InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Vidas Vazias || Capítulo 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Eduardo Lobo

avatar

Idade : 19
Cidade : Redenção

MensagemAssunto: Vidas Vazias || Capítulo 2   15.02.14 20:58

Vidas Vazias


A lembrança de Elena e interrompida pela voz de Vilma que desse as escadas.

Vilma- E você quem e a Elena?

Elena olha para ela com um leve sorriso falso no rosto.

Elena- Sim, sou eu mesma.

Vilma termina de descer as escadas e se aproxima de Elena.

Vilma- Muito bem vinda, Elena!

Elena- E um prazer vim em sua casa.

Vilma- Vem que eu quero apresentar minhas amigas para você.

Vilma leva ela para conhecer as amigas.

O telefone da casa toca e a Minerva a matriarca da família e a única da família que tem bom censo, atende o telefonema.

Minerva- Alô.

E um policial do outro lado.

Policial- Você e algum parente de Miguel Albuquerque?

Minerva- Sim, sou avó dele. O que aconteceu?

Policial- Ele sofreu um grave acidente de carro e foi encaminhado para o hospital Arlindo Ribeiro.

Minerva- Aí meu Deus! Estou indo para lá imediatamente!

E desliga o telefone, olha para Lívia sua filha e ver ela apresentando Elena para suas amigas. Disfarçadamente pega sua bolsa e sai sem avisar ninguém.

Rômulo faz gesto disfarçado para sua secretaria Miriam e sobe as escadas de sua casa e ela logo em seguida segue ele. Miriam chega na porta do quarto de Rômulo, olha para os lados, não ver ninguém e entra. Au entra Rômulo agarra ela e a beija ardentemente, joga ela na cama, tira o paletó e sobe em cima dela e a beija. Lívia está na porta com um tablet na mão vendo a cena dentro do quarto com uma câmera escondida, ela sem demonstra uma reação ao ver a cena, fala em baixo tom:

Vilma- Cachorros!

Desliga o tablet e sai com toda sua elegância como se não tivesse acontecido nada.

Um médico leva Minerva para ver o neto que já está acordado na cama do hospital. O médico abre a porta e ela entra. Miguel olha para ela.

Minerva- Como você está meu neto?

Minerva senta do lado do neto e pega em sua mão.

Miguel- Na medida do possível estou bem.

Minerva-  Veja o que você fez de sua vida Miguel!

Miguel- O que aconteceu com Aline e Lino?

Minerva sem saber o que dizer olá para o médico que está parado olhando. O médico balança a cabeça afirmando que ela pode contar.

Minerva- Lino não resistiu au acidente e Aline está nesse mesmo momento fazendo uma cirurgia.

Miguel leva a mão ao rosto e começa a chora.

Miguel- Meu Deus, o que eu fiz com minha vida!

Minerva começa a chora junto com ele. O médico interrompe a cena.

Médico- Desculpa interromper mas preciso conversa com você Minerva a sois.

Minerva- Não da para ser depois?

Médico- Não, infelismente tem que ser agora.

Os dois já fora do quarto de Miguel.

Minerva- O que de tão urgente você quer conversa comigo?

Médico- Por conta da pancada na cabeça fizemos exames que acabou revelando um tumor na cabeça de Miguel e... a... situação dele não podia ser pior.

Minerva- Como assim não podia ser pior?!

O doutor sem jeito abaixa a cabeça e não consegue dizer nada.

Minerva- Me responde pelo amor de Deus!

Médico- Desculpa pelas minhas palavras mas eu tenho dizer que ele morrerá.

Minerva, pasma olha para o doutor e as lágrimas começa a escorre pelo rosto.

Minerva- Quanto tempo ele tem de vida?

Médico- Provavelmente, no máximo um ano de vida.

Minerva, triste não diz mais nada, se vira e entra no quarto. Miguel a olha e pergunta:

Miguel- O que o médico queria falar com você?

Minerva pega em sua mão e o conforta.

Minerva- Nada.

Todas as pessoas batem palmas e cantam a música "Parabéns pra você" e Vilma sorri para os convidados da sua festa de aniversário, Rômulo aparece em meio aos convidados, ajeitando a gravata, seguido pela secretaria que levanta o decote do vestido. Depois de bater parabéns Vilma corta o primeiro pedaço do bolo.

Vilma- Esse pedaço de bolo vai para uma pessoa muito especial, uma pessoa que eu conheci hoje, mas tenho certeza que ela vai ser uma grande amiga da família, ela e a nova acionista da empresa, e você Elena.

Todos aplaude e Vilma vai em direção a ela entrega o bolo, abraçá-la, depois de abraçá-la Elena diz algumas palavras.

Elena- Fico muito feliz em receber eses elogios desa mulher tão elegante!

Todos batem palmas.

Elena e Vens chegam em suas casas e Vens cansado se joga no sofá.

Vens- Que festa cansativa meu Deus!

Elena- Só consigo me lembra de você comendo e dando em cima dos caras na festa.

Vens- E você acha que isso não cansa?

Vens olá para elena e ver que ela esta pensativa.

Vens- Em que você está pensando?

Elena- Lembranças dolorosas que vieram atona quando eu entrei naquela casa.

Vens- Porque você desiste dessa vingança? Isso só vai fazer mal para você.

Elena- Nunca!... Eu irei dormi amanhã a gente se fala.

Elena vai, deixando Vens sozinho.

Vilma está em seu quarto de frente au espelho tirando os brincos e o colar, Rômulo entra  e tirando a gravata olha para ela.

Rômulo- Que noite cansativa!

Vilma- Principalmente para você.

Rômulo- Como assim?

Vilma- Estou falando do fato de você tranzar com a sua secretaria em cima da nossa cama!

Rômulo- Não...

Vilma- Não tente negar! Você e tão óbvio, Rômulo, que nem e preciso investigar.

Rômulo- Me perdoa...

Vilma- Não se homilia Rômulo! Amanhã marque um encontro com aquela ordinária naquele apartamento que você alugou para se encontrar com ela e claro que você não irá a esse encontro eu irei no seu lugar.

Nesse mesmo momento o celular de Vilma toca e ela atende.

Vilma- Alô mãe! Onde você estar? Porque você desapareceu da festa?... Miguel sofreu um acidente?!... Como e onde ele está?..... Já estou indo!

Vilma desliga o celular e olha para Rômulo que está assustado tanto quanto ela.

Vilma- Vamos agora para hospital!

Elena está deitada em sua cama luxuosa, lembrando do enterro de sua mãe.

Ela esta na beira da cova onde esta o caixão da mão, atrás dela esta Vilma, Rômulo, Alberto e Miguel que e uma criança de dez anos, as lágrimas de Elena cai sobre o caixão ela joga as flores brancas da mão em cima do caixão, ela se ajoelha e grita levando as mãos no rosto.

Elena- Mãe!

Vilma vai até ela e pega em seu ombro e faz um sinal com a cabeça para o coveiro termina de enterra Marcela.

Vilma- Isso querida, chore. Coloca essa dor toda pra fora.

As lembranças de Elena e interrompida por umas batidas seguidas pela voz de Vens.

Vens- Elena quero conversa com você.

Elena- Pode entra, Vens.

Vens abre a porta e entra.

Vens- Queria te pedir desculpas por se intrometer na sua vida dessa maneira.

Elena- Não tem do que se desculpar. Só não pode mas para eu parar com minha vingança.

Vens- Eu prometo que não toco mas no assunto. Boa noite!

Vens sai.

O dia amanhece no Rio de Janeiro, dia nublado, frio, o mar agitado com poucos banhistas na praia.

Vilma, Rômulo e Minerva sentados num sofá calados sem nenhuma  expressão de alegria no rosto, de repente Vilma se levanta e olha para os dois.

Vilma- Não vamos contar nada para ele!

Rômulo- Eu concordo. Pra quer contar, para ele? Só vai trazer infelicidade.

Minerva se levanta.

Minerva- Vocês estão doídos?! Viver o resto da vida numa mentira. Mesmo se nos fizemos isso os sintomas irá  aparecer e como iremos sustentar essa mentira. Vocês são acostumados a mentir mas eu não! Se vocês não contarem, eu vou!

Minerva do lado de Miguel, segurando a mão dele e au redor está seus pais em pé.

Minerva- Eu tenho uma coisa para contar para você.

Miguel- Porque vocês estão me olhando desse jeito? O que vocês estão me escondendo?

Minerva- E muito difícil dizer... Você tem que ser forte.

Miguel- Aline morreu? Foi isso que aconteceu?

Minerva- Não, a verdade e que você tá doente... e que provavelmente você... morrerá em breve.

Minerva fala com as lágrimas nos olhos e seus pais não resistem começam chora.

Miguel começa a balançar a cabeça negando a notícia, ruim.

Miguel- Não! Isso não e verdade!

Vilma- Infelismente não e mentira.

Vilma corre até o filho e abraçá-lo compartilhando a dor e as lágrimas de desespero.

Elena dentro do seu carro, quando de repente uma mão bate no vidro e um homem vestido de preto entra no carro. Elena segurando o volante do carro, olha para ele e pergunta.

Elena- Achou ela?

Homem- Sim eu conseguir encontrá-la.

Elena abre um leve sorriso no rosto.

Elena- Finalmente!

A cena congela no sorriso malicioso de Elena...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
@Mathe_oficial
Prata
avatar

Idade : 21
Cidade : Sobradinho

MensagemAssunto: Re: Vidas Vazias || Capítulo 2   18.02.14 20:40

Sua Web-Serie ta demais,muito bem construída!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Eduardo Lobo

avatar

Idade : 19
Cidade : Redenção

MensagemAssunto: Re: Vidas Vazias || Capítulo 2   19.02.14 6:08

Obrigado, Mateus! Espero que continue acompanhando. Reviravoltas nessa web e o que não vai faltar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Vidas Vazias || Capítulo 2   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Vidas Vazias || Capítulo 2
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Webs Encerradas :: Canceladas :: Vidas Vazias-
Ir para: