InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Vidas Vazias || Capítulo 1

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Eduardo Lobo

avatar

Idade : 19
Cidade : Redenção

MensagemAssunto: Vidas Vazias || Capítulo 1   14.02.14 20:20


Vidas Vazias


As pessoas preferem o dinheiro do que a felicidade. Será então porque a teoria que o ser humano vive em busca da felicidade. Será que a felicidade que nós procuramos e o tal poder que o dinheiro trás, não importa o que tenha que fazer para conseguir o mesmo? Esses que procura o "felicidade carnal" não percebe que e infeliz, porque quando chegar a hora da morte percebera que sua a vida não valeu nada, que foi apenas uma vida vazia, preenchida por dinheiro, mas nem um afeto.

Rômulo está em seu quarto que fica no segundo andar de sua casa, vai até a varanda olha seu jardim e fica um pouco admirando a paisagem, ater sentir uma dor no peito, colocando a mão em seu peito se vira e se depara com uma pessoa. Amedrontado olha para essa pessoa.

Rômulo- O que você está fazendo aqui? E essas roupas e luvas pretas?

Ele segura mais firme no peito e vai em direção a uma mesinha onde fica seus remédios, pega um copo e coloca água, pega seu remédio e vai em direção a varanda, abre o vidro do remédio, pega um comprimido, engole e bebê a água, deixa o vidro de remédio cair no chão espalhando todos os comprimidos no chão, deixa o copo com um pouco dágua na varanda e se abaixa para ajuntar os comprimidos, no copo se reflete a imagem da pessoa de preto se aproximando sacando uma arma com um silenciador na ponta. Rômulo termina de ajuntar os comprimidos se levanta e toma um susto.

Rômulo- Você e doído, mas não seria capaz de fazer isso. Larga essa ar...

Não espera nem terminar a frase e atira no peito de Rômulo que caí da varanda levando o copo e espalhando todos os comprimidos que estava no vidro no ar que caí junto au seu corpo no chão. Rômulo com olhar vidrado, esparramado pelo chão, começa a escorre sangue do seu corpo. O assassino volta pró quarto e pega num jarro uma rosa branca, volta a varando e joga a rosa, que caí do lodo da cabeça de rômulo em cima do sangue que banha a causada do belo jardim.
O assassino, com bastante calma como se não tivesse acabado de tira a vida de uma pessoa, sai do quarto e lentamente fecha a porta.

Meses antes...

Está um dia ensolarado no Rio de Janeiro. No calçadão de copacabana as pessoas correm, na praia as belas morenas tomam sol de bumbum virado par cima, logo adiante belos caras só de sunga jogando vôlei e no mar a banhista tomam banho em quanto os surfistas aproveitam as andas do mar. No aeroporto chega um jatinho particular, dele desce Elena com uma bolsa que au sair se depara com o sol quente do Rio de Janeiro e logo coloca a mão na bolsa e tira seu óculos de sol, coloca ele no rosto e termina de descer do jatinho. Logo em seguida desce também seu fiel escudeiro, Vens, com várias malas. Elena olha firme para Vens.

Elena- Aqui e hoje que minha vingança começa.

Vens- Para de pensar em vingança e vem pegar sua mala.

Elena- Vamos logo para a reunião que vai começar daqui a pouco.

Vens- Calma... Embora pareça que sou burro de carga, mas não sou, não.

Na mansão dos Albuquerque, todo mundo está reunido ao redor da mesa com um belo café da manhã. Alberto olha no relógio e ver que está atrasado, toma um último gole de café e se levanta:

Alberto- Pai estamos atrasados para reunião com a nova acionista da impressa.

Vilma- Mas já?!

Rômulo se levanta ajeitando o palito.

Rômulo- Sim querida. Embora pareça cedo mas já e quase nove horas.

Alberto- Vamos?

Rômulo- Vamos.

Vilma- Você não está esquecendo de uma coisa?

Fala com um leve sorriso no rosto. Rômulo se aproxima dela e dale um beijo:

Rômulo- Feliz aniversário, amor!

Nesse mesmo momento a porta que fica na sala au lado e aberta, entra Miguel com cara de ressaca, provavelmente da noitada na noite passada. Miguel se dirige até a mesa:

Miguel- Bom dia!

Rômulo no mesmo estante olha para ele com olhar de desaprovação:

Rômulo-  Isso e horas de chegar em casa?!

Miguel- Pai, eu não estou afim de ouvir o seu sermão agora. Depois que eu dormi eu desço e você me da um sermão eu finjo que eu estou prestando atenção. Feliz aniversário mãe!

Miguel nem espera que seu pai abra a boca, vai embora:

Rômulo- Ainda dou uma lição nesse garoto!

Vilma- Deixa ele, Rômulo.

Alberto que está de pé observando a cena avisa:

Alberto- Já estamos atrasados para a reunião pai.

Alberto da uns passos em direção a porta:

Vilma- Cadê o beijo de sua mulher, Alberto?

Ele se vira e se aproxima de Lívia e dale um beijo no rosto. Lívia sem grassa finge se contentar com o beijo seco do seu marido.

Lívia- Tchau!

Ele sai e seu pai o a segue.

Na sala de reunião da empresa de tecido Albuquerque está todos os seis acionista Rômulo, Alberto, Ribeiro, Arnon, Magnum e Herege. Rômulo chama sua secretaria, Mirian, a secretaria chega.

Rômulo- A nova acionista já chegou?

Mirian- Sim, senhor.

Rômulo- Mande ela entra.

Secretaria sai e logo em seguida entra Elena que au entra encanta todos os homens principalmente Alberto que não consegue e nem quer disfarça o desejo por ela. Ela está de vestido e batom vermelho o cabelo amarrado, o corpo perfeito e olhos e a boca encantadores. O momento mágico e interrompido pela voz de Rômulo:

Rômulo- Es aqui a nova e bela acionista da empres, ela tem 35% tornando-a a segundo maior acionista da empresa. Esta aqui e Elena aqui e Alberto meu filho, Ribeiro, Arnon, Magnum, Herege e eu Rômulo.

Elena- Quero dizer que e um prazer está aqui e espero que nos possamos fazer essa empresa crescer ainda mais.

Aberto- O prazer e todo nosso. Agora sente-se para nós começarmos a reunião.

Elena senta com toda delicadeza, sorrindo para Alberto.

A reunião começa com ânimo total, claro com essa bela mulher na sua frente que não ficaria. Depois de terminar a reunião a palavra fica com Rômulo:

Rômulo- Espero que compareça a festa de aniversário da minha mulher.

Elena- Não perderia essa festa por nada.

A noite cai no Rio de Janeiro...

Na casa dos Albuquerque Vilma prepara sua festa de aniversári quando seu marido e filho chega. Rômulo vai até ela:

Rômulo- Como vai os preparativos da sua festa de aniversário?

Lívia- Tudo perfeito! Eu só vou organizar algumas cozinhas e vou me arrumar para poder está bem elegante para parecer no meio da festa. E como foi a reunião com a nova acionista da empresa?

Rômulo- Foi ótimo! Eu convidei ela para vim a sua festa de aniversário.

Lívia- E bom torna ela amiga da família.

Rômulo- E verdade. Agora vou para o sauna para descansa antes de me prepara para festa.

Nesse mesmo momento Miguel desses as escadas arrumado não pra uma festa de aniversári, mas sim para uma balada. Ele vai em direção para a porta mas seu pai vai em sua direção e segura em seu braço.

Rômulo- Onde você vai?!

Miguel- Eu acho que a resposta dessa pergunta e óbvia. Eu vou sair.

Rômulo- Você vai trocar uma festa em família por uma festa?

Miguel- Não e por toda a família e por você.

Miguel puxa o braço se livrando do seu pai e sai sem dizer mais nada.

Rômulo- Moleque!

Vilma se aproxima de Rômulo e segura em seu ombro:

Vilma- Calma querido, isso e coisa da idade, vai passar. Vai para sauna relaxar. Eu vou mandar minha secretaria organizar o resto da festa para eu ir logo me produzir.

No a a apartamento de Elena. Ela está de frente para o espelho e Vens atrás dela dando palpite.

Elena- Você acha que este vestido está bom?

Vens- Ele está bom, mas não passa a mensagem de que você e poderosa. Já sei! Vou pegar um vestido perfeito para essa ocasião.

Ele sai e trás um lindo vestido brando.

Vens- Com este vestido você vai arrasa. E sensual mas não e vulgar.

Elena- Perfeito!

Elena já vestida, passando um batom vermelho, olhando no espelho:

Vens- Você vai arrasar mais do que furacão Katrina!

Elena- Única coisa que vou arrasa e com aquela família.

Vens- Por que você odeia tanto aquela família em? Desde que chegou não para de alimentar o ódio por essa família.

Elena- A muito tempo eles destruíram minha vida, agora eu irei fazer o mesmo.

Vens- O que você irá fazer?

Elena- Fazendo a única coisa que pode destruir aquela família.

Vens- O que?

Elena-  E expor os esqueletos que eles guardam a sete chave no armário.

Vens senta na cama e continua a indagar a vida de Elena.

Vens- O que eles fizeram para você ter tanto ódio deles?

Elena- Eu cresci naquela casa. Minha mão foi empregada naquela casa, quando eu completei dezenove anos eles assassinaram minha mãe e destruíram minha vida logo em seguida.

Vens- Que horror! Mas como eles não te reconheceram?

Elena- Anos atrás sofri um acidente que deformou um pouco meu rosto tive que fazer uma plástica que mudou bastante meu rosto e como me casei passei a usar o sobrenome do meu falecido marido.

Elena termina de se maquiar e se vira para Vens.

Elena- Como estou?

Vens- Divina!

Miguel está em alta velocidade no seu carro de luxo pret, com seus amigos Aline e Lino, todos estão com latinhas de cerveja na mão, embriagados. Miguel dirige o carro enquanto vira a latinha de cerveja na boca. O carro em alta velocidade acaba alcançando um caminhão e como Miguel não que reduzir a velocidade do carro ele tenta fazer uma ultrapassagem, mas acaba se deparando com um carro vermelho que vem em contramão, Miguel desvia mas acaba capotando até cair na ribanceira Miguel e Aline e jogado para fora do carro mas Lino continua lá dentro, o carro continua capotando até bater numa árvore. Miguel caído no meio do mato com os olho um pouco aberto ver o carro todo destruído e ouve os gritos de socorro de Lino, vindo do carro o grito de Lino e calado para sempre quando o carro explode com ele dentro. Miguel olha as labaredas subir, mas sua visão começa ficar embasada cada vez mais até que ele desmaia.
Na casa dos Albuquerque começa a chegar os convidados entre eles está Elena e Vens que au entra na casa e logo recebida por Rômulo.

Rômulo- Seja bem vinda!

Elena- E um prazer está no aniversário de sua esposa! Onde ela está? Gostaria de conhecê-la.

Rômulo- Ela deve está terminando de se arrumar. Agora me de licença preciso receber o resto dos convidados. Aproveite a festa.

Rômulo sai e logo em seguida Vens chega perto do ouvido de Elena.

Vens- Não tem medo de levar uma picada dessas cobras?

Elena- Para destruir o ninho das cobras precisa entra no ninho delas.

Vens- Agora me de licença eu vir uns bofes maravilhoso ali.

Vens sai e Elena começa lembrar de quando ela era empregada naquela casa exatamente a onze anos atrás no dia que Vilma completou trinta e cinco anos. Elena tá servindo champanhe para os convidados quando de repente ouve um barulho de fora da casa e logo em seguida um grito, todos os convidados corre e percebem um corpo caído no chão provavelmente caído da janela. Elena abre espaço entre os convidados e au ver que e a pessoa que está no chão ela começa a chora e gritar: "mãe!". Ela abraça o cadáver da mãe. Os convidados abismado com a cena não sabem o que fazer. Vilma abre espaço entre os convidados para ver a cena, au ver Elena abraçada com a mãe Marcela, morta não expressar uma única dor. A lembrança de Elena e interrompida pela voz de Vilma que desse as escadas.

Vilma- E você que e a Elena?

Elena olha para ela com um leve sorriso falso no rosto:

Elena- Sim, sou eu mesma.

A cena congela no rosto de Elena...

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Wilson Bernardo xvc

avatar

Idade : 34
Cidade : Santa Isabel

MensagemAssunto: Re: Vidas Vazias || Capítulo 1   14.02.14 22:17

Parabéns pela estréia gostei do capitulo que tudo seja um sucesso
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Eduardo Lobo

avatar

Idade : 19
Cidade : Redenção

MensagemAssunto: Re: Vidas Vazias || Capítulo 1   14.02.14 22:49

Obrigado, Wilson! Espero que você goste dos próximos capítulos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Wilson Bernardo xvc

avatar

Idade : 34
Cidade : Santa Isabel

MensagemAssunto: Re: Vidas Vazias || Capítulo 1   28.02.14 19:32

Que capítulo fantástico heim... este acidente do Miguel a morte do Lino bem descrito e quando comecei a ler a trama,  quando foquei em Elena me fez lembrar sabe de qual personagem interpretando sua Elena? A maravilhosa Regina Duarte Esta web série esta de parabéns...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Vidas Vazias || Capítulo 1   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Vidas Vazias || Capítulo 1
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Webs Encerradas :: Canceladas :: Vidas Vazias-
Ir para: