InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 "Em Nome do Filho" Capítulo 10

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Wesley Alcântara

avatar

Idade : 23
Cidade : Rio das Flôres

MensagemAssunto: "Em Nome do Filho" Capítulo 10   14.01.15 11:50

Roteiro de Telenovela Brasileira                 Capítulo 010
 
[size=59] [/size]
 
Uma novela de:
Wesley Alcântara
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Cena 01. Mansão Amadeu/ Jardim/ Exterior/ Noite.
Continuação imediata do capítulo anterior.
Eneida entra em um táxi e sai, logo em seguida Vitória dá partida em seu carro e sai.
Close no olhar diabólico de Vitória.
Corta para:
Cena 02. Carro de Vitória/ Interior/ Noite.
Vitória segue dirigindo seu carro, com os olhos vidrados no carro de Eneida, logo a frente. Vitória pega seu celular e disca, coloca ao seu lado e no Viva Voz.
Antero (off) – Fala meu doce.
Vitória – Vai ser hoje.
Antero (off) – Em qual motel te espero?
Vitória – Não é nada disso que você tá pensando seu idiota. Hoje irei acabar com a Dama. Preciso da sua ajuda e da ajuda dos seus capangas.
Antero (off) – Vou ligar pros caras. Mas onde você quer que eu vá.
Vitória – Vá pro Elevado, tá tendo um show lá, a Eneida tá indo lá tentar resgatar a amiguinha dela. Chegando lá você vai...
Vitória continua explicando o plano a Antero, com o áudio cortado.
Corta para:
Cena 03. Bar Chegaí/ Rua/ Exterior/ Noite.
A rua está ainda mais lotada, com várias pessoas conversando, até que Zé Diogo aparece no palco, pega o microfone.
Zé Diogo (a todos) – Pessoal, quero agradecer a presença de todos aqui no Bar Chegaí e dizer que sem a ajuda de vocês, esse evento jamais seria possível. E sem mais espera, a estrela da noite vai subir ao palco e quebrar todas pra gente. Com vocês o momento mais aguardado. Chegaí Péricles.
Todos gritam eufóricos, Péricles aparece no palco, abraça Zé Diogo, que sai do palco.
Péricles – É uma honra cantar pra um pessoal tão animado desses. Vamos lá galera, essa música eu dedico a todos. A minha favorita.
Péricles começa a cantar “Aceita, paixão” (Tema do Bar Chegaí).
O pessoal em sua maioria se levanta e começa a sambar.
Corta para:
Cena 04. Motel/ Fachada/ Exterior/ Noite.
Pequeno fluxo de pessoas passando pelo local, com duas prostitutas fazendo programa.
Corta para:
Cena 05. Motel/ Quarto/ Interior/ Noite.
Miguel está deitado na cama, só de sunga. Enquanto Eva vem saindo do banheiro com uma fantasia erótica de enfermeira.
Eva (sensual) – Tem um rapaz dodói aí?
Miguel (sensual) – Eu!
Eva (sensual) – Pode deixar que a enfermeira aqui vai cuidar direitinho de você. Vai aliviar você.
Eva começa a dançar eroticamente, em seguida, se joga na cama e começa a beijar loucamente Miguel, que aos poucos vai retirando sua fantasia. Eles vão fazendo caras e bocas, com uma grande excitação.
Corta para:
Cena 06. Bar Chegaí/ Rua/ Exterior/ Noite.
O show continua animado, com Péricles cantando alguns sucessos do grupo Exaltassamba.
CLOSE na mesa Fernanda, que está assistindo ao show com Malu.
Fernanda – Animado o show dele né filha?
Malu – Eu já fui uma vez ao show dele lá em Rio das Flores. E achei animadíssimo.
Fernanda – Bom mesmo! Vou até comprar um cd amanhã.
Malu (se levantando) – Eu vou ao banheiro mãe. Me espera aqui!
Fernanda – Na volta, trás um refri pra mim, Maria de Lourdes.
Malu – Eu sou Malu mãe, Ma-Lu!
Malu sai em direção ao banheiro. Fernanda continua assistindo ao show. Nesse instante César passa por trás dela, dá um assopro em sua nunca e rapidamente joga um pedaço de papel em seu colo e sai apressado.
Fernanda (assustada) – Que isso gente?
Fernanda olha pra baixo e vê o bilhete em seu colo, o pega e começa a ler.
Fernanda (lendo) – Quero muito beijar sua boca hoje, na sua casa. Espere um sinal.
Fernanda olha para os lados assustada e em seguida rasga o papel. Ela olha para o lado e de longe percebe que César a olha.
Corta para:
Cena 07. Bar Chegaí/ Salão Principal/ Interior/ Noite.
O salão está bastante movimentado, com algumas mesas espalhadas pelo local, em uma delas está Regininha, sentada sozinha, tomando um Chopp. Álvaro vem do balcão com uma caneca de Chopp, acaba sendo trombado por um rapaz e derrubando a bebida em Regininha.
Regininha (triste) – Minha escova foi pro beleléu.
Álvaro (sem jeito) – Me desculpa moça. Mil perdões, não era minha intenção.
Regininha olha para Álvaro e sorri gentilmente.
Regininha – Só desculpo se o senhor se sentar aqui e tomar um Chopp comigo.
Álvaro – Me sento com muito gosto, mas o senhor fica pros santos e idosos.
Álvaro se senta.
Álvaro – Nunca vi tão bonita assim aqui pela cidade.
Regininha – Sou nova aqui.
Álvaro (esticando a mão) – Sou Álvaro Trajano e você?
Regininha (cumprimentando) – Helena. Helena Santini.
Álvaro – Belo nome. Faz jus a pessoa.
Regininha sorri.
Regininha – Trajano, acho que já ouvi esse nome.
Álvaro – Provavelmente sim, a prefeita da cidade tem esse nome. Meg Trajano.
Regininha – Então é isso. Sou péssima com nomes.
Álvaro e Regininha se entreolham.
Corta para:
Cena 08. Bar Chegaí/ Rua/ Exterior/ Noite.
O show do Péricles continua a todo vapor, enquanto isso Eneida aparece entre a multidão, assustada e procurando por Dama.
Corta para: Carro de Eneida.
O carro de Eneida está a alguns metros da festa, numa rua deserta. Antero chega com dois capangas seus.
Antero (aos capangas) – Tudo como o combinado hein. Quero vocês dois a espera da Vitória no local marcado.
Capanga 1 – Mas eu tenho medo. Que lugar mais macabro.
Antero – Para de medinho bobo. Agora ciscando fora. Anda!
Os dois capangas vão embora. Antero pressiona a maçaneta do carro de Eneida, mas sente trancado.
Antero (irritado) – Merda!
Antero retira do boldo um aparelho de choque, dá dois cliques de choque na maçaneta e o carro destrava.
Antero – Sempre dá certo. Maldita essa segurança.
Corta para:
Cena 09. Carro de Eneida/ Interior/ Noite.
Antero entra no carro, e se deita no banco traseiro.
Corta para:
Cena 10. Bar Chegaí / Palco/ Exterior/ Noite.
Péricles está terminando de cantar uma música. Ao finalizar, ele volta ao microfone.
Péricles – Essa música agora vai para todos os casais apaixonados da cidade de Flores. Cidade linda, gente espetacular. Vamos lá galera.
Péricles começa a cantar “Linguagem dos Olhos”. Alguns casais desconhecidos começam em clima de romance e acabam se beijando.
Close na mesa de Edu e Tamara.
Tamara – Essa música é linda. Tão romântica.
Edu (triste) – Nem me fala em romance. A coisa tá bad pro meu lado.
Tamara – Vou fazer melhorar, duvida?
Edu – Como?
Tamara acaricia o rosto de Edu e em seguida começa a beijá-lo na boca. Os dois travam em um longo beijo.
Malu que está passando pelo local, fica chocada com a cena.
Malu (gritando) – Desgraçado.
Edu e Tamara param de se beijar assustados.
Malu (chorando) – Eu tô decepcionada com você Edu. Você não tinha o direito de me trair dessa forma.
Edu (assustado) – Calma Malu, por favor, não é nada disso que você tá pensando.
Malu – Não num é? Cala a boca. Nas circunstâncias atuais, é melhor você não dizer mais nada, porque é o óbvio: eu peguei o meu namorado beijando outra em público.
Tamara sorri maliciosamente para Malu.
Malu (a Tamara) – Pode tirar esse sorriso besta da cara. Você não venceu, e sabe por quê? Porque ele ainda me ama e você foi uma válvula de escape.
Tamara se levanta e chega próxima ao ouvido de Malu.
Tamara (cochichando) – Eu não tenho culpa se você não dá mais conta do seu namorado.
Malu dá um tapa na cara de Tamara.
Malu – Vagabunda. É isso que você é Tamara.
Edu (gritando) – Tenta manter a calma Malu.
Malu (nervosa) – Fica aí com o seu mais novo brinquedinho Carlos Eduardo. Pra mim acabou, acabou de vez.
Malu vai saindo e Edu segura seu braço. Ela dá um solavanco forte e vai embora. Edu fica desesperado e Tamara se senta sorridente.

Corta para:
Cena 11. Bar Chegaí/ Salão Principal/ Interior/ Noite.
Ondina está do lado de dentro do balcão, conversando com Zé Diogo, que está do lado de fora do balcão.
Zé Diogo – Mesa dez quer uma porção de pasteis.
Ondina – Ok. Mas alguma coisa senhor?
Zé Diogo – Um beijo da minha esposa querida.
Ondina e Zé Diogo se beijam.
Mafalda (aplaudindo) – Aê. Gostei de ver. O clima é de romance mesmo.
Ondina (surpresa) – Mafalda? Olha querida, desculpa eu não ter te dado atenção, mas é que tô atarefada.
Mafalda – Eu entendo perfeitamente. Isso daqui tá um sucesso, parabéns. Só vim me despedir. Tô cansada demais, morrendo de sono.
Zé Diogo – Obrigado pelo apoio Mafalda, sem você seria humanamente impossível a realização deste show.
Mafalda – Eu que agradeço a vocês. Foi uma honra e garanto que esse é o primeiro de muitos outros que estão por vir.
Ondina – Com toda certeza Mafalda. Agora você aceita levar uns croquetes pra casa?
Mafalda – Não querida, obrigada! Já comi o suficiente. Amanhã volto pra minha dieta. Agora vou lá fora procurar o Téo e ir descansar. Beijos.
Mafalda vai saindo do bar.
Ondina – Tão diferente da irmã. Adoro essa mulher.
Zé Diogo – Com tanto elogio assim, eu vou ficar com ciúme.
Ondina – Deixa de ser bobo homem. Eu te amo.
Zé então pisca o olho para Ondina e manda beijinhos.
Corta para:
Cena 12. Bar Chegaí/ Rua/ Exterior/ Noite.
O show está em momento de pausa. Uma música ambiente vai tocando. As pessoas aproveitam para conversar e irem ao banheiro.
CAM focaliza em Eneida num canto, desesperada com o celular no ouvido. Lucído passa por ela e a esbarra sem querer, os dois se entreolham e ficam surpresos.
(Música “Te Esperando” – Luan Santana).
Eneida (surpresa) – Lucído?
Lucído (emocionado) – Eu esperei tanto por esse dia. Enfim você aqui.
Corta para:
Cena 13. Mansão Trajano/ Fachada/ Exterior/ Noite.
(fad out trilha “Te Esperando” – Luan Santana).
Corta para:
Cena 14. Mansão Trajano/ Sala de Estar/ Interior/ Noite.
Vitória e Meg estão conversando, sentadas no sofá.
Meg – Tem certeza de que você vai fazer isso?
Vitória – Essa é a minha chance. Ou eu faço agora, ou sabe Deus o que acontecerá comigo.
Meg – Não sei, acho melhor você esperar, não tomar nenhuma decisão com a cabeça quente.
Vitória – Não tem mais jeito, vou ter que fazer. Me empresta o galão?
Meg – É claro. Agora só precisaremos tomar cuidado, pois o galão é numerado. Mas o que pretende fazer?
Vitória – É assustador esse plano, parece filme de terror, desses bem pesados mesmo. Não sei como tive coragem.
Meg – A necessidade faz o homem. A gente se adapta a qualquer ambiente e reverte qualquer situação.
Vitória – Depois que eu tirar essa mulher do meu caminho, tudo ficará mais fácil. Agora me dá o galão.
Meg – Só espero que esteja fazendo a coisa certa.
Vitória fica pensativa.
Corta para:
Cena 15. Bar Chegaí/ Rua/ Exterior/ Noite.
Lucído e Eneida estão se olhando. Calados.
Lucído – Não vai falar nada comigo?
Eneida – Tô em estado de choque ainda. Eu jamais pensei que fosse te ver outra vez.
Lucído – Eu disse que iria embora pra bem longe, mas sem a minha Helena eu não vou.
Eneida – De novo essa história?
Lucído – Por favor, me diz onde está a minha Helena.
Eneida – Mais perto do que você imagina.
Lucído – Me diz quem é. Me dá uma foto. Quero uma luz. Há anos que eu sofro com isso.
Eneida – E você acha que é fácil pra mim? Eu durmo e acordo pensando na Helena.
Lucído – Fala Eneida. Eu preciso saber.
Eneida – Amanhã. Amanhã três horas na praça central, pode ser?
Lucído – Sem furo, sem enrolação. Amanhã três horas na praça.
Eneida – Agora preciso ir, tô atrás de uma amiga.
Eneida sai e Lucído fica pensativo.
Péricles volta a cantar.
Corta para:
Cena 16. Casa de Fernanda/ Quarto de Malu/ Interior/ Noite.
(Música “Relicário” – Nando Reis e Cássia Eller).
Malu entra no quarto aos prantos, deita em sua cama e começa a chorar, se lembrando da cena que viu.
***INSERT DO FASHBACK GRAVADO***
Capítulo 10. Cena 10. Bar Chegaí / Palco/ Exterior/ Noite.
Tamara acaricia o rosto de Edu e em seguida começa a beijá-lo na boca. Os dois travam em um longo beijo.
Malu que está passando pelo local, fica chocada com a cena.
Malu (gritando) – Desgraçado.
Edu e Tamara param de se beijar assustados.
***FIM DO INSERT DO FLASHBACK***
Malu continua chorando.
Malu – Vou desabar aqui, na minha cama. Aqui que é lugar quente. Me rebaixar praqueles dois? Jamais!
Corta para:
Cena 17. Casa de Tamara/ Rua/ Exterior/ Noite.
Tamara e Edu estão chegando bem em frente a casa de Tamara.
Edu – É, acho que chegamos.
Tamara – Sim. Quer entrar?
Edu – Não. Tô morto de cansaço, vou correndo pra minha cama.

Tamara – É uma pena, mas tudo bem.
Tamara tenta beijar Edu, que desvia.
Edu (sério) – Não Tamara, chega de problemas por hoje. Aquele beijo foi um erro. Não vamos repetir a dose.
Tamara – Erro não. Fizemos no calor da emoção, mas é o que queríamos. Já somos bem grandinhos e sabemos tudo que queremos.
Edu – Eu acho que é melhor eu ir nessa né.
Tamara – Você quem sabe. Mas fique ciente que apesar dos desdobramentos da história do beijo, eu gostei e quero mais. Eu não desisti de você Edu.
Edu – Eu não quero te enganar, mas eu ainda amo a.../
Tamara (corta) – Eu sei. Você ainda sente algo pela Malu, mas ela já é jornal de ontem, passou. Agora inicia uma nova jornada na sua vida. Uma jornada Tamara. E nada como um novo amor pra esquecer um ex-amor. Um porre se cura com outro porre.
Edu respira fundo.
Edu – Eu vou nessa.
Tamara – Ao menos um abraço você não vai me negar né?
Edu sorri.
Tamara abraça Edu e em seguida entra em sua casa. Edu fica parado, pensativo.
Corta para:
Cena 18. Bar Chegaí/ Rua/ Exterior/ Noite.
Apesar do grande movimento, o volume de pessoas diminuiu consideravelmente. O show continua.
Eneida está andando, até que encontra Dama, que está sentada em uma mesa tomando cerveja.
Eneida (nervosa) – Ainda bem que te achei.
Dama – O que foi mulher de Deus?
Eneida – Você precisa vir comigo. Você precisa sair daqui antes que a Vitória te ache.
Dama – O que tem a Vitória?
Eneida se senta apressadamente.
Eneida – A Vitória quer te matar. Ela me confessou isso e disse que vai executar o plano hoje. Eu despistei dela e consegui vir aqui sem ela perceber. Você precisa ir pra outro lugar.
Dama fica assustada.
Eneida – Precisamos sair daqui. Meu carro tá na rua de trás, vamos?
Dama – Agora.
Dama e Eneida se levantam e saem.
Close em Téo e Mafalda indo embora.
Corta para:
Cena 19. Casa de Fernanda/ Rua/ Exterior/ Noite.
Miguel e Eva estão se beijando, apoiados na lataria do carro.
Miguel – Pensou na minha proposta amor?
Eva – Noivar?
Miguel – Não quer?
Eva – É tudo que eu mais quero nessa vida.
Miguel – Pra sempre minha.
Eva – Pra sempre meu.
Eva e Miguel voltam a se beijar.
Corta para:
Cena 20. Rua Deserta/ Exterior/ Noite.
Eneida e Dama andam em direção ao carro, toda hora olhando assustadas para trás.
Eneida – Tô com a impressão de estar sendo seguida.
Dama – Não me deixa mais desesperada.
Eneida e Dama param em frente ao carro. Eneida abre a porta do carro e as duas entram nos bancos dianteiros.
Eneida dá partida no carro e sente algo em sua nuca.
Close em Antero apontando uma arma na nuca de Eneida.
Antero – Pode desligar esse carro. Eu vou dizer pra onde iremos passear.
Dama e Eneida ficam muito assustadas.
Corta para:

FIM
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
"Em Nome do Filho" Capítulo 10
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Web Novelas :: Em nome do Filho-
Ir para: