InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Maria Madalena || Capítulo 62

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Vinícios
Administrador
Administrador
avatar

Idade : 28
Cidade : Americana

MensagemAssunto: Maria Madalena || Capítulo 62   14.02.14 22:10


Maria Madalena - Capítulo 062


Rua de São Paulo. De manhã.
O carro de Guilherme está parado em uma blitz. E Guilherme espera o policial voltar com seus documentos.
O policial se aproxima.
POLICIAL: O senhor pode descer do carro, por favor!
GUILHERME: Algum problema?
POLICIAL: Desça do carro, por favor!
GUILHERME: Ok – disse abrindo a porta do carro, e depois saindo do mesmo.
POLICIAL: O senhor pode abri o porta-malas?
Guilherme: Claro! – disse se inclinando para dentro do carro para destravar o porta-malas.
O policial olha no porta-malas. E vê vários materiais para preparar explosivos. Dinamites, fios e varias outras coisas. 
POLICIAL: Você está preso!
GUILHERME: Como assim preso.
O policial puxa Guilherme para que ele veja o porta-malas.
GUILHERME: Isso não é meu!
POLICIAL: Claro que não! – disse rindo.
GUILHERME: Eu estou falando a verdade, isso não é meu, eu não sei como foi para ai.
O Policial encosta Guilherme contra o carro, com os braços pra trás.
POLICIAL: Você tem o direito de permanecer calado – disse colocando a algema nos braços de Guilherme. – Tudo que você disser...
...


Apartamento de Gabriel. Sala. De manhã.
GABRIEL: E então o resolveu?
EDUARDA: Não, eu acho melhor não.
GABRIEL: Entendo.
EDUARDA: Acho melhor eu ir embora.
GABRIEL: Ok.
Gabriel abre a porta para Eduarda.
GABRIEL: Ah! O que você queria falar comigo mesmo.
EDUARDA: Sobre suas fotos. Estamos preparando uma exposição na galeria onde trabalho, onde vamos expor fotos de vários artistas. Acho que seria legal expor as suas também.
GABRIEL: Hum! Eu não sei, não sei se minhas fotos são tão boas a ponto de expô-las.
EDUARDA: Deixa de ser tão modesto, você é muito talentoso, tão como pintor, quanto como fotografo, eu já vi umas fotos suas também.
GABRIEL: Onde?
EDUARDA: Um dias desses, quando vim aqui no seu apartamento, tinha umas fotos em cima de uma mesa.
GABRIEL: Entendi.
EDUARDA: Mas claro que preciso ver muitas outras, para escolhermos algumas para que eu possa mostrar para a minha chefe.
GABRIEL: Ok então. Vou confiar em você. Vamos ver se dá pra montar uma exposição. Você pode da uma olhada nas fotos agora.
EDUARDA: Hum! – ela pensa um pouco. – Pode ser.
...


Em frete ao apartamento de Bruno/Bernardo. De manhã.
Artur encosta o carro em frente ao prédio onde fica o apartamento de Bruno.
Bruno que já estava a espera de Artur pera a mochila e entra no carro de Artur.
ARTUR: O Bernardo não vem?
BRUNO: Não. Ele sai com um carinha ai que ele conheceu.
ARTUR: E você deixou ele sair assim com qualquer um. É perigoso pra quem é gay aqui em São Paulo, você não ouviu falar desses grupinhos que gostam de espancar os gays.
BRUNO: Não to entendo o porquê dessa reação agora. E o Bernardo é bem grandinho, ele sabe se virar muito bem.
ARTUR: É só preocupação, você sabe que vocês dois são como irmãos pra mim.
BRUNO: Eu sei sim, mas beleza. Vamos nessa. Partiu praia. As gatinhas já estão esperando.
ARTUR: Certo as gatinhas. Partiu praia.
...


Apartamento de Gabriel. Sala. De manhã.
GABRIEL: Bom, vamos começar por essa foto – disse clicando em uma pasta no computador. – São fotos de paisagem e pessoas no cotidiano, que tirei quando foi pra Amazônia.
EDUARDA: Ok.
GABRIEL: Você quer um café ou algo do tipo.
EDUARDA: Pode ser café mesmo.
GABRIEL: Certo, vou passar um café pra gente. 
Eduarda fica sentada em frete ao computador olhando as fotos.
...


Apartamento de Gabriel. Sala. De manhã.
Após terminar de vê as fotos da pasta que Gabriel indicou, Eduarda tenta escolher outra pasta de fotos para conferir. Ela clica em uma chamada “corrida”.
EDUARDA: Meu Deus! Que homem é esse. – disse ao ver a primeira foto.
A primeira foto é de Gabriel, sem camisa, provavelmente ele tirou de se mesmo. 
GABRIEL: O que? – ele grita da cozinha.
EDUARDA: Não é nada! – ela responde meio que gritando também.
Eduarda continua a vê as fotos, passando uma por uma. Fotos de paisagem, fotos de pessoas com quem Gabriel cruzou pela rua enquanto corria. Até que ela para em uma, uma foto de um carro.
EDUARDA: Parece o carro da minha mãe.
Ela passa para próxima foto. Na foto Gabriel aproximou mais a o zoom da câmera, e nela era possível ver as pessoas dentro do carro.
EDUARDA: Minha mãe e o Guilherme, o que eles estavam...
Próxima foto: Na foto Guilherme está se inclinado no banco do carro para beijar Elizângela.
EDUARDA: Não! – Disse se levantado, empurrando a cadeira pra trás. A cadeira cai no chão. – Não pode ser!
...


Apartamento de Gabriel. Sala. De manhã.
Gabriel ao ouvir o barulho da cadeira caído no chão entra na sala par ver o que aconteceu.
GABRIEL: Duda, tudo bem?
EDUARDA: Eu... Eu... Quando que? – disse chorando - Desde quando que?
Gabriel se aproxima, pois não entendia o que ela estava tentando dizer. Ao ver a foto no computador e corre e desliga o monitor.
GABRIEL: Não era pra você ter visto.
EDUARDA: Quando foi isso?
GABRIEL: Pouco depois que vocês se mudaram.
EDUARDA: E porque você não...
GABRIEL: Não cabia a mim te contar uma coisa dessas e sim a eles. – disse se aproximando dela, como que se quisesse abraça-la.
Eduarda empurra Gabriel.
EDUARDA: Mesmo assim, você devia ter me contado. E porque que você tirou essas fotos, porque que você as tem, o que você tava pretendendo, ia chantagear o meu marido.
GABRIEL: Claro que não, você ta viajando. 
EDUARDA: Será que to mesmo?
GABRIEL: Eu só tirei porque queria confirmar se era eles mesmo, e depois eu até esqueci que tinha tirado. Eu...
O telefone celular de Eduarda toca. Ela tira do bolso e atende.
Eduarda (ao telefone): O que? – ela para ouvir a outra pessoa. – Como? Ele o que?...
GABRIEL: O que foi? O que aconteceu?
EDUARDA: O da delegacia, o policial esta me dizendo que o Guilherme foi preso. – ela volta a ouvir o que o policial está dizendo.
GABRIEL: Como que?... – ele para ao ver o sinal de Eduarda pedindo silencio.
Eduarda (ao telefone): Eu sei sim. Obrigada policial.  – ela desliga o telefone.
GABRIEL: E ai o que aconteceu?
EDUARDA: Eu não entendi direito, o policial só falou que ele foi preso, parece que ele carregava umas coisas no carro... Eu não seu. Eu preciso ir pra delegacia agora.
GABRIEL: Eu vou com você.
...


Delegacia de Policia. De tarde.
O policial abre a porte de acesso as celas e entra com Eduarda.
Eduarda para em frete a cela de Guilherme.
GUILHERME: Duda meu amor!
EDUARDA: Como você pode fazer isso comigo?
GUILHERME: Duda eu juro, eu sou inocente, eu não sei como aqueles coisas foram parar no meu carro.
EDUARDA: O que? Eu não... – ela balança a cabeça em negativa. Eu to falando da minha mãe.
GUILHERME: O que tem sua mãe?
EDUARDA: Eu já sei de tudo
GUILHERME: Tudo o que?
EDUARDA: Eu já sei que vocês tem um caso.
GUILHERME: Duda eu posso explicar!
EDUARDA: Explicar o que, que a filha não foi suficiente pra você e você precisou pegar a mãe também.
GUILHERME: Não foi assim que...
EDUARDA: Quer saber eu não quero saber... Tomara que você apodreça na cadeia. – disse se virando e caminha em direção da porta por onde entrou.
GUILHERME: Duda espera! Duda! Meu Amor! Eu posso explicar! DUDA!
...


Apartamento de Madalena/Anita. De tarde.
LUCAS: Que bom que a Anita levou o Léo pra da uma volta né – disse para Miara madalena beijando-a.
MADALENA: Eu não sei de onde ele tirou essa ideia de leva-lo ao cinema.
LUCAS: Nem eu! – disse tentando beija-la novamente.
MADALENA: Calma Lucas! – disse tentando afasta-lo.
LUCAS: Eu te amo!
MADALENA: Eu também te amo!
LUCAS: Você ainda não respondeu minha pergunta – disse pegando-a de surpresa e puxando para perto, em seguida da outro beijo.
MADALENA: Que pergunta?
LUCAS: Você quer se casar comigo?
MADALENA: Você tem certeza disso.
LUCAS: Como nunca eu tive na minha vida. Você é a pessoa mais importante da minha vida.
MADALENA: SIM!
LUCAS: Sim? – disse parando de tentar beija-la e olhando bem nos olhos dela.
MADALENA: Sim, eu aceito me casar com você.
Lucas sorrir de tanta felicidade e a beija novamente, e Maria Madalena se entrega ao beija.
...


Praia do Guarujá. De tarde.
Artur está sentado em uma cadeira, bom uma latinha de cerveja na mão.
BRUNO: Acho que aquela gatinhas ali – disse indicando duas garotas próximas da água. – Vamos da um mergulho, ai na volta falamos com elas.
ARTUR: Vai você, não to muito afim.
BRUNO: O que é que você tem? Desde a hora que chegamos aqui que você ta assim de bico.
ARTUR: Eu não to de bico.
BRUNO: Claro que tá. E desde quando você dispensa duas gatinhas como aquelas.
ARTUR: Só to de cabeça meio cheia – disse imaginado Bernardo com um carinha qualquer ai.
BRUNO: Com o que?
ARTUR: Com nada.
BRUNO: Agora vai ficar de segredo comigo.
ARTUR: Não é isso. Quer saber, vamos dar esse mergulho – disse colocando a latinha de cerveja no chão.
BRUNO: A bom! Pensei que meu amigo, meu parceiro de farras não tinha vindo pra praia comigo.
...


Apartamento de Madalena/Anita.
MADALENA: Mas temos muito o que conversar antes.
LUCAS: Certo. Mas conversamos depois.
MADALENA: Eu acho melhor conversamos logo.
LUCAS: Acho melhor você me beijar isso sim – disse voltando a beija-la.
Maria Madalena se conforma passa a beijar Lucas com toda intensidade e amor que tem a oferecer.
Lucas pega Maria Madalena no colo.
LUCAS: Onde que é o quarto mesmo – ele ri.
MADALENA: Por ali – disse apontando para o corredor de acesso aos quartos.
Os dois voltam a se beijar.
...


Delegacia de Policia. De tarde.
EDGAR: Eu não esperava isso de você...
Guilherme se vira.
GUILHERME: Foi você não é? É tudo sua culpa!
EDGAR: Eu não sei do que você está falando.
GUILHERME: Foi você quem armou pra mim ser preso, eu posso até arriscar que foi você quem explodiu a agencia.
EDGAR: E se tiver sido o que você vai fazer.
GUILHERME: Eu vou contar tudo pro delegado.
EDGAR: E você acha mesmo que alguém vai acreditar em você?
GUILHERME: Você não pensou na Duda.
EDGAR: Quem é você pra falar da minha filha, logo você que tinha um caso com a mãe dela.
GUILHERME: Você disse que não ia contar pra ela.
EDGAR: E eu não contei.
GUILHERME: Eu sei que você contou, ela veio aqui e falou que sabia de tudo.
EDGAR: Como assim tudo?
GUILHERME: Ela sabe que eu tive um envolvimento com a Elizângela.
EDGAR: Um envolvimento – ele ri. – Sei! Mas não foi sobre isso que eu vi falar.
GUILHERME: O que é que você quer? Já não foi suficiente me sequestrar, mandar me espancarem e me ameaçar para ir embora de São Paulo.
EDGAR: Eu quero quer você assuma a culpa pela explosão.
GUILHERME: Você o que?
EDGAR: Isso mesmo que você ouviu.
GUILHERME: E o que te faz pensar que eu vou fazer o que você quer.
Edgar faz sinal para que o policial se aproxime.
O policial para em frete a cela de Guilherme e abre a porta.
GUILHERME: O que você vai fazer...
...


Apartamento de Madalena/Anita. Quarto. De tarde.
Lucas Coloca Maria Madalena na cama e começa a torar a roupa.
Na cama Maria Madalena faz o mesmo.
LUCAS: Hum! Você e o Beto?
MADALENA: Eu e o Beto o que?
LUCAS: Vocês dormiram juntos? E nessa cama?
MADALENA: Você tem certeza que quer falar sobre isso agora?
Lucas não responde, mas fica parado, só de cueca, olhando pra ela.
MADALENA: E seu eu tiver dormido com ele, eu gostava muito dele, o Beto foi um grande amigo e muito importante pra mim. E você não pode dizer nada, ou vai dizer que você não dormiu com aquele enojado da sua namora.
LUCAS: Ex. Ex-namorada.
Lucas se deita na cama ao lado de Maria Madalena e os dois se beijam.
Ele termina de tirar a roupa dela e depois tira a cueca, tudo envolto em muitos beijos.
...


Apartamento de Gabriel. Sala. De manhã.
GABRIEL: Você tem certeza que não quer ir pro seu apartamento.
EDUARDA: Tenho. Não to afim de ficar sozinha agora.
GABRIEL: Entendo.
Eduarda vê os quadros das garotas peladas.
EDUARDA: Quer saber. Eu quero que você me pinte assim também – disse começando a desabotoar a blusa.
GABRIEL: Assim como – disse se virando para olhar pra ela. – Ah! – disse ao vê-la sem blusa.
EDUARDA: Você não quer?
GABRIEL: Claro que eu ia adorar te desenhar, mas acho que você não está pensando direito agora.
EDUARDA: Claro que to – disse abaixando a calça, ficando só de calcinha.
GABRIEL: Você tem certeza disso?
EDUARDA: Certeza não tenho, mas se não for agora, acho que não vai ser nunca.
GABRIEL: Certo. Então vou pegar meu material de pintura.
...


Delegacia de Policia. De tarde.
O Policial acompanha o advogado de Guilherme até a cela onde ele está.
Chegando em frete a cela os dois se surpreendem.
ADVOGADO: O que é isso?
POLICIAL: Eu não sei – disse tentando abri a cela as pressas.
Dentro da cela, Guilherme está pendurado no teto, com o lençol da cama enrolado no pescoço.
...
Continua...
 
 
  


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Bernado

avatar

Idade : 27
Cidade : São Paulo

MensagemAssunto: Re: Maria Madalena || Capítulo 62   15.02.14 11:02

Ótimo capítulos, mas esperava que focasse mais na Maria Madalena e no Lucas agora que está na reta final.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Maria Madalena || Capítulo 62
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Webs Encerradas :: Finalizadas :: Maria Madalena-
Ir para: