mesmo ela saiu vomitando a casa, depois sentiu uma febre infernal. Agora isso.
Nelson: Tenha calma seu Alberto. – Ele tenta conter o patrão. – Prossiga doutor.
Médico: Descobrimos que a paciente se encontra com uma doença grave. – Alberto senta na cadeira, boquiaberto.
 

CONTINUA...




....................................................................................
Rodrigomes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Wagner Nascha
Gold
avatar

Idade : 20
Cidade : Formosa do Rio Preto

MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 32   07.01.15 13:47

Que doença é essa que a Maria Luiza tem gente Surprised coitada dela Sad
Leonardo está mesmo xonado no Fred, será que vem desilusão por aí??
Frederico por sua vez já foi jogar charme pra Biscatiele.
Maria Letícia sempre aprontando...
Que venha mais Realeza king Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://webficção.forumeiros.com
Rodrigomes
Gold
avatar

Idade : 18
Cidade : São Paulo

MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 32   07.01.15 21:47

Wagner Nascha escreveu:
Que doença é essa que a Maria Luiza tem gente Surprised coitada dela Sad
Leonardo está mesmo xonado no Fred, será que vem desilusão por aí??
Frederico por sua vez já foi jogar charme pra Biscatiele.
Maria Letícia sempre aprontando...
Que venha mais Realeza king Very Happy

Não se preocupe... essa doença tem cura hehe!
Realmente, Leo está mesmo gamado no Fred... mas será que há amor vindo de ambos? Ou somente de um só?
Pois é, Frederico só pensa em dinheiro (Tudo por culpa da mãe, que fica pressionando o coitado).
Maria Letícia não sabe ficar parada... sempre tem que estar aprontado alguma kk
Obrigado por comentar, Wagner Very Happy

....................................................................................
Rodrigomes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Victor Morais
Gold
avatar

Idade : 20
Cidade : São Bernardo do Campo

MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 32   08.01.15 21:18

Não creio que Maria Luiza está doente, coitada Sad Só sei que o Léo faz bem em denunciar o pai, e nem sabe que o Fred já está cantando a Daniele. Aliás, ainda não superei a maldade dela. Coitada da Maria José Sad Sinto que Clotilde corre muito perigo morando com a assassina e seu marido!
Maria Letícia matou o pai? Anna Maria Dávila curtiu. Elas se dariam bem.

....................................................................................
POR VICTOR MORAIS
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Rodrigomes
Gold
avatar

Idade : 18
Cidade : São Paulo

MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 32   08.01.15 22:04

Victor Morais escreveu:
Não creio que Maria Luiza está doente, coitada Sad Só sei que o Léo faz bem em denunciar o pai, e nem sabe que o Fred já está cantando a Daniele. Aliás, ainda não superei a maldade dela. Coitada da Maria José Sad Sinto que Clotilde corre muito perigo morando com a assassina e seu marido!
Maria Letícia matou o pai? Anna Maria Dávila curtiu. Elas se dariam bem.

Logo ela estará melhor, pois a doença tem cura... só veio para facilitar um outro grande acontecimento na web. Realmente, já está mais do que na hora de Riginaldo ir para o xilindró... não se preocupe, já tratei de avisá-lo quanto a isso kk. Espero que supere hehe! Ela é o famoso lobo em pele de cordeiro. Tadinha dela Sad Será mesmo que ela corre perigo?? Sinto que ele está em seu habitat natural (de cobras). Pois é, ela é mais fria do que imaginávamos, matar o próprio pai :O Tenho certeza que Anna curtiu isso. Obrigado por comentar, Victor Very Happy

....................................................................................
Rodrigomes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 32   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Realeza || Capítulo 32
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Web Novelas :: Realeza-
Ir para: