InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Vidas Vazias || Capítulo 4

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Eduardo Lobo

avatar

Idade : 19
Cidade : Redenção

MensagemAssunto: Vidas Vazias || Capítulo 4   22.02.14 20:22


Vidas Vazias


Aline surpresa não consegue responder nada au pai que espera a resposta da filha. Minerva entra na sala também.

Fernando- O que você faz aqui em Miguel?!

Miguel- Vim conversa com sua filha.

Fernando- Se você pensa que pedindo desculpas você vai conseguir se livra da prisão. Tá muito enganado!

Minerva- Sei que você e pai, entendo sua dor, mas por favor deixa os dois conversa.

Fernando- Minha senhora, eu nunca irei deixa minha filha conversa com este cara!

Minerva- Você não pode colocar a culpa toda no meu neto, já que a culpa também e de sua filha.

Fernando- E ela já não pagou bem caro.

Miguel- Mas pelo menos ela vai viver por bastante tempo. Já eu não irei viver muito.

Fernando- O que você está falando? Você saio em leso do acidente.

Minerva- Ele está falando que graças au acidente acabou descobrindo uma grave doença, que delimita o tempo de vida dele.

Aline- Por favor, deixe-me a sos com meu pai.

Miguel- Só quero dizer mas uma coisa. Pensa um pouco no que lhe falei. Meu tempo está acabando.

Miguel se vira e vai embora com Minerva.

Miguel no seu quarto de hospital com sua avó au lado lhe consolando.

Miguel- Vó por que isso está acontecendo comigo?

Minerva- Deus sabe o que faz.

Nesse momento Vilma entra no quarto.

Vilma- Vamos? Conversei com o médico e Miguel já recebeu alta.

Au sair do hospital Miguel se depara com os pais de Lino, Vitória e Rangel. Au ver Miguel eles logo grita:

Rangel- Você vai me pagar pela morte do meu filho!

Vitória- Assassino!

Miguel- Me desculpa!

Miguel, Minerva e Vilma passa por eles sem olhar para trás e entram no carro no qual Rômulo está esperando.

Chegando em casa Miguel sobe as escadas sem dizer nada, Vilma exclama:

Vilma- Aí meu Deus! Não sei mas o que eu fasso.

Minerva olha para ela e diz:

Minerva- Mas eu sei.

Rômulo- O que você ira fazer?

Minerva- Da um pequeno presente para ele.

E minerva vai em direção a biblioteca.

Miguel deitado na cama sem mostra nenhuma animação, Minerva chega com um livro na mão:

Miguel- Vó não queria parecer mal educado, mas eu quero ficar sozinho.

Minerva- Sabe de uma cousa que faria uma boa companhia para você.

Miguel- O que?

Minerva mostra um livro com o seguinte nome escrito na capa "Vida Vazia":

Minerva- Este livro.

Miguel- Eu tenho pouco tempo de vida e você ainda quer que eu gaste ele lendo um livro.

Minerva- Gaste um pouquinho do seu tempo lendo este livro, que ele vai ajudar você usa o resto do seu tempo.

Minerva deixa o livro em cima da cama e vai em direção a porta, antes que ela saia miguel a chama:

Miguel- Vó.

Minerva o olha e ele pega o livro.

Miguel- Eu vou ler.

E minerva sai.

Dalva a empregada da casa dois  Albuquerque está sentada num bar, parece espera alguém. Elena aparece de óculos escuros, senta na mesma mesa de Dalva, tira os óculos e pergunta:

Elena- Como vai os ânimos naquela casa?

Dalva- Primeiro o combinado.

Elena coloca a mão na sua bolsa e tira uma boa contida de dinheiro e dar para Dalva que logo guarda o dinheiro:

Elena- Agora desembucha!

Dalva- Miguel sofreu um acidente e descobriu que está doente e que qualquer momento pode morre.

Elena- Isso eu já sabia. Tem mais alguma coisa?

Dalva- Só que Alberto chegou de manhã em casa e Lívia ficou furiosa, até quebrou uma xícara.

Elena- Ótimo! Você tem alguma intimidade com ela?

Dalva- Um pouco.

Elena- Então da um jeito de fazer ela ficar mas desconfiada.

Dalva- Então tá, mas vai custar mas uma grana.

Elena tira da bolsa mas dinheiro e dar para ela.

Elena- Isso dá?

Dalva- Por enquanto, sim.

Elena- Tchau!

Dalva- Tchau!

Elena são e vai em direção au seu carro que está estacionado logo ali, au entra dentro do carro ela liga para o cara misterioso.

Elena- Roberto tudo certo para hoje a noite?

Roberto- Não podia está melhor!

Elena- Estão tá até amanhã.

Roberto- Até...

Elena liga o carro e vai embora.

Vilma está tomando um chá perto da piscina de dentro da piscina sai Rômulo, pega uma toalha coloca no ombro e vai em direção a Vilma, senta na sua frente e fica calado, Vilma delicadamente pega a xícara e olha fixamente para rômulo, bebe um gole de chá:

Vilma- Que quer me dizer Rômulo?

Rômulo- Quero perguntar o que você fez com a Mirian?

Vilma- Só fiz com ela o que ela mereceu.

Rômulo- O que ela mereceu?

Vilma- Se você pensa que a matei. Você está redondamente enganado. Somente ameacei, me livrando dela. Agora deixa eu em paz.

A noite vem no Rio de Janeiro as pessoas volta pra casa depois de um longo dia de trabalho...

Elena está no banheiro do seu apartamento, de baixo do chuveiro no qual cai água quente no corpo nú dela, ela passa as mão nos cabelos e começa a ter uma lembrança.

Elena anda pelos corredores da casa com uns lenços na mão, ela vai entra dentro do quarto de Vilma e Rômulo quando ela ouve a conversa deles dois e para na porta.

Rômulo- Você está vendo o que você fez Vilma?!

Vilma- Ela mereceu!

Rômulo- Precisava matar Marcela?

Vilma- Não matei. A gente tava discutindo ela desequilibrou e caio.

Rômulo- Não tente se justificar. Ela morreu por sua culpa.

Elena desesperada sai correndo.

Elena desliga o chuveiro e com olhar furioso, diz:

Elena- Mãe, você já está sendo vingada. Eu vou até o fim!

Elena e Vens chegam são recebidos na casa dos Albuquerque por Vilma depois dos comprimentos eles vão para a mesa, onde toda a família está reunida e Vilma manda servi o jantar.

Na frente da casa dos Albuquerque para um carro perto de dentro dele sai Rebeca ele olha para o Ricardo e diz:

Rebeca- Obrigado Ricardo, por me tira daquele lugar e me dar apoio para enfrentar estes mostro.

Ricardo- Fiz isso pelo meu irmão. Eles tem que pagar pela morte dele.

Rebeca- Pode deixar que eu não deixarei eles ficarem impunes. Tchau!

Ricardo- Tchau! Qualquer coisa você sabe onde me encontrar.

Rebeca se vira e vai até o portão o segurança surpreso olha para ela e pergunta:

Segurança- Rebeca! Você voltou?

Rebeca- Voltei. Abre o portão.

Segurança abre ela entra sem olhar pra trás e Ricardo vai embora.

Todos estão jantando e conversando quando a campainha toca e a empregada, Dalva vai atender, abre a porta e se depara com Rebeca.

Dalva- Rebeca!

Rebeca vai logo entrando e indo em direção a família, chega perto da família na mesa.

Rebeca- Oi mão, pai e meus irmãos! Como vocês estão?

Rômulo- Rebeca que você está fazendo aqui?!

Rebeca- O que isso pai? Parece que nem gostou da surpresa.

Vilma fica totalmente sem reação, Elena guarda todo sua felicidade, dando apenas um leve sorriso de canto de boca, Alberto fica sentado observando a cena junto com sua mulher, Lívia, Vens fica calado observando tudo sem entender nada, Minerva e Miguel se Levantam e vão dar um abraço em Rebeca.

Miguel- Que saudades minha irmã!

Minerva- O minha neta, por que você fugiu?!

Rebeca- Tou morrendo de saudades de vocês.

Miguel- Senta Rebeca e nos conte.

Rebeca vai até uma cadeira e senta e olha para Dalva.

Rebeca- Dalva me serve por favor.

Rebeca olha para todos e fala:

Rebeca- Bem! Agora irei contar tudo.

Vilma de repente se levanta.

Vilma- Não estou passando bem. Vou subir.

E sai as presas. Rebeca também se levanta.

Rebeca- Deve ser a emoção vou falar com ela.

Rebeca vai atrás.

Vilma está no seu quarto chorando, Rebeca chega e olha para ela e Vilma também a olha.

Rebeca- Porque você me internou naquele sanatório em mãe!?

Vilma- Me perdoe por favor!

Vilma com as lágrimas descendo no seu rosto, Rebeca se aproxima e dale um tapa e Vilma cai no chão.

Rebeca- Nunca! Você ira me pagar por todo o mal que você me fez, mãe!

A cena congela no rosto de fúria de Rebeca...

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Vidas Vazias || Capítulo 4
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Webs Encerradas :: Canceladas :: Vidas Vazias-
Ir para: