InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 Realeza || Capítulo 47

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Rodrigomes
Gold


Idade : 18
Cidade : São Paulo

MensagemAssunto: Realeza || Capítulo 47   28.01.15 21:26

QUADRAGÉSIMO SÉTIMO CAPÍTULO





Cena 1- Mansão Garcia de Albuquerque- Noite.
Marillu se mostra contra o namoro dos dois. Frederico chora, e Leonardo o consola.
 
Marillu: Isto é inaceitável. – Ela grita. – Eu não te criei para ver você se casando com outro homem.
Frederico: Mãe, tudo o que você mais queria era que eu me casasse com algum rico, não era? E melhor do que isso, não precisarei dar golpe em ninguém, porque eu amo o Leonardo.
Marillu: Que asneira é esta, Frederico? Eu não estou nem ai para golpe nenhum. Quero que você acabe com esse namoro imediatamente. Ou se esqueceu que ainda sou sua mãe?
Frederico: Você pode até ser minha mãe, mas não tem o direito de interferir nas minhas escolhas. Eu amo o Leonardo e a senhora não pode fazer nada quanto a isso. – Ele esbraveja.
Marillu: Foi você, né garoto? – Ela olha para Leonardo com raiva. – Foi você que enfeitiçou o meu filho. A culpa de tudo isto é sua, seu veado.
Frederico: Olha aqui. – Ele aponta o dedo na cara de Marillu. – Você não vai ofender o meu namorado na minha frente não, ok?
Marillu: Ah, então você é o macho alfa da relação? – Ela está visivelmente irritada. – Não posso acreditar que você me apunhalou pelas costas desta forma.
Frederico: Não te apunhalei pelas costas, mamãe. Será que você não enxerga? Estou completamente apaixonado pelo Leonardo, isto não se trata mais de dinheiro.
Marillu: Você é um inconsequente, isto é o que você é. Não merece nem ao menos um “bom dia” meu.
Frederico: Que papelão. Se você soubesse o quanto estou com vergonha da sua atitude. – Ele balança a cabeça negativamente. – Nunca pensei que regeria desta forma.
Marillu: Quando você falou que ia me apresentar seu cônjuge, pensei que se tratava de uma mulher. Se eu soubesse que era um homem, não tinha nem me dado o trabalho de se arrumar deslumbrantemente.
Frederico: Pois saiba que não estou disposto a abrir mão do Léo por causa de você. – Leonardo olha tudo atentamente. – É ele que eu quero, e ninguém neste mundo irá me separar dele.
Marillu: Se você quiser ficar com esse veadinho, então fique. Mas não me considere mais como sua mãe, entendeu? Não me dirija mais a palavra.
Leonardo: Como a senhora pode ter a mente tão pequena? – Ele quebra o silêncio. – Se o pai dele tivesse esta reação, até que eu entenderia, pois o meu pai agiu da mesma forma que você quando assumi que era homossexual.
Marillu: Olha lá como você fala comigo seu... baitola. Não sou suas amiguinhas, que você fala como bem entende.
Leonardo: Você deveria apoiar o Fred, aconselhar ele, mas não. Prefere rebaixar o seu próprio filho, que não escolheu ser assim... simplesmente nasceu deste jeito. E outra, ele não é gay, o seu filho é bissexual.
Marillu: Para mim é tudo farinha do mesmo saco. Se beija na boca de outro homem, já considero como veado e ponto.
Leonardo: Não dá mais, Frederico. Estou tentando engolir as asneiras que a sua mãe está falando, mas não me desce.
Marillu: Não desce? Quer um pouquinho de água para ver se consegue engolir? – Ela é irônica. – Vai apagar o fogo desse rabo, sua bicha louca.
Frederico: Chega. Chega. – Ele começa a chorar. – Vamos Léo, nem eu consigo mais olhar para a cara dessa monstra insensível.
Marillu: E vê se não volta nunca mais. – Ela fala para Leonardo. – E você, Frederico. Nossa conversa ainda não acabou. – Eles vão para o jardim, e Marillu fica na casa.
Frederico: Nunca pensei que a minha mãe reagiria desta forma, pensei que ela seria mais compreensiva, sabe? Ela me magoou muito com aquelas palavras. – Ele chora dolorosamente.
Leonardo: Calma, meu amor. – Ele abraça Frederico. – Tudo vai se resolver, pode ter certeza disso. Nós nos amamos, e nada, nem ninguém irá nos separar.
Frederico: Eu te amo, Léo. Não quero te perder nunca. – Ele o beija. – Agora deixa eu te levar até o portão, pois a minha conversa com aquela mulher vai descer o nível agora.
Leonardo: Pelo amor de Deus, Fred. Não vai falar ou fazer algo que se arrependa depois. – Ele aconselha.
Frederico: Pode deixar comigo, sei me virar com aquela megera. Além do mais, ela estragou a nossa noite, que era para ser incrível.
Leonardo: E foi. Você não sabe o quão foi importante te apresentar a minha mãe. – Eles sorriem apaixonados.       
 
Cena 2- Apartamento de Celso- Noite.
Pierre leva Lilla para conversar com Maria Letícia.
 
Pierre: Madame, aqui está a moça que a senhora me pediu para que trouxesse. – Eles entram. – Esta é a tal Lilla que te falei.
Lilla: Pule a parte das apresentações, Pierre. A sua patroa já me conhece, e muito bem. – Ela sorri para Maria Letícia. – Só preciso saber o que ela ainda quer comigo.
Maria Letícia: Sei que a Maria José não deve ter engolido o que você fez com a Daniele. E entendo que você me culpe pelo que é que tenha acontecido contigo.
Lilla: Ela me expulsou de casa. – Lilla se senta no sofá. – E acabei me hospedando em um hotelzinho barato com aquela grana que você me deu.
Maria Letícia: E por que voltou? Veio se vingar da travesti por ela ter te botado para fora de casa? Ou estava a minha procura?
Lilla: Só não tinha para onde ir mesmo. O seu dinheiro havia acabado, e não tive mais como pagar o hotel, já que o ponto onde eu estava não rendia muito.
Maria Letícia: Entendo bem como é isso. – Ela relembra o seu tempo de prostituta. – Mas vamos ao que interessa.
Celso: Tenho certeza que você só procurou pela Maria José, porque não tinha mais ninguém a recorre. Pois nem sabia aonde encontrar Maria Letícia, estou certo?
Lilla: É, confesso que tive de passar por cima do meu orgulho para procurar a travesti. Queria mais é que ela tivesse morrido pelo que me fez.
Celso: Sabia que você não tinha a perdoado assim tão fácil. Conheço direitinho as pessoas da sua laia.
Maria Letícia: Pedi para que o Pierre te trouxesse até aqui, pois precisarei da sua ajuda novamente. Como você sabe, a Maria José se apoderou da minha mansão e de tudo o que é meu.
Lilla: E certamente, você irá surrupiar tudo para si de volta. Creio que queira a minha ajuda para isso.
Pierre: Ué, minha rainha. Não acha que sou competente o suficiente para fazer isso só?
Maria Letícia: Não é nada disto, Pierre. Confio muito em você, tenho certeza que não falharia comigo. – Ele engole seco, assustado. – Mas quanto mais gente, melhor.
Lilla: Você deve ter assistido a entrevista da travesti. Fui eu quem armou aquilo tudo, mas a desgraçada gostou de ser entrevistada. Pensei que isto a incomodaria, porém, o tiro saiu pela culatra.
Maria Letícia: Então foi você?
Lilla: Fiquei sabendo que eles tentaram entrevistar ela antes, mas a velha não queria. Foi ai que tive aquela brilhante ideia, mas que não deu certo.
Maria Letícia: Confesso que o meu ódio por aquele projeto de mulher, aumentou ainda mais depois da entrevista.
Lilla: Imagine. Já que ela sambou na sua cara. – Ela brinca. – Agora, fala logo o que quer comigo.
Maria Letícia: A travesti está prestes a ser expulsa da minha casa, de toda a minha realeza. E preciso que me ajude com isso.
Lilla: E o que é que eu terei de fazer? Quer dizer, o que ganharei com isso?
Maria Letícia: Ganhará uma boa quantia em dinheiro, que se usada com cautela, te livrará de ser uma garota de programa para o resto da sua vida.
Lilla: Hm! Gostei. O quer que eu faça? – Maria Letícia olha fixamente para Lilla.
Maria Letícia: Quero que você dê um jeito para tirar todos de casa. Ninguém pode estar lá quando Pierre pedir para que a travesti assine os papéis.
Lilla: Até porque poderia ter algum espertinho que colocasse o seu plano em risco, é isso?
Maria Letícia: Exatamente isso. – Ela sorri.
 
Cena 3- Casa de Regina- Noite.
Rafael discute com a mãe por ela ter maltratado Gaby. Ela conta sobre a conversa que teve com a moça. Rafael sai furioso.
 
Regina: Boa noite para você também, Rafael. – Ela provoca ao vê-lo entrar sem falar com ela. – Cadê a educação que o Dalton e eu te damos?
Rafael: Mãe, por favor, não apela. Sabe muito bem que eu não gostei da sua atitude. O que você falou para a Gaby, é imperdoável.
Regina: Depois que você saiu, nós embarcamos em uma conversa bastante esclarecedora.
Rafael: o que foi que você falou para ela? – Rafael arregala os olhos. – Pelo amor de Deus, você não foi capaz de acabar com o meu relacionamento, foi?
Regina: Você sabe que eu sou completamente contra o namoro de vocês. Meu filho, você só irá sofrer ainda mais. Já não basta o que passou com aquela cachorra da Lilla?
Rafael: A Lilla é passado. Eu só quero a Gaby, o nosso namoro é bem diferente. Você não pode igualar ela a Lilla.
Regina: Sei que a Gaby e a Lilla são moças completamente diferentes, mas as duas tem algo em comum, e que não me agrada muito.
Rafael: Já te disse que a Gaby não é mais prostituta. Esta foi a condição que impus quando começamos a namorar.
Regina: E quem garante que ela te obedeceu? Toda noite ela sai, não sei para onde. Mas quando estou prestes a vir para casa, sempre a vejo saindo.
Rafael: Ela trabalha, mamãe. A Gaby mudou a vida dela por causa do nosso namoro. Ela está trabalhando em um barzinho.
Regina: Descobri também que você vinha mentindo para ela, dizendo que o que teve com a outra não foi nada intenso. Então quer dizer que tentou se matar por brincadeira?
Rafael: Eu não iria dizer para a Gaby que quase me matei por uma ex minha, não é? E eu só não te contei do meu namoro com ela, porque sabia que esta seria a sua reação.
Regina: Ainda bem que você me conhece. Mas, a moça acabou descobrindo de seu envolvimento com a Lilla. Acredita que a vagabunda morava na casa da Maria José?
Rafael: Então ela era da área? E eu pensando que ela era de outro lugar, desgraçada.
Regina: Você as conheceu no mesmo lugar, não é? Parece que as duas trabalhavam no mesmo ponto.
Rafael: Eu voltei lá para... para ver se encontrava a Lilla. E acabei conhecendo a Gaby.
Regina: Foi o que deduzi. E foi a Gaby que o fez esquecer a outra periguete, estou certa?
Rafael: Mãe, foi você quem contou para ela sobre o meu caso com a Lilla?
Regina: Na verdade, eu estava prestes a contar. Porém, a Lilla apareceu e deu com a língua nos dentes. A piranha falou também que... só te deixou porque a Maria José havia expulsado ela de casa por algum motivo, e ela foi para um hotel na zona leste.
Rafael: O que ela fez é inexplicável. Então aquela miserável contou tudo para a Gaby? – Ele pergunta furioso, mordendo os lábios. – Desgraçada, miserável.
Regina: Por favor, meu filho, eu te peço. Esqueça essas moças, procure por alguém certo. Você merece muito mais do que uma prostituta.
Rafael: Independente do que ela seja, o que importa é o coração dela, não o corpo.
Regina: Para com isso. – Ela se revolta. – Nunca vou aceitar esse seu namoro. Então trate de acabar com esse relacionamento agora mesmo.
Rafael: Eu amo ela, e não farei isso. – Ele se levanta revoltado. – Será que não posso chegar em casa e ter um minutinho de paz? – Ele sai e bate a porta.
Regina: Rafael. – Ela corre e abre a porta. – Para aonde é que você vai uma hora dessas?
Rafael: Eu vou para bem longe dos meus problemas. – Ele grita, já na rua.
Regina: Ai meu Deus. Está acontecendo tudo de novo. – Ela chora.
Jonathan: Que barulheira toda é essa, mãe? – Ele aparece com cara de sono. – O Rafael ainda não chegou? – Regina o abraça, chorando.    
 
Cena 4- Mansão Corte Real- Noite.
Maria José conversa com Michele sobre Roberto. Ela pede para que as meninas não trabalhem mais, mas elas insistem em ir.
 
Maria José: Como é que é? Você está dizendo que voltou com o Roberto? Não acredito numa coisa dessas, Michele. Eu estava tão feliz por você.
Michele: Ele me explicou tudo direitinho, José. Aquela cobra da sogra dele inventou toda uma história para nos separar.
Maria José: Ai não. E você nem pensou duas vezes, não é? Foi logo marcando um encontro no motel com ele.
Michele: Fiz isso sem pensar. Porque eu tinha marcado alguns programas, e acabei desmarcando todos por causa dele.
Maria José: Sabe o que eu acho? Você deveria cobrar dele, já que ele praticamente tira dinheiro de você.
Michele: E quantas vezes ele já não me ofereceu? Eu que não deixo. Não tem nem como eu cobrar ele. Posso transar com vários, mas só ele me faz feliz na cama.
Gaby: Estou pronta. Vamos, Michele? – Ela entra no quanto da amiga. – Espero que hoje aquele barzinho esteja bem cheio.
Maria José: Sabe o que eu penso sobre isso? Vocês duas deviam parar de trabalhar, agora nós somos ricas gente.
Gaby: José, não força a amizade, amiga. Quem está rica aqui é você. Nós temos que ter nossa economia, não é Mi?
Michele: Isso não tem nada a ver, Maria. Nós temos que batalhar pelo nosso dinheirinho também, até porque não viveremos a suas custas para sempre.
Maria José: Vocês têm razão, mas é que me incomoda ver vocês trabalhando nesses lugares perigosos. E assim que tiver alguma vaguinha lá no clube, eu encaixo vocês.
Michele: Isto é, se nós atendermos aos requisitos impostos. Porque não queremos trazer prejuízos para você.
Maria José: Vocês nunca trazem prejuízo para mim, suas bobas. – Ela as abraça.
Gaby: Por falar em prejuízo, acho que não foi uma boa ideia trazer a Lilla para dentro da sua mansão. Ela continua a mesma víbora de sempre.
Maria José: Vocês acham que ela terá coragem de aprontar de novo? Agora ela está mais necessitada do que antes.
Gaby: Ela não tem vergonha na cara. Acredita que a vagabunda namorou o Rafael?
Maria José: Como é que é? – Ela fica boquiaberta. – Então... você e a Lilla se envolveram com o mesmo homem? Parece que vocês têm mais algo em comum do que pensam.
Gaby: Deus me livre de ter algo em comum com aquela ridícula.    
Maria José: Ah, tem outra coisa que eu preciso falar com você sobre o Roberto, Michele.
Gaby: Eu vou te esperar lá embaixo amiga, estou morrendo de sede. – Ela sai.
Maria José: Sei que eu não deveria te falar, até porque nem tenho provas para sair falando sobre isso. Mas mesmo assim, preciso compartilhar as minhas desconfianças com você.
Michele: O que foi que o Roberto aprontou, hein José? É algo grave?
Maria José: É sobre uma coisa que fiquei sabendo há algum tempo atrás. Algo bastante suspeito, e que inclusive comentei com a Daniele, antes dela se rebelar contra mim. – Michele a olha atentamente.
 
Cena 5- Mansão Sales Couto de Sá- Noite.
Daniele conta sobre a visita de Antonella, Roberto diz que se acertou com Michele, e que no dia seguinte será o dia de Célia sair da mansão.
 
Daniele: Finalmente, não é papai? Pensei que não voltaria mais para casa. – Ela fala ao vê-lo entrar. – Você não vai acreditar em quem ousou botar os pés aqui dentro.
Roberto: Não vai me dizer que a Simone conseguiu escapulir da clínica. Depois de tanto esforço, isso não pode acontecer.
Daniele: Não foi a Simone, mas sim a sua filha querida, Antonella. Ela veio tirar satisfações sobre a internação ilegal da mãe, e acabou sobrando para mim, já que o senhor não estava.
Roberto: Como é que é? Que audácia daquela moleca. Mas isso não nos atinge, já que estamos em um momento muito bom.
Daniele: Realmente, tudo está saindo como o planejado. Acredita que ela quase levou a velha com ela? Sorte que eu fui muito esperta.
Roberto: Não podemos deixar a Célia sair daqui, quer dizer, amanhã ela deixará esta mansão.
Daniele: É papai, a vitória desta guerra é totalmente sua. – Ela sorri. – Mas aonde é que o doutor estava? Só estou perguntando para ter certeza, já que faço ideia de onde você estava.
Roberto: Fui até a mansão de sua tia. Expliquei tudo para Michele, e ela acabou me perdoando.
Daniele: Fico feliz pelo senhor. – Ela mente. – Até que você merece ser feliz depois de tudo o que passou.
Roberto: Te confesso que doeu, e muito. Eu adorava minha filha, minha mulher, fui capaz de cometer loucuras para manter a minha família unida. Mas percebi que só havia interesse financeiro delas para comigo.
Daniele: Loucuras. O senhor fala tanto que cometeu loucuras para manter a sua família unida, que loucuras são essas? – Ela questiona.
Roberto: Deixar a sua mãe grávida e sumir no mundo, foi uma delas. Eu deveria ter assumido você, não sair de lá sem dar amparo nenhum para sua mãe.
Daniele: Hm! Entendo. Mas o senhor não deve ficar se culpando por causa disso. Tem que esquecer que um dia isto aconteceu. Passado é passado.
Roberto: Imagino o quanto você deve ter sofrido pela minha ausência e também pela morte da sua mãe.
Daniele: Não vou mentir, eu sofri bastante por ter sido criada por uma travesti. Todos me olhavam torto quando eu andava com ela. Quer dizer, as pessoas deviam ficar imaginando sobre como deixaram ela me adotar, ou até mesmo, como os meus pais deixavam eu andar com ela.
Roberto: Você sofreu muito na escola? Presumo que os seus coleguinhas não tenham aceitado por você ter uma tia travesti no lugar dos pais.
Daniele: Pois é. Sofri muito bullying na escola. Mas como eu disse, passado é passado. Não quero ficar remoendo isso.
Roberto: Agora entendo o porquê de você ter chegado aqui me ameaçando. Não via a hora de sumir da casa da sua tia, fugir daquela humilhação toda, não é?
Daniele: Quando eu soube que o senhor estava vivo, fiquei muito feliz. Pois coloquei um ponto final em toda aquela vergonha que eu passava.
Roberto: Depois nós conversamos mais. – Ela checa o relógio. – Vou tomar um banho porque logo mais, irei encontrar a Michele. – Ele a beija antes de subir a escada.
Daniele: A sua hora está chegando, desgraçado. – Ela fala com fúria.    
 
Cena 6- Boate- Noite.
Melissa não cansa de pedir desculpas a Maria Luiza. A moça deixa bem claro que já a perdoou, as duas procuram pelo dono da boate.
 
Melissa: Você me perdoou mesmo, não é? Não me disse aquilo só para me iludir não. – Elas conversam alto, por causa do volume da música. – Não sabe o quão estou feliz por termos nos acertado.
Maria Luiza: Já não te disse que te perdoei? Ainda bem que você enxergou que o que estava fazendo não era certo.
Melissa: Percebi que se fosse comigo, não iria gostar que você pegasse o meu ex. E em uma conversa com a minha mãe, eu acabei descobrindo que não estava fazendo o correto.
Maria Luiza: Pelo menos a luz da sua mente acendeu, antes tarde do que nunca. – Ela puxa Melissa. – Agora, vamos procurar logo pelo dono desta espelunca, antes que fique tarde demais.
Melissa: Você tem certeza de que quer fazer isso? Talvez nós não encontremos nada por aqui. Sem dizer que a publicação já foi removida.
Maria Luiza: Eu sei disso, mas mesmo assim. Não posso deixar uma foto minha rodando por ai.
Melissa: Tá bem. Então vamos nos separar. Pera ai, você sabe quem é o dono daqui?
Maria Luiza: Isto é um problema, já que não faço a mínima ideia de como seja ele. Mas não dizem que quem tem boca vai a Roma? Então vamos sair perguntando por ai.
Melissa: Tudo bem, você pergunta para o pessoal da esquerda, que eu fico com o da direita, ok?
Maria Luiza: Então, mãos a obra. – As duas se separam.
 
Cena 7- Mansão Garcia de Albuquerque- Noite.
Frederico explica o seu plano para a mãe, e ela fica alegre. Antonella chega completamente desestruturada, e Fred diz a moça que ela terá de achar outro lugar para ficar.
 
Frederico: Parabéns, dona Marillu. Se saiu melhor do que eu imaginava. – Ele entra aplaudindo. – O otário acreditou que você está contra o nosso namoro.
Marillu: Olha só onde fomos nos meter. Tem certeza que você quer golpear um homem, filho? Seria mais fácil e menos vergonhoso, se golpeasse uma mulher.
Frederico: Sei disso, mamãe. Mas o Leonardo está completamente apaixonado por mim, e ele é o único que consigo enganar com facilidade.
Marillu: Espero que ele não descubra o nosso plano. E vocês vão mesmo se casar?
Frederico: Se tudo der certo, sim. Ele já falou comigo sobre isso. E agora as coisas entre nós ficarão bem mais intensas, já que a minha mãe “não aceita” o nosso relacionamento.
Marillu: Você falou que o pai dele é barra pesada, não acha isso arriscado, Frederico?
Frederico: O pai dele não está nem ai para ele. Quer mais é que ele se exploda.
Marillu: Se você está dizendo, então tá. – Ela faz uma pausa, e lembra de algo. - Fred, amanhã nós iremos sair cedo, estou avisando porque sei que não vai gostar se eu for te acordar.
Frederico: Acordar cedo? E para onde é que nós vamos? – Ele estranha.
Marillu: Amanhã você saberá. – Antonella entra completamente desestruturada. – Querida, e como é que foi lá?
Antonella: Foi horrível, Marillu. – Ela senta ao lado dela. – Minha mãe foi internada e eu estou com as pernas e mãos atadas. Não há nada que eu possa fazer.
Marillu: Internada? Por quê? Ela está doente, ou algo do tipo?
Antonella: Nada disso. Não é sobre este tipo de internação que eu estou falando. Minha mãe está internada em uma clínica psiquiátrica.
Marillu: Meu Deus! E como isso foi acontecer? Por que internaram a Simone? O que foi que ela fez?
Antonella: Não vale a pena conversar sobre isso. – Ela chora. – Até porque nem estou com estômago para falar sobre o assunto.
Frederico: Antonella, eu respeito o seu problema. Mas tem um assunto muito delicado, que nós precisamos tratar o mais depressa possível.
Antonella: Tudo bem, Fred. Pode falar. – Marillu olha para o filho, pedindo para que ele não fale nada.
Frederico: É que minha mãe e eu estamos passando por uma crise financeira. – Ele é delicado. – E nós... não estamos tendo mais dinheiro para manter a mansão, seremos obrigados a nos desfazer dela. Então, acho melhor deixar avisado... você terá que procurar outro lugar para ficar.
Antonella: Tudo bem. Eu entendo a situação de vocês. Agora, eu só queria descansar um pouco. – Ela se levanta. – Tenham uma boa noite. – Ela sobe a escada.
Marillu: Você não podia esperar até amanhã? Não viu o estado da moça?
Frederico: Só deixei ela avisada.       
 
Cena 8- Rua- Noite.
Rafael vê Gaby prestes a entrar em um carro. Ele grita por ela.
 
Rafael: Por que o Senhor é tão injusto comigo, meu Deus? Será que não posso ser feliz? – Ele fala consigo mesmo, andando pela rua. – Tudo estava muito bom para ser verdade. – Ele vira uma esquina, e dá de cara com algumas garotas de programa, que o aborda. – Não, eu não quero fazer programa nenhum. – Ele volta a andar quando vê uma garota de programa se aproximando de um carro. – Pera ai. Aquela ali não é a... Gaby? – Ele olha atentamente. A moça conversa com um homem, que está dentro do carro. Ela então se levanta, e é possível ver seu rosto. – É ela mesmo. – Ele abre a boca, surpreso. Gaby está pestes a entrar no carro quando ele grita por ela. – GABY. – Ele grita com toda a sua voz. Ela o olha assustada.
 
CONTINUA...




....................................................................................
Rodrigomes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Wagner Nascha
Gold


Idade : 20
Cidade : Formosa do Rio Preto

MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 47   29.01.15 10:31

Iiiii Rafael acaba de descobrir as mentiras de Gaby, e agora gentché? Surprised
Frederico mostrando que aprendeu direito a lição ensinada por Marilu, coitado do Leonardo que ainda acredita nele Sad o galinha quer somente golpea-lo...
Lilla e Maria Letícia juntas, Crying or Very sad coitada da Maria José o bonde do mau está formado contra ela...
Minha hipótese sobre Daniela continua a mesma...
Veremos nos próximos capítulos de Realeza king Razz
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://webficção.forumeiros.com
Rodrigomes
Gold


Idade : 18
Cidade : São Paulo

MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 47   29.01.15 11:37

Wagner Nascha escreveu:
Iiiii Rafael acaba de descobrir as mentiras de Gaby, e agora gentché? Surprised
Frederico mostrando que aprendeu direito a lição ensinada por Marilu, coitado do Leonardo que ainda acredita nele Sad o galinha quer somente golpea-lo...
Lilla e Maria Letícia juntas, Crying or Very sad coitada da Maria José o bonde do mau está formado contra ela...
Minha hipótese sobre Daniela continua a mesma...
Veremos nos próximos capítulos de Realeza king Razz

Será que a Gaby nunca ouviu falar que mentira tem perna curta? E agora?? :O
Fred está conseguindo enganar o Léo direitinho, confesso que até eu caí na lábia dele kk Vamos ver se ele conseguirá golpeá-lo.
Essa dupla não é muito boa, Maria José tem que tomar muito cuidado com esse bonde. 
Veremos se a sua hipótese irá se confirmar. hehe
Obrigado por comentar, Wagner Very Happy

....................................................................................
Rodrigomes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Realeza || Capítulo 47   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Realeza || Capítulo 47
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Web Novelas :: Realeza-
Ir para: