InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Realeza || Capítulo 33

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Rodrigomes
Gold
avatar

Idade : 19
Cidade : São Paulo

MensagemAssunto: Realeza || Capítulo 33   07.01.15 21:30

TRIGÉSIMO TERCEIRO CAPÍTULO





Cena 1- Hospital- Noite.
O médico continua a falar com Alberto sobre Maria Luiza.
 
Alberto: Mas, o que é que ela tem? – Ele pergunta preocupado. – É uma doença muito grave? Diz logo doutor.
Médico: Vamos dizer que a doença não é tão grave assim. Mas, se não tratada com cuidado, poderá tornar-se um grande transtorno para a moça. – Ele fala com cautela.
Alberto: Que doença é essa?
Médico: Ela tem uma meningite bacteriana. A moça deverá permanecer internada, em isolamento absoluto, durante sete dias. – Ele olha para Alberto.
Alberto: Isso tem cura? Ou ela ficará dependente de remédios para a vida toda?
Médico: Como foi diagnosticado no início, há uma grande probabilidade de que ela seja curada. Mas, ela terá que ficar internada como eu já havia dito ao senhor. Durante esse período a moça irá ingerir alguns antibióticos para tratar a doença.
Alberto: Tudo bem. Faça o que for necessário. Não me importo com quão caro seja. Por favor, só te peço para que não deixe nada de ruim acontecer a minha filha. – Ele suplica.
 
Cena 2- Hotel- Noite.
Lilla se hospeda.
 
Lílla: Oh Meu Deus! O que é que eu estou fazendo aqui? – Ela abre a porta do quarto onde ela irá ficar. O ambiente está horrivelmente sujo. – Em comparação com este lugar de quinta categoria, a casa da travesti era uma mansão. – Ela tampa o nariz para não sentir o mau cheiro. – Calma Lílla, é provisório... você vai ficar aqui por pouco tempo. E não há nada que uma boa faxina não resolva, não é? – Ela fala para si mesma.
 
Cena 3- Mansão Albuquerque Garcia - Noite.
Marillu conversa com Frederico.
 
Marillu: É meu filho, precisamos conseguir dinheiro o mais rápido possível. – Aparentemente tranquila. – A herança do seu pai está diminuindo cada vez mais. Daqui a pouco não temos mais um centavo, e não conseguiremos manter esta mansão. Além dos empregados.
Frederico: Eu sei mamãe. Também estou muito preocupado. Pode ser que fiquemos pobres. – Ele comenta, passando perfume.
Marillu: Para onde você vai a essa hora da noite? – Ela desconfia. – O que você está aprontando, hein?
Frederico: Não te contei que encontrei com a Daniele hoje no clube? – Ele disfarça. – Pois então, ela me convidou para um jantar. – Ele mente.
Marillu: Sério, meu filho? – Ela se levanta contente. – Agora já não importa se é da realeza ou não. Precisamos de dinheiro o mais rápido possível, já que não queremos trabalhar.
Frederico: Pode deixar mamãe. – Ele dá um beijo na testa dela. – Farei de tudo para garantir o nosso pão.
Marillu: Não se esqueça de que se você conseguir levar essa menina para a igreja... quando vocês estiverem morando juntos, separe um lugar para mim.
Frederico: Eu não vou te deixar para traz. Nem se preocupe quanto a isso. É claro que te levarei comigo. – Ele abre a porta.
Marillu: Espera ai. Eu vou com você. – Ela pega sua bolsa. – Também preciso tentar garantir o nosso pão. Vou para a mansão Corte Real imediatamente. – Eles saem.
 
Cena 4- Mansão Sales Couto de Sá- Noite.
Antonella e Daniele saem no tapa. Simone e Célia tentam separá-las.
 
Antonella: Já foi aproveitar a sua nova vidinha? – Ela dispara ao ver Daniele entrando cheia de sacolas. – Parece que foi dar um passeio no shopping com o papai.
Daniele: Para você ver. Eu mal cheguei e já estou ganhando vários mimos do nosso papaizinho. – Ela fala com tom de deboche. – Mas não se preocupe. Eu trouxe uma coisinha para você. – Ela joga uma sacola no colo de Antonella, que está sentada no sofá.
Antonella: A mamãe me contou que o papai cedeu a sua ameaça. – Ela faz uma pausa para levantar. – Se você não tivesse ameaçado ele, não estaria aqui agora. – Ela se aproxima de Daniele. – E tem outra coisa, aproveita enquanto pode. Pois eu também sei ameaçar, e já que o papai só age na base da ameaça... eu te expulsarei daqui ameaçando ele.
Daniele: Nossa! Estou tremendo de medo. – Ela balança a mão como se tivesse tremendo. – Larga a mão de ser mal educada e abre o seu presente. Escolhi com tanto carinho. – Ela é sínica.
Antonella: Ri enquanto pode. – Ela pega a sacola e vê o que tem dentro. – Ah! – Ela grita, jogando a caixa no chão. – Você é louca garota?
Daniele: Ai como você é patética. – Ela ri. – Era só um brinquedo. – Ela pega a cabeça de um rato de brinquedo, que Antonella derrubara. – Que coisa feia. Ainda tem a cara de pau de dizer que é uma vilã. – Ela faz uma pausa, rindo da cara de Antonella. – Saiba que vilã não tem temor de nada. Às vezes eu fico imaginando como o Marcelo iria se casar com você, uma mulherzinha tão sem sal.
Antonella: Lava a sua boca para falar de mim, sua piranha. – Ela avança para cima de Daniele. Com ódio pelo susto, e também pelo que ela acabara de lhe dizer. – É uma vilã de web novela das nove que você quer? Então é isso que vai ter. – Ela pega no pescoço de Daniele com força.
Daniele: Só é isso que você sabe fazer? – Ela dá um soco na barriga de Antonella, que se contorce de dor. – Pois se é para brigar, vamos fazer isso direito. – Ela é surpreendida por um tapa na cara.
Antonella: Toma esse, e mais esse. – Ela estapeia Daniele, e elas caem no chão. – Vadia, cachorra, piranha. – Ela bate mais forte.
Daniele: Não gosto de tapa. Eu prefiro soco. – Ela dá um murro certeiro no nariz de Antonella, e a tira de cima de si. – Agora você vai aprender como é que se surra alguém. – Ela está por cima da irmã, lhe dando vários socos.
Célia: O que é isso? – Ela desce a escada acompanhada de Simone. – Parem vocês duas. – Célia e a filha tentam separar Daniele e Antonella.
Simone: Pare com isso minha filha. Não desça ao nível dessa garota. – Ela a repreende.
Célia: Você não deveria estar aqui Antonella. Por que você não vai atrás do Marcelo? Ao invés de ficar arranjando briga com essa fulana. – Célia e Simone conseguem separá-las.
Antonella: É isso mesmo que eu vou fazer. – Ela se ajeita. – Até mais ver, maninha. Direi para o Marcelo que você mandou um beijo. – Ela fala com ironia. Depois vai embora rindo da cara de Daniele.
Simone: E você garota, comporte-se. Aqui não é a sua casa. Muito menos a da mãe Joana. – Ela fala visivelmente irritada. – Por falar nisso. Cadê o Roberto que foi no clube junto com você?
Daniele: Primeiramente, esta casa é mais minha do que sua. – Ela pega suas sacolas de compras. – E, se não me engano... ele disse que daria uma passada na casa da amante. – Ela mente debochando da cara de Simone. Daniele sobe a escada, satisfeita.
 
Cena 5- Apartamento de Celso- Noite.
Maria Letícia e Celso pensam em uma forma de se livrarem de Clotilde. Ela escuta a conversa dos dois.
 
Maria Letícia: Nós precisamos pensar em uma forma para tirarmos ela de nossas vidas. Tenho a impressão de que se não fizermos isso o quanto antes, essa mulher botará tudo a perder.
Celso: Fala mais baixo. Ela pode estar dormindo, mas se acordar e escutar você falando isso... é bem capaz que jogue toda a merda no ventilador. – Ele sussurra.
Maria Letícia: Não disse que ela só iria conseguir a passagem para daqui uma semana? – Ela sorri. – Mas, vamos pensar rápido no que faremos com aquela vadia. – Clotilde escuta a conversa deles de seu quarto.
Celso: Você tem que fazer o mesmo que fez com o Marcelo: matar sem deixar pistas de que houve um assassino.
Maria Letícia: Sobre o Marcelo, vão pensar que o coitado se matou depois de ter descoberto que a namorada não era quem ele pensava ser. – Ela é má. - Tenho certeza que a polícia pensará que foi um suicídio. – Clotilde se espanta com a revelação.
Celso: Nem vou te perguntar se você se arrepende de ter matado o seu filho. Porque, você foi capaz de matar o seu próprio pai. Matar o Marcelo foi fichinha.
Maria Letícia: Vamos focar na Clotilde, Celso. Por favor. – Ela é enfática.
Clotilde: Ouvi o meu nome? – Ela boceja, fingindo ter acabado de acordar. – O que está acontecendo por aqui?
Maria Letícia: Estávamos pensando em como seria bom se você conseguisse o voo para amanhã. – Ela faz uma pausa, e olha para Clotilde. – Pois não aguentamos mais ver essa sua cara. – Maria Letícia faz cara de nojo.
Clotilde: Infelizmente, vocês não vão ter o que querem. – Ela pega uma maçã na mesa. – Vou dar uma volta para conhecer o meu mais novo, e passageiro, endereço. – Ela manda um beijo para os dois antes de sair.
Celso: Será que ela escutou algo? – Ele se levanta do lugar, preocupado.
Maria Letícia: Ela ainda não tem superpoderes Celso. Fique tranquilo. 
 
Cena 6- Motel- Noite.
Roberto conta a Michele sobre os acontecimentos da sua vida.
 
Roberto: É isso mesmo, eu tenho outra filha. Esta semana foi de grande alvoroço na minha vida. – Ele faz uma pausa. – Além disso, a minha mulher tem quase certeza de que tenho uma amante. Só falta ver com os próprios olhos, pois ela desconfia. Eu não estou mais aguentando isso.
Michele: Nossa. Parece que a sua vida está bem agitada. – Ela se entristece. – Mas, agora que sua mulher está desconfiada... você vai contar sobre nós para ela? Ou veio aqui para terminar comigo?
Roberto: Nunca. – Ele a beija. – Eu gosto muito de você, Michele. Se eu ficar com alguém, esse alguém vai ser você. – Ele pega nas mãos dela. – Enquanto eu conseguir enrolar a minha mulher, e minha sogra...
Michele: Esqueça. Pelo que você me disse, essas duas já sabem de tudo. Só aguardam a confirmação. – Ela o interrompe. – E essa sua filha... elas aceitaram numa boa?
Roberto: A Daniele só nos trouxe caos. Quer dizer, só piorou ainda mais a situação. Acredita que a cobra mirim me ameaçou a abrigá-la em minha casa? Além disso, me fez acompanhá-la em compras no shopping. – Ele fala contrariado.
Michele: Você disse Daniele? – Ela se surpreende. – Sei que pode ser coisa da minha cabeça, mas...  Acredita que eu conheço uma menina, ela também reencontrou o pai dela depois de anos. E o nome dela também é Daniele.
Roberto: Será que estamos falando da mesma Daniele? – Ele tenta pensar em algo para confirmar se estão falando da mesma pessoa. - Ah! Ela morava com uma tia, que é travesti. O nome dela é Maria José. E além das duas, há uma garota de programa... Lilla, se não me engano.
Michele: É ela. Estamos falando da mesma Daniele. – Eles ficam surpresos.
 
Cena 7- Apartamento de Leonardo- Noite.
Leonardo se machuca propositalmente, Cléber vê tudo. Frederico chega bem na hora, e fica chocado com a cena.
 
Leonardo: Você vai me pagar pelo que me fez Riginaldo. – Ele bate com a cabeça no espelho, que fica trincado e o deixa sangrando na testa.
Cléber: Amigo, não precisava de tanto. – Ele fala, olhando incrédulo para Leonardo. – Eu sei que sugeri para você denunciar seu pai, mas... com os hematomas que estão espalhados pelo seu corpo... você conseguiria isso facilmente.
Leonardo: Eu sei, mas precisei dar uma incrementada. – Ele coloca um pano na testa, que sangra muito.
Cléber: Você é louco. Poderia ter se machucado gravemente, sabia? – Ele fala preocupado.
Leonardo: Meu pai merece esse presentinho. – Ele faz cara de dor. A campainha toca e Cléber atende.
Frederico: Olá. – Ele entra, e percebe que Leonardo está sangrando. – O que foi isso? – Ele pergunta chocado.
Leonardo: Não foi nada dema...
Frederico: Tenho certeza que foi você. – Ele pega Cléber pelo pescoço, e o pressiona contra a parede. – Por que você fez isso com ele?
Leonardo: Frederico, calma. Não foi o Cléber que fez isso, ele nem seria capaz de tamanha coisa. – Frederico o solta. – Eu que acabei me acidentando com o espelho.
Frederico: Deixa-me ver isso ai. – Leonardo tira o pano da testa. – Você precisa ir ao médico. Precisa levar uns pontos.
Leonardo: Eu estava agora mesmo indo fazer isso. – Ele sorri para Frederico. - Gostei de você ter se importado comigo.
Cléber: Eu não gostei disso não. Ele quase me matou asfixiado. – Ele fala com a mão no pescoço.
Frederico: Foi mau ai. – Ele sorri. – É porque eu me envolvi demais com o seu amigo. – Ele pega Leonardo pela cintura, e o aproxima de seu corpo. – Acho que nunca senti por ninguém, o que eu sinto por você. – Ele o beija, e Cléber admira a cena.
 
Cena 8- Casa de Maria José- Noite.
Rafael busca Gaby em casa. Maria José fica feliz pelos dois.
 
Rafael: Pensei que havia esquecido o meu convite. – Ele sorri ao vê-la abrir a porta, toda arrumada.
Gaby: Claro que não. Um príncipe como você não pode ser esquecido nunca.
Rafael: Já falei que você está uma gata nesse vestido?
Gaby: Então quer dizer que eu só fiquei bonita por causa do vestido? – Ela brinca, e o deixa sem jeito.
Rafael: Claro que não. Com certeza deve ser mais bonita ainda, mas sem ele. – Ela fica com vergonha.
Gaby: Quando te vi passando aquela noite... pensei comigo que você devia estar voltando da casa da sua namorada, mas ai...
Rafael: Ai, eu te desejei uma boa noite, e comentei sobre a sua beleza.
Gaby: Começamos a puxar um papo legal. – Ela sorri. – E então descobri que você estava vindo do trabalho. O que me deixou muito contente. Mas, fiquei mais contente ainda quando você fez um convite para sairmos juntos.
Rafael: E aqui estou. Vamos? – Ele estende o braço, e ela cruza o dela com o dele.
Maria José: Fico tão feliz por vocês. – Ela surge. – Boto fé no casal. – Ela sorri. – Você merece um homem assim, Gaby. E não ficar na noite com qualquer um que encontra.
Gaby: Não, José. – Ela fala com vergonha. – Você entendeu tudo errado. Rafael e eu não temos nada. – Ela começa a suar de vergonha. – Nós nos conhecemos um dia desses, e...
Rafael: Imagina. – Ele a interrompe. - Se ela estiver disponível para engatar um namoro sério, estou disposto para isso também. – Ele dá um sorriso encantador para ela. – Mas, você não poderá ficar com qualquer um na noite. – Ela fica sem saber o que falar.
Maria José: Pode ter certeza que, se você conseguir conquistar o coração dela... ela estará disposta a tudo para ficar com você. É até capaz de modificar a vida dela completamente. Não é Gaby?
Gaby: Ai gente. Assim vocês me deixam sem jeito. Mas é... claro que... se você pedisse para namorar comigo... eu não iria mais continuar sendo uma mulher da... – Ele a beija, e Maria José os deixa a sós.
 
Cena 9- Mansão Corte Real- Noite.
Rogério confirma a Alberto que o carro era de Marcelo. Ele conclui ter sido um homicídio.
 
Regina: Seu Alberto, o senhor tem visita. Os seguranças disseram que um tal de Rogério está querendo falar com o senhor.
Alberto: Só pode ser o delegado. Pode liberar a entrada dele. – Regina volta para cozinha.
Marillu: Parece que aqui está bem movimentado. Não é Antonella? – Ela brinca.
Antonella: Eu acho que cheguei até em um bom momento. Espero que o carro não seja do Marcelo.
Alberto: Eu também espero. – Ele faz uma pausa. – Por falar nisso, eu tenho que ligar para a Melissa. Saber se tem mais alguma notícia sobre a Maria Luiza.
Marillu: Calma, Alberto. A sua sobrinha pediu para você vim para casa, porque ela percebeu que você estava cansado. – Ela se levanta, e massageia os ombros de Alberto. – Então, não se preocupe. Quando ela tiver alguma novidade, certamente, ela irá te contatar.
Alberto: Quanto a isso você tem razão. – Rogério entra, e Antonella logo se levanta.
Antonella: E então seu delegado. O carro era mesmo do Marcelo? – Ela pergunta preocupada.
Rogério: Sim. O carro era do Marcelo. O número da placa bateu. E, o corpo dele foi encaminhado para o IML. – Ele faz uma pausa. – Ele morreu com o corpo quase todo carbonizado, mas ainda é possível ver perfeitamente o rosto dele. Aliás, precisamos que o senhor compareça até o local para reconhecer o corpo, para que eles então possam liberá-lo.
Antonella: Não. – Ela grita. – Isso não pode estar acontecendo. – Ela inicia um choro sincero.
Alberto: Só pode ter sido um homicídio. Ele se matou por ter se magoado com a Daniele. – Ele também começa a chorar. – Eu não vou conseguir aguentar tudo isso.  – Ele sobe a escada correndo.
Marillu: Pobre Marcelo. – Ela comenta com Rogério.
 
Cena 10- Hospital- Noite.
Jonathan vai visitar Maria Luiza, mas Melissa o impede de entrar.
 
Melissa: Ei. Para onde você pensa que vai? – Ela pega Jonathan pelo braço.
Jonathan: Vim visitar Maria Luiza. – Ele olha nos olhos de Melissa. – Por quê? Eu não posso?
Melissa: Eu presenciei a sua discussão com Maria Luiza, esqueceu? Sei que vocês terminaram o namoro. O que é que você quer aqui?
Jonathan: Eu percebi que errei Melissa. Não podia ter dito aquilo para a Malu. – Ele faz uma pausa. – Ela não estava grávida. Ela estava doente.
Melissa: Sabe que eu cheguei ao mesmo resultado? Quando o meu tio ligou lá em casa desesperado, falando que havia trago Maria Luiza para cá. Ele disse que ela estava doente, e logo me prontifiquei em vim. E nesse tempo que fiquei sozinha aqui, cheguei à mesma conclusão que você.
Jonathan: Você não sabe o quanto eu estou arrependido de ter dito aquilo para ela. – Ele diz cabisbaixo.
Melissa: Agora não adianta chorar sobre o leite derramado, Jonathan. Maria Luiza não quer te ver, nunca mais. E, além disso, se ela estivesse realmente grávida... você teria abandonado ela. – Ela faz uma pausa para pensar. – E analisando bem as coisas, é muito estranho você não gostar de crianças. Que pessoa neste mundo não gosta de seres tão fofos como aqueles?
Jonathan: Não há nada de estranho nisso Melissa. – Ele é sincero. – Você pode perguntar para a minha mãe. Desde adolescente, eu dizia para ela que nunca teria filhos.
Melissa: Mas... por quê?
Jonathan: Não é que eu não goste de crianças. Acho até que me expressei mal com relação a isso. – Ele faz uma pausa, e olha para Melissa. – É que eu tenho juízo. Adoro crianças, mas quando elas estão quietinhas... risonhas. Agora, quando começam com aquele chororô e birras desnecessárias... o encanto se quebra. – Ele analisa a expressão da moça. – Sei que você deve estar achando que sou louco. Pois muitas pessoas não aceitam o meu pensamento. Mas eu costumo dizer que, se é para ter um filho e maltratar... é melhor não ter. Até porque ia me dar um grande nervoso escutar uma criança chorando noite e dia.
Melissa: Quanto a isso você tem razão. Mas porque você não disse isso para a Maria Luiza antes? Esperou ela possivelmente estar grávida?
Jonathan: É simples, ninguém aceita que você não goste de crianças. As pessoas podem aceitar você não gostar de gay, de cachorro, de gato, mas nunca de crianças. E eu tenho certeza que a Maria Luiza nunca se envolveria comigo se soubesse desse meu pensamento.
Melissa: Realmente, o sonho de Maria Luiza sempre foi montar uma família. Então você construiu um relacionamento através de uma ocultação.
Jonathan: Sim. E confesso que errei em fazer isso.
 
Cena 11- Cobertura Queiroz Galvão- Noite.
Luciana consegue falar com Leonardo. Riginaldo discute com a mulher.
 
Luciana (Ao celular): Como assim no hospital? O que aconteceu com você Leonardo?
Leonardo (Ao celular): Eu acabei me acidentando, mas não foi nada demais mamãe.
Luciana (Ao celular): Se não fosse nada demais, você não estaria no hospital.
Leonardo (Ao celular): Você está viajando na maionese. Outra hora eu te ligo para te passar o meu endereço. Beijos. – Ele desliga.
Luciana (Ao celular): Leonardo? Leonardo? Desligou. – Ela se entristece. – Ai meu Deus, protege esse menino.
Riginaldo: Deus não gosta de gays, Luciana. Você acha que ele protegerá o seu filho? – Ele estava escutando tudo. – Quando essas coisas abomináveis morrem, vão direto para o inferno.
Luciana: Para de falar assim Riginaldo. Ele é nosso filho e...
Riginaldo: Será que você nunca vai entender, cacete? – Ele pega na boca dela e aperta com força. – Esse moleque não é meu filho. Nunca foi. Eu não tenho filho baitola.
Luciana: Como você pode falar assim do seu próprio filho? Não é possível que seu amor por ele tenha acabado assim tão... rapidamente. – Ela chora, e ele a joga no sofá.
Riginaldo: Você gosta de me ver estressado, não é? – Ele tira a cinta de sua calça. – Pois você sabe em quem eu desconto quando estou com raiva. – Ele começa a bater na mulher com a cinta, ela grita de dor.
 
Cena 12- Mansão Corte Real- Noite.
Clotilde conta a Alberto, que foi Maria Letícia quem matou Marcelo e o pai dela.
 
Marillu: Estou eu aqui mais uma vez em um momento difícil. – Ela diz entrando no quarto dele. – Mas creio que este seja bem pior.
Alberto: Eu não consigo acreditar Marillu. – Ele chora. – Por que Deus está sendo tão injusto comigo?
Marillu: Não fique assim meu amor. – Ela se aproxima dele, e o beija na bochecha. – Você vai ter que ser forte para enfrentar tudo isso. – Ela o abraça.
Alberto: Eu sei, mas está me faltando for... – Marillu o beija na boca. Clotilde surge no local.
Clotilde: Aqui estou eu mais uma vez interrompendo vocês. – Ela diz entrando.
Marillu: Clotilde? Como é que você conseguiu entrar aqui? – Ela pergunta, interrompendo o beijo. – Os seguranças não podiam ter deixado você entrar sem a autorização do Alberto.
Clotilde: Talvez seja porque eu já sou de casa. – Ela sorri. – Eles me conhecem Marillu.
Marillu: Com licença. Acho que vocês tem muito que conversarem. – Ela fala com ciúme, e depois sai.
Alberto: A Marillu é mesmo uma figura. Nunca deixou de gostar de mim. É assim desde antes de eu me casar com Maria Letícia. – Ele sorri. – Mas o que te traz até aqui?
Clotilde: Eu não sou muito de dar rodeios. Por isso, serei bem curta e objetiva. – Ela faz uma pausa. – Sua ex-mulher é uma assassina, Alberto. Ela matou o próprio pai. – Alberto fica surpreso.
Alberto: Ela teve tanto sangue frio assim? – Ele pensa melhor. – Aliás, o que eu tenho haver com isso?
Clotilde: Deixa-me terminar de falar. Além de ter matado o próprio pai, acabei de descobrir que Maria Letícia... matou o Marcelo.
Alberto: Impossível, Clotilde. Foi o Marcelo que se matou por ter... – Ele percebe que ela não teria como saber da morte de Marcelo ainda, pois isso não foi passado para a imprensa. – Então, Maria Letícia assumiu a você ter matado o Marcelo?
Clotilde: Na verdade, eu ouvi. Ela estava conversando com o Celso, e eu acabei escutando tudo. Foi ela quem matou o próprio filho.
 
CONTINUA...
 

 

....................................................................................
Rodrigomes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Victor Morais
Gold
avatar

Idade : 21
Cidade : São Bernardo do Campo

MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 33   08.01.15 21:41

Mas que pensamento é esse do Jonathan, eu hein. Coitada da Maria Luiza Sad Que gancho, agora o Alberto sabe da verdade e da monstruosidade que Maria Letícia foi capaz, mas temo que ele será a próxima vítima! Marillu coitada, sempre interrompida pela Clotilde mas dessa vez por um bom motivo. Mas a Luciana não vai se separar do Rigilixo? Já devia ter feito isso viu...Não creio que Marcelo morreu, ainda acho que possa estar vivo, não sei porque...

....................................................................................
POR VICTOR MORAIS
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Rodrigomes
Gold
avatar

Idade : 19
Cidade : São Paulo

MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 33   08.01.15 22:13

Victor Morais escreveu:
Mas que pensamento é esse do Jonathan, eu hein. Coitada da Maria Luiza Sad Que gancho, agora o Alberto sabe da verdade e da monstruosidade que Maria Letícia foi capaz, mas temo que ele será a próxima vítima! Marillu coitada, sempre interrompida pela Clotilde mas dessa vez por um bom motivo. Mas a Luciana não vai se separar do Rigilixo? Já devia ter feito isso viu...Não creio que Marcelo morreu, ainda acho que possa estar vivo, não sei porque...

É, andei pesquisando e há pessoas assim como o Jonathan, que não gostam de crianças. (Pobre coitadas, não têm culpa de nada). Tadinha da Malu Sad Realmente agora o Alberto descobriu do que a ex-mulher é capaz. Será que sobrará para ele? Marillu kk dá até um dó da coitada que nunca consegue o que tanto quer: pegar o Alberto de jeito!! Também acho que a Luciana já deveria ter se livrado dele... que homem mais repugnante u.u Marcelo? Vivo? Como você ousa duvidar da capacidade de Maria Letícia? kkkk Ela não deixará isso barato. Obrigado por comentar, Victor Very Happy

....................................................................................
Rodrigomes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Wagner Nascha
Gold
avatar

Idade : 20
Cidade : Formosa do Rio Preto

MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 33   08.01.15 22:23

Nossa!!! Agora o Alberto sabe de tudo, mas a Cleotilde ainda está correndo perigo Maria Luiza e Celso são raças ruins.
Frederico se preocupando com o Leonardo, rolou sinceridade ai gente I love you
Anatanella e Biscatiele brigando kkkk, Antonella ainda chorando pela morte do Marcelo.... será que ela e a Daniele trocaram de coração???
A trama tá pegando fogo hehe king
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://webficção.forumeiros.com
Rodrigomes
Gold
avatar

Idade : 19
Cidade : São Paulo

MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 33   08.01.15 22:29

Wagner Nascha escreveu:
Nossa!!! Agora o Alberto sabe de tudo, mas a Cleotilde ainda está correndo perigo Maria Luiza e Celso são raças ruins.
Frederico se preocupando com o Leonardo, rolou sinceridade ai gente I love you
Anatanella e Biscatiele brigando kkkk, Antonella ainda chorando pela morte do Marcelo.... será que ela e a Daniele trocaram de coração???
A trama tá pegando fogo hehe king

O que será que Alberto fará com este trunfo que tem em mãos? Clotilde está mesmo em perigo, mas creio que ela não esteja ligando para isso hehe!! Foi tão fofo o Fred se preocupando com o Leo... sinceridade?? Será?? Creio que não, a Antonella sempre gostou do Marcelo... até lutou pelo amor dele, quer dizer, deixou que lutassem por ela kkk Já a Dani u.u duvide de um "Eu te amo" vindo dela kk A Realeza já não está mais elegante assim, as coisas tão chegando à decadência hahaha! Obrigado por comentar, Wagner Very Happy

....................................................................................
Rodrigomes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 33   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Realeza || Capítulo 33
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Web Novelas :: Realeza-
Ir para: