InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 20º Capítulo de O Internato (ÚLTIMO) - Infelizes para sempre

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Vinicius Gabriel
Prata
avatar

Idade : 26
Cidade : Campinas

MensagemAssunto: 20º Capítulo de O Internato (ÚLTIMO) - Infelizes para sempre    11.01.15 18:40

"Queria primeiramente agradecer a todos que acompanharam minha obra, foi um carinho muito grande escrever para todos vocês. Alguns acharam exagerado, caricato, mas tenho a plena consciência que não importa onde cheguei com as meu hiperrealismo, se causou algum conforto esse tempero além da conta e incomodou de alguma maneira, isso já basta para eu sair com a cabeça erguida, de um vencedor. Obrigado e que se deliciem com o último capítulo. Até mais People ! " - Vinicius Lispector


O INTERNATO
O Final
Capítulo 20
Lorenzo – Fala comigo Abiel, fala comigo... – Lorenzo o chacoalhava freneticamente.
Os olhos do rapaz que levara um tiro começaram a emitir lágrimas. Ele sussurrou:
Abiel – Eu sinto muito por isso, mas não vou ser eu o responsável pela sua felicidade.
Lorenzo – Por favor, não faz isso comigo, aguenta firme. ALGUÉM CHAME UMA AMBULÂNCIA... - Disse gritando para todos.
Abiel o conteve – Não vai dar tempo. Mas eu quero que saiba que onde eu estiver eu sempre estarei torcendo por você. Seu lado desiquilibrado falou alto, eu sei que matou aquele homem, mas eu te perdoou, por que hoje você é uma pessoa melhor. O Amor te curou.
Lorenzo enxugando as lágrimas que caiam pelo seu rosto numa fração de segundos – Eu fui indiretamente o responsável pela sua morte, eu sou o culpado, isso nem eu vou me perdoar, tirei a vida de única pessoa que me faria feliz nesse mundo, vou carregar esse remorso para sempre.
Abiel – Não, você não foi o culpado. O que tinha para acontecer iria acontecer cedo ou o mais tarde iria acontecer. Esse final já estava programado para nós há muito tempo, foi o destino.
Lorenzo – Ou a droga desse autor, que não aguenta ver a felicidade dos outros.
Abiel suspirou e disse seus últimos dizeres – Quero que faça um favor para mim, a Cecília corre perigo, preciso que você viaje para Hong Kong ainda hoje.
Lorenzo – Ah Cecília ? Mas aquela víbora não tinha revelado sua verdadeira face ? Para que quer que eu...
Abiel o interrompeu balançando a cabeça negativamente – Não era ela. Descobrimos por meio de Tony que não se passava de um reflexo. A verdadeira está a quilômetros de distância daqui e mais... sua mãe Cassandra não morreu.
Mauro se surpreendeu com aqueles dizeres.
Lorenzo – Que história é essa ?
Abiel – Ai ! Acho que não terei tempo de explicar, mas procure pelos outros -seus olhos foram se fechando – Sempre que quiser me procurar, é só olhar as estrelas, pois eu estarei lá. Eu te amo Lorenzo, se puder me beijar, quero morrer não pela dor, mas com seu amor em meus lábios...
Lorenzo o beijou e aquilo foi o último disparar do coração, que se congelou abruptamente.
Aqueles segundos foram os mais dolorosos para Lorenzo que começou a chorar alto e a gritar desesperado.
Lorenzo -  Isso não era para ter acontecido, não era, meu querido... – Disse abaixando a cabeça próxima ao tiro. -  DESGRAÇADOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO.
E Voando do palco num pulo, caiu em cima de Mauro e começou a soca-lo, estapeá-lo.
Lorenzo – ASSASSINO ! VAGABUNDO ! ORDINÁRIOOOOOOOO... EU VOU ACABAR COM A SUA VIDA...VOCÊ TIROU A ÚNICA BENÇÃO QUE EXISTIA NA MINHA...
Eles rolam pelo chão e Mauro diz com todas as letras...
Mauro – Bichinha, você teve o que mereceu....
Lorenzo consegue pegar a arma e bate na cabeça dele que começa a sangrar. Sobre a posse dela, o ex-vilão aponta para ele, com as mãos trêmulas e disposto a se vingar.
O Auditório fica chocado. Ciclope entra e fica pasmo. Georgina fala em alto e bom tom:
Georgina – Agora vamos conhecer quem esse garoto é de verdade!
***
A toda velocidade no fundo do Oceano Pacífico estava o submarino em forma de polvo, patrimônio de Odette. Todos estavam aflitos sentados em cantos desconexos do veículo gigante. Até que chegaram à superfície. Estavam a metros do Hong Kong. Desembarcaram no porto Chinês e na primeira oportunidade que teve Tony saiu correndo. Vera tentou jogar um feitiço, mas sentiu uma queda de pressão, desmaiando. Todos pararam para acudi-la. Tony correu o mais rápido que pode e virou numa longa viela, pegando o alquitoque de antena no bolso e discando para Cassandra.
Tony – Chefinha. Preciso te avisar uma bomba que está prestes a explodir. Eles descobriram tudo e estão indo para aí. É melhor se preparar!
Vera caída no chão começa a se debater e Odette mede sua temperatura está ardendo em febre. É então que uma voz grossa e digital começa a ser falado pela professora de história :
Vera – Uma voz medonha...é a grande inimiga que se aproxima...numa gruta...no alto...eu não consigo discernir ao certo....NÃOOOOOOOOO.... Tai Mo Shan...
Ela levanta num impulso epilético e desaparece no horizonte. A turma sai correndo na direção dela.
Minutos mais tardes...
No alto de uma colina escura. Vera caiu em movimentos elipsais estranhos e abriu seus olhos, estavam roxos vivo. Com sua ira, puxou o céu para um único ponto em sua mão, o fazendo tornar-se um lençol. Muitas pessoas no centro da cidade pararam para contemplar aterrorizadas com o evento. Odette chegou e acalmou a irmã junto com a turma e como um elástico, o ambiente voltou ao normal.
A poucos metros de distância no norte, uma luz forte e alaranjada era projetada sobre as sombras deles.
Manoela – Quem vai entrar primeiro?
Vera – Eu! Não vou deixar aquela víbora ter um momento de prazer, nem mais um segundo.
E pisando decidida se adentrou no local. Todos se encararam por um instante preocupados e adentraram.
Um espelho mágico gigante estava depositado, depois de um riacho azul cristalino, era dele que uma forte luz era emitida.
Ao se materializaram por ali dentro chegaram a um enorme laboratório e logo avistaram no alto de uma enorme escada de concreto: Cecília desmaiada flutuando verticalmente dentro de um tanque de ensaio enorme que possuía serpentes ferozes no solo, mas o pior era as corretes atadas a suas mãos que estavam conectados com um dispositivo poderoso de choque elétricos.
De repente, a luz se apagou e só tornou visível o tanque. Do outro lado uma luz branca se acendeu apenas em um determinado local, sobre a presença de um alguém de capuz que ao tirá-lo, revelou a face maquiavélica de Cassandra Belarux...
Lúcia num ímpeto acabou deixando escapar palavras reveladoras – Irmã ?!
E Cassandra riu desdenhosamente, sobre a surpresa de todos...
***
Lorenzo estava transpirando, furiosamente com a arma apontada para Mauro...
Mauro – Vamos atira, acaba logo com isso, por que eu não aguento mais !
Lorenzo começou a chorar e num segundo desistiu de atirar. Para o alívio de todos.
Lorenzo – Eu sou diferente! Eu mudei ! Não vou cometer esse erro nunca mais ! – E saindo largou a mão para Ciclope.
Lorenzo – Vou tomar um helicóptero particular, preciso ir para Hong Kong... Cecília corre perigo, ela foi trocada e prometi isso para Abiel. Cuida do Internato para mim!
Ele acenou positivamente e pegou a pistola, trêmulo.  Mauro já ia se levantando quando ele gritou:
Ciclope – Quietinho! O senhor não vai a lugar nenhum antes que eu a polícia chegue.
Georgina se contorceu de raiva num canto.
No terraço. Lorenzo agradece um motorista e entra no veículo.
Lorenzo – Pode deixar que eu assumo a direção, vou sozinho...
Ele entra desesperado e começa a decolar...
***
Cassandra – E então querida, gostou do presentinho que preparei para você! Forjei minha morte esse tempo todo e nada uma aluninha dedicada como sua filinha para passar na olímpiada de ser a escolhida para me representar na minha ausência, não acha? – Seus olhos irônicos eram irritantes.
Lúcia – SUA DESGRAÇADA, ASSASSINA MALDITA !!!
Cassandra – Auto lá ! A grande culpada de tudo isso é você. E depois vem falar de assassinato comigo...Sendo que você é mestre no assunto...
Todos ficam chocados.
Lúcia – Cala essa sua boca !!! Se não eu...
Cassandra – Se não eu o quê ? Fala sua jumenta !!! Tá com medinho que eu conte quem se esconde por trás dessa carinha de cordeiro.
Lúcia bufou de raiva e tentou ir para cima dela, mas o pessoal a conteve.
Cassandra – Nunca ninguém se perguntou, mas tem um motivo para eu ter fundado aquele Internato – Disse passando as mãos em cima dos móveis empoeirados fazendo um gesto com os dedos de completo repreendimento.
Manoela – Nada justifica a criação daquele inferno, sua capeta !!!
Cassandra – Será mesmo menininha? – Nem mesmo a morte de uma filha ?
E começou a chorar desesperada. Lúcia abaixou a cabeça, estava a encarando com uma maneira estranha.
Cassandra – Eu tinha uma filha, se chamava Heloísa, uma garotinha linda que adorava a natureza. Os pássaros paravam para ouvir sua voz afável. Cantava como ninguém. Mas naquela tarde, tudo mudou...aconteceu algo inesperado, quando eu cheguei um dia em casa. Minha família havia saído, exceto por ela que estava caída aos pés daquela escada agonizando, depois de uma sessão de quimioterapia...
Lúcia – SE VOCÊ CONTINUAR ESSA HISTÓRIA, EU...
Jonas tapou da boca da mulher, estava premeditando o que estava por vir.
Cassandra – Ela havia desmaiado com a queda e pensaram que ela havia morrido, mas não morreu. O que a matou o veneno que a deram que fazia efeito mais tarde, por sorte ela me relatou tudo... Minha irmã, já havia tempo que espetava a cabeça dela com agulhas e a chantageara, dizendo que iria matar todo mundo e ela iria para um orfanato bem cruel se isso acontecesse. Tadinha, a inocência da minha querida de sete anos acabou levando-a para o corredor da morte. ONDE ESSA O EMPURROU PELA ESCADA QUANDO TODO MUNDO HAVIA SAÍDO, PARA ACELERAR O VENENO DE RATO QUE IRIA FAZER EFEITO...e tudo por que ela era estéril e não poderia ter filhos !
Odette esbofeteou Lúcia que caiu de supetão no chão em lágrimas...
Lúcia – EU NÃO SABIA O QUE ESTAVA FAZENDO? EU ERA NUTRIDA POR INVEJA... DEUS NUNCA HAVIA ME DADO A CHANCE DE PODER GERAR FILHOS...ENTÃO ACABEI COMETENDO O MAIOR ERRO DA MINHA VIDA...
Jonas estava fora de si – SE VOCÊ É ESTÉRIL... LOGO DE QUEM A MINHA FILHA CECÍLIA É FILHA ?
Lúcia – No dia do parto, eu paguei uma enfermeira para trocar um bebê por outro falecido... Os pais deles foram informados para não abrir um túmulo, onde havia um cachorro morto... Foi tudo planejado. Na hora do parto, ela me levou até outra sala do outro lado do centro cirúrgico, onde aguardei o tempo até aquela cirúrgia terminar. Depois nós transferimos de hospital com o bebê roubado e ninguém desconfiou de nada.
Jonas – ERA POR ISSO QUE VOCÊ NÃO QUERIA QUE EU ASSISTISSE A CIRÚRGIA ? SUA CACHORRA !!!
Cassandra estava soluçando de tanto chorar. O ódio fervia em suas veias...os olhos estavam vermelhos em brasas...
Cassandra – JUREI QUE NUNCA MAIS IRIA TER FILHOS E COMO HERDEI A PROPRIEDADE DE NOSSOS PAIS, CONSTRUÍ EM CIMA DA NOSSA ANTIGA CASA O INTERNATO...
Marieta – Era por isso que quando nós caímos no porão, percebemos que ele era muito familiar a uma antiga casa...
Cassandra – EU FIZ O INFERNO NA VIDA DE CRIANÇAS... POIS A MINHA FILHA NÃO TEVE A CHANCE DE SER FELIZ. E AGORA CHEGA DE FALAR... POR QUE CHEGOU A HORA DO ACERTO DE CONTAS FINAL...
Ela apertou um botão na parede e correu para cima do palanque, onde Cecília havia sido solta entre as cobras e era eletrocutada...
Lúcia – NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO...
Cassandra joga um feitiço no chão e diabretes começam a saltar de uma grande fissão na terra, onde a larva começa a transbordar do inferno. Separando o grupo da vilã.
Cassandra – DIZ ADEUS A SUA FILINHAAAAAAAAAAAAAAAA... HAHAHAAHAHAHAHAHAHHAHA.... É O APOCALIPSEEEEEEEEEEEEEEE....
Mas para seu desespero, morcegos famintos a atacam pelos cabelos e ela começa a berrar de desespero quando eles chupam seus sangue. Lorenzo revela em seu ar de vampiro bruxo montado em uma vassoura e assobia para que as criaturas deem um jeito nela...
Lorenzo – Rápido, garotos, a atirem na larva!
Cassandra – NÃOOOOOOOOOOOO... Ela acaba no movimento brusco caindo milhões de metros afins nas profundezas do magma, uma luz forte é eclodida e os diabretes desaparecem numa fração de segundos antes de possuírem as pessoas.
Lorenzo desliga o aparelho e a cabine é aberta onde ele congela as cobras e retira Cecília totalmente sofrida pelo eletrochoque...
Cecília – Lorenzo, você me salvou?
Lorenzo – Seja bem vinda ao mundo real de novo, minha querida...
E surpreendentemente ela se emociona em seus braços. Como as faces dos dois estão muito próximas, eles acabam se beijando. Ele se assustam, todavia gostam, rindo, quando vão repetir o gesto...Odette os interrompe com uma tosse...
Odette – Eu não quero atrapalhar o novo casalzinho do pedaço, mas...precisamos sair daqui o quanto antes, o laboratório está prestes a explodir magma para todo lado...
Eles acenam positivamente e Lorenzo junto com a população pula contra o espelho, saindo correndo para fora da gruta, onde segundos depois tudo explode em mil pedaços...
Lúcia tenta fugir, mas é congelada por Odette...
Cecília – Por que você fez isso com a minha mãe ?
Vera – É uma longa história querida, acho que sua mãe terá que responder a justiça algumas perguntas...
Cecília percebe no rosto do pai a gravidade do assunto e fica calada com sua réplica.


MESES MAIS TARDES...
Chega o dia do nascimento do filho de Cecília e a garota sente muito ao saber que Abiel, o pai não está vivo para comparecer. Mas Lorenzo está em seu lugar e tudo isso é o que importa. Ele dera provas de sua mudança e agora ela estava completamente caída por ele.
Cecília – Como eu disse, a última coisa que eu vi antes de parar naquele laboratório foi à presença das trevas de Cassandra que invadiu aquele prédio, onde Lorenzo havia me deixado e trocou de corpo. Acho que vou tomar mais conta do meu reflexo agora ( rindo) ... E na parede oposta, o reflexo começa a socar o espelho tentando sair.
Uma enfermeira anuncia que chegou a hora do nascimento. Ela é levada pela maca e se despede de cada um. Lorenzo em especial, ela lhe entrega suas mãos, pois ele estará com ela ao seu lado no parto.
Tudo ocorre bem, o grito do homenzinho é anunciado e todas as enfermeiras se emocionam no centro. Cecília chora ao ver seu principezinho aos seus peitos, se alimentando pela primeira vez, já no quarto.
Contudo, naquela noite, alguém abre a porta do berçário com uma chave de fenda e se aproxima de Rafael, o bebezinho, sufocando com um travesseiro enorme, mas nesse instante Lorenzo que fora visita-lo vê a cena, surpreendendo o sogro pela tal atitude. Sim, minha gente. Jonas é que estava ali.
Com um feitiço de levitação controlada, ele guiou o malfeitor até o quarto onde todos estavam e o jogou no chão com veracidade. Todos se desesperaram.
Cecília – Mas o que está acontecendo aqui ?
Lorenzo – Esse homem, que diz ser seu pai Cecília, acabou de tentar cometer umas das mais crueldades desse mundo, assassinar o próprio neto.
Cecília se aprova – NÃO..... ISSO NÃO PODE ESTAR ACONTECENDO !!!
Lorenzo – Pode sim, como eu presenciei tudo.
Jonas começou a surtar em meio ao cheiro, quebrando alguns vasos ali próximos.
Jonas – VOCÊS NÃO PODEM DEIXAR ESSA CRIANÇA VIVER, ELA É O FRUTO DO MAIOR PECADO QUE UM HOMEM PODERIA FAZER... ESTUPRAR A PRÓPRIA FILHA !
Cecília levou um choque com aquela notícia – PAI....VOCÊ NÃO ESTÁ DIZENDO COISA COM COISA...EU FIZ AS CONTAS...NÃO ENGRAVIDEI DE...
Jonas – Eu fui te ver no Internato, eu sabia de tudo, menos a versão da sua mãe. Eu acabei tendo relações com você numa noite. Eu não aguentava mais, você sempre supria a minha carência, afinal sua mãe fazia tempo que...
Cecília começa a chorar...Lembranças de quando era pequena vêem a sua cabeça... “ Senta no colinho do papai, ah...só um pouquinho !”... “Tá doendo, papai”. “ Não quer ver o papai feliz ? “ SUA VIDA NÃO PASSAVA DE UMA MENTIRA...
Cecília – As lembranças agora estão mais nítidas... era você que MEU DEUS... SEU MALDITOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO...
Jonas – Por favor, me perdoa, eu... Tentei concertar a história, até mandei seu tio matar o segurança que havia me visto cometer a atrocidade. Ele me chantageava há meses...
Lorenzo – E COMO VOCÊ SOUBE DO INTERNATO ?
Jonas – Eu...sabe aquele trabalho que eu falava que fazia nos fins de semana, era na verdade uma pesquisa para Cassandra, conheci ela pela internet, o ramo de contrabando de crianças, me ajudou muito, sabe ?
Cecília – MEU DEUS, E VOCÊ FALA COM ESSA NATURALIDADE TODA ? COMO TEVE CORAGEM DE FAZER ISSO COMIGO, COMO TEVE CORAGEM DE NÃO SÓ TER ME ESTUPRADO, MAS SABER QUE EU ESTAVA VIVENDO NAQUELE INFERNO E MESMO ASSIM NÃO FAZER NADA ! EU TE ODEIOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO...
Jonas começou a chorar e se ajoelhando aos pés da cama, pediu perdão para a filha que o recebeu com uma bofetada.
Nesse instante um médico entrou com uma enfermeira no quarto para anunciar que Cecília foi a primeira humana a passar por uma experiência que revolucionava a ciência.
Médico – Meus parabéns, nosso hospital ganhará muito lucro com isso. É a primeira humana a ficar grávida de partenogênese...
Cecília ainda chorando – Paterno...o quê?
Médico – Partenogênese... Um óvulo se desenvolveu e tornou-se um zigoto por si só, não precisou do espermatozoide, é mãe e pai dessa criança, meus parabéns...
Cecília estava perplexa, mas o mais estranho era a face que Jonas fazia afinal aquilo tudo foi em vão...
NO INTERNATO NO ANO SEGUINTE...
Um monte de estudantes se aproximava do palco, onde aguardavam ansiosos o discurso oficial de Lorenzo... Todo vestido de branco, ele subiu ao palco, acompanhado por Cecília banhada de um vestido na mesma cor.
Lorenzo – Boa Tarde a todos! É com muita alegria que venho decretar o fechamento do Internato de Moscou, contudo após alguns meses de reformas, ele passará a se chamar Colégio Integral da Felicidade, onde todos poderão usufruir de um futuro digno, sem competição, com muita autonomia e liberdade a todos...
Todos aplaudiram... mas ele avisa que não terminou...
Lorenzo – Eu percebi que o que vale mais não é a aparência, mas sim o caráter, graças a essa menina brilhante que está aqui do meu lado hoje – E a beija, para aplausos do público. – Devemos acreditar em nós mesmos e esquecer os erros do passado, é por isso que proponho para esse grande recomeço que a direção fique sobre as mãos da Professora Vera. – Todos vibraram a ela subiu ao palco.
Vera- Descansem bem nas férias, por que o estudo será puxado. Não mais para o lado da escravidão, mas sim para a formação de cidadãos conscientes. Obrigada a todos. – E sorriu sobre aplausos fervorosos. – Ali em cima num canto Manoela e Marieta se beijaram, revelando sua relação.
TRÊS ANOS MAIS TARDES...
Rafael já estava em sua cama dormindo tranquilamente. Na sala, Lorenzo dispersou na bebida de Cecília um calmante. Entregando a ela, juntamente com seu copo, onde brindou pela felicidade.
Lorenzo – Já te disse que fica deslumbrante nesse vestido vermelho? Mais bonita do que as rosas mais encantadoras. É por isso que desejo tão solenemente que nosso casamento chegue o quanto antes.
Cecília – Você é um bobo que eu amo. Eu realmente amava muito o Abiel, como tenho certeza que você também, mas sabe hoje depois de tudo que aconteceu, a cada dia que passa, eu fico cada vez mais encantada por você. É estranho dizer isso, mas algo sobe em mim, fico paralisada com seu olhar esverdeado. Com sua voz meiga e... ELA PERDE O EQUÍLIBRIO
Lorenzo – O que foi ? – Diz ele num tom de fingimento.
Cecília – Não sei, estou perdendo o equilíbrio, eu... FOI VOCÊ QUE ME DOPOU COMO PODE FAZER ISSO COMIGO?
Ela corre para porta que Lorenzo esquecera aberta e aperta desesperado o botão do elevador, mas percebe que ele ainda está no térreo. Desesperada, ela abre a porta de emergência e Lorenzo consegue alcançá-la, ele a puxa pela gola, quando ela vai descer o lance de escada. Mostrando que seu desejo é empurrá-la.
Cecília – Você não teria coragem? São sete andares, por favor, em nome do que nós...
Lorenzo – É tão fascinante, como Deus é bom, me deu o último gostinho de acabar com a sua vidinha medíocre de uma vez por todas... No fim o Antagonista nessa história se deu bem, bem original não acha?
Cecília – Isso não é uma novela, é a vida real! Pelo amor de Deus!
Lorenzo – Ah, claro. Todos que estão nos lendo e leram durante dois meses inteiros não são nada para você não é mesmo? Está na hora da minha pessoa tomar a bastilha novamente... HAHAHAHAHAHAHAHA. Até nunca mais ver símia bípede escrota!
E a jogou com toda sua força, ela tropeçou e rolou sete andares, caindo morta no chão do térreo. A música Yerterday dos Beatles tocou, até terminar e um instante de silêncio prevalecer assim como quando uma rosa murcha.




Seu olhar eufórico era horripilante. Misturado com éter de felicidade e superioridade. Se sentia uma perfeita bicha maligna. Ele se imaginava uma viúva negra quando uma mosca fica presa em sua teia.
Lorenzo – Ai, não aguentava mais fingimento. Você me fez perder quatro capítulos de tamanha criatividade para ficar esse sem sadismo de mocinho. Francamente, até que enfim uma cena digna de prestigio- Não é mesmo, meus leitores queridos?
Ele discou o número de um celular e pediu com uma voz afeminada maléfica.
Lorenzo – Pode vir buscar, nossa encomenda, está pronta!
O corpo de Cecília foi incendiado com gasolina e depois Lorenzo deixou um isqueiro cair no chão, se alastrando pelo corpo dela inteiro, queimando-a viva.
Lorenzo – Até nunca mais, bebê! Vire carvão... Ai que delícia !
Ele se aproxima de um mascarado que está ali e retira seu disfarce homossexualmente.
Lorenzo – Tony querido, no fim ninguém desconfiou o que nós estávamos tramando, não é mesmo? E aquele veneno que você tentou colocar no quarto dela, aquele idiota do Abiel que hoje tá ardendo no inferno bebeu, mas eu gostei daquela Goergina ter tomado, pena que sobreviveu. – Seus olhos deslizavam naquele rosto branco pálido que emitia um sorriso lento e eufórico.
Tony – É por isso que eu amo, a minha putinha linda. E não se esqueça do relógio de cookoo que eu quebrei e plantei no armário dessa monóxido de carbono agora e pensar que quando joguei o Abiel do palco, foi por cíumes a você, não sabe que eu daria minha vida por você.  – E bateu no traseiro de Lorenzo com força de um macho pronto a copular.
Eles voltam para o carro e Rafael chora batendo no vidro desesperado.
Lorenzo – Cala boca, seu pentelho insuportável. Que seu destino é muito mais  tórrido do que esse.
E beija Tony de uma maneira macabra, brotando um sentimento que o encara de uma maneira jamais vista pelo ódio em um ser humano.
Ele o larga em um orfanato cruel, onde as freiras retiram seu único vestígio de inocente, mas ele promete vingança...
18 ANOS MAIS TADES...
Lorenzo está arrumando sua mudança para uma espetacular mansão em Veneza na Itália. Quando um dos carregadores acaba propositalmente deixando cair no ombro do rapaz, que adora a atenção e retribui com um beijo. Pelo ombro de Lorenzo, dá para perceber sua identidade. Seu olhar profundo de ódio e seu sorriso de vingança. Era ninguém menos que Rafael que começava seu plano de vingança. A cena se apaga com um ruído rápido.
CONTINUA...
THE END



 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Wagner Nascha
Gold
avatar

Idade : 21
Cidade : Formosa do Rio Preto

MensagemAssunto: Re: 20º Capítulo de O Internato (ÚLTIMO) - Infelizes para sempre    12.01.15 18:03

Final surprise!!!! :chock: Lorenzo e Tony estavam armado tudo durante tdo esse tempo, eu nem imaginava isso Surprised
Cecília e Abiel morreram Surprised
E agora 18 anos depois Rafael o filho de Cecília volta com desejo de vingança!!!

Parabéns amigo foi uma ótima série I love you
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://webficção.forumeiros.com
 
20º Capítulo de O Internato (ÚLTIMO) - Infelizes para sempre
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Web Séries :: O Internato-
Ir para: