InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Salamandra/ 7° Capítulo

Ir em baixo 
AutorMensagem
Wilson Bernardo

avatar

Idade : 34
Cidade : Santa Isabel

MensagemAssunto: Salamandra/ 7° Capítulo   08.04.14 22:08




Salamandra


7° Capítulo
1° parte:

Mansão Pellegrini, Interno, Noite, fundo musical de: “Bebel Gilberto/ Tanto Tempo”, Sala de Estar, Annetta serve uma taça de vinho para Cesar que ao lado esta Roberta abraçada com Lucas, sentadas ao sofá Carmela e Emanuelle se divertem aos risos, Gerald se aproxima de Cesar:

Gerald- E então retorna amanhã para CTA?

Cesar- Sim! Sem duvidas, tenho que fechar mais um novo negócio com um grupo internacional é importante que esteja nesta reunião.

Gerald- E se por um momento eu... (Conversa interrompido Lucas derruba refrigerante na calça de Gerald).

Cesar- Filho olha o que você fez? (envergonhado).

Roberta- Ele foi muito rápido não percebi que ele...

Gerald- Claro que você não percebeu “QUERIDINHA”! O mundo inteiro sabe disso, esta calça custou uma nota preta e agora o que vou fazer? (Roberta solidaria para com Gerald).
Roberta- Deixa! Vamos ao banheiro e eu lavo sua calça.

Gerald- Nem pensar! Do jeito como você é, é capaz de manchar minha calça que seu filhinho sujou de refrigerante.
Cesar- Menos Gerald, menos, por favor! (Gerald aperta as bochechas de Lucas).

Gerald- Imagina Cesar que eu ia ser deselegante com Roberta, não é seu... (Fala baixo ao lado de Lucas). ...Peste! Tomara que tenha pesadelos a noite. (Lucas sai correndo com medo da cara assustadora de Gerald que sorri maquiavelicamente).

Roberta- Filho volta aqui! (Annetta se aproxima de Carmela)

Annetta- (Sorriso debochado) Deve estão conversando sobre assuntos muito interessantes, pois da rua se escuta os risos da Carmela.

Carmela- Emanuelle contava do pavor de pegar ônibus e que uma gorda obesa ficou entalada na roleta do cobrador.

Emanuelle- Nunca mais me atrevo a pegar ônibus, táxi é melhor e sai barato. (Risos entre Carmela e Emanuelle exceto Annetta que gira os olhos como desfeita).

Annetta- Pensei que estivessem conversando coisas mais produtivas como bolsas de valores, a crise da moeda nacional sobre a fuga espetacular de PC Farias, que foi preso na Tailândia, estão falando de modernismo e moda, francamente, com licença. Não faço parte deste mundinho incumbido de vocês duas. (Annetta se retira e Emanuelle olha para Carmela sem entender).

Emanuelle- Carmela como você aguenta esses teores da Annetta?

Carmela- Pode considerar uma cruz que me acompanha desde então e não posso fugir desta CRUZ. A vida de uma mulher presa talvez, os anos se passam e nos tornamos prisioneira de pessoas fortes. (sorri). ... Acho que estou sendo uma tola em estar falando de minha irmã.

Emanuelle- Tola?  Você acha que esta sendo tola pelo fato de suportar as frésias de Annetta? Desculpa Carmela mais se minha irmã me falasse coisas horríveis eu não ia ficar calada como você fez, eu ia me defender é um direito de qualquer pessoa.


Carmela- Direito? Quem vai lutar pelos seus direitos quando na realidade não sabemos como começar? (Romano abre a porta da sala e entra Angelina que conduz a cadeira de rodas Zoom In em Angelina, trocando fundo musical para, “Suave/ Slow Down”, Angelina olha para Carmela esta então se intimida).

Angelina- Já esta olhando para outra? Você não perde tempo mesmo não é seu canalha?

Romano- Já vai começar Angelina? Até aqui você fica fazendo suas cerimônias? Respeita esta ocasião é extremamente profissional será que não entende isso?

Angelina- Sei que esta se corroendo por dentro com vontade de beijar na boca da vovó malfada admita? Você esta morrendo de vontade de se atirar nos braços desta vagabunda.

Romano- Se continuar com seus insultos o a deixarei ai sozinha, eu vim por que fui anunciado a este jantar, e não para ficar escutando seu chilique de ciúmes doentio.

Angelina- Então vai atrás da vadia aposto que ela esta torcendo para isso, consigo a ver tentando disfarçar que por culpa dela estou entrevada a esta cadeira de rodas e que só eu tenho que carregar este peso, apenas eu. (Chora desolada)... Satisfeito? Agora estou toda desmaquiada.

Romano- Você torna as coisas ficarem difícil. (Romano retira um lenço e seca as lagrimas de Angelina, Manolo se aproxima de Cesar e fala algo ao seu ouvido)

Cesar- Pessoal o jantar já vai ser servido peço que todos me acompanhem. (Todos acompanham Cesar para sala de jantar, câmera se mexendo de frente para escada, fundo musical de: “Horror/ Alberto Rossemblit”, Zoom In em Lucia que fica parada no alto da escada de uma sala com pouca iluminação, surge um sorriso maquiavélico nos verdes de seus olhos, um mar de raiva rola sobre uma face branca, esta seca as lagrimas com muita raiva como se fosse arranhar sua própria face, câmera se mexendo passa para Plano Close- UP em Lucia).

Lucia- Esta história ainda não acabou seus hipócritas, vou destruí-los ao pó.
  
2° parte:

Mansão Pellegrini, Externo, Noite, corta para Interno sala de estar, Lucia retira o cd que estava tocando e coloca outro, Plano Detalhe na sua mão direita apertando o botão para tocar o cd, fundo musical de: “Instrumental (Madonna) / Spanish Eyes”, câmera caminha em direção à sala de jantar, todos reunidos coversando e de repente o silêncio câmera fica parada de frente para enorme mesa de jantar, câmera olhando de um lado para o outro, todos ficam olhando para a câmera, todos atônitos o silencio é tomado com a presença de Lucia, apreensivos, a olhar para esta que sorri segurando uma taça de vinho, Gerald ajusta a gravata e ergue a sobrancelha, Romano se engasga com a bebida, Angelina vira o rosto para o outro lado, Annetta gira os olhos como deboche, Carmela fica imóvel com a situação Emanuelle encara Lucia, Roberta se levanta e Cesar fica deslumbrado com a beleza de Lucia, numa roupa bem provocante.

Lucia- Desculpem o atraso meus amiguinhos lindos. Um brinde a esta noite linda. Um brinde a vitória. (Lucia ergue a taça ao alto e sorri magnífica).

Roberta- Sente- se aqui Lucia ao meu lado, Lucia.

Lucia- (Sensibilizada) Amiga você esta bem? Soube de fato o que houve desmaiou caindo daquela escada, queria pedir desculpa estava ausente fui ver Leonel passar umas horas com meu filho, foi tão bom ficar essas horas com ele. Sabe amiga estou me sentindo ótima.

Roberta- Imagina! Tive os cuidados de meu amor, Cesar ele foi maravilhoso.

Lucia- Nossa como estou envergonhada queria ter ficado com você ter de dado assistência de uma grande amiga, me perdoa Roberta? (Lucia finge em chorar para o desconforto dos convidados).

Annetta- Falsa!


Gerald- Vagabunda esta jogando.

Romano- Vontade de pular naquele pescoço e acabar de matar essa vadia, falsa dos infernos.


Cesar- Fico feliz Lucia que esta entre nós, até porque você já faz parte desta família tão conceituada.

Angelina- Maldita! Se eu pudesse o a matava e ter o privilégio de com meus olhos ver ela morrendo, para ter a certeza que ela nunca mais vai existir entre nos essa pistoleira.

Cesar- Peço que todos possam se sentar... (Todos se sentam). ...Vinda de um fruto de épocas difíceis a empresa CTA vem conquistando muitos clientes tanto no Brasil como no mundo a fora e em razão de Destaque do ano de 1993, nos e toda a equipe de trabalho da empresa recebemos um convite marítimo de outra grande empresa do país pioneira em viagens tanto marítima quanto aérea estou falando da CVC, que ira nos proporcionar uma viagem inesquecível pelo navio Zenith, vamos embarcar de Santos passando por Ilha Bela, Praia Privativa, Búzios e Vitória e finalmente retornaremos em Santos e para fechar com chave de ouro, uma linda noticia que irão ficarem de queixo caído. (Roberta se aproxima de Cesar que o abraça).

Annetta- Cena patética!

Cesar- Foi um susto para mim e para todos que Roberta minha linda esposa caiu da escada numa queda que poderia ter a matado, mas Deus não quis isso e foi através deste percalço que aconteceu o inevitável em nossas vidas... (Fundo musical de: “Roberta Miranda/ Teu a Deus”). ... Roberta novamente esta grávida. (Annetta se levanta).

Annetta- Grávida? Como assim? (Atônita, fica séria).

Roberta- Isto mesmo! Estou gestante de uma nova criança fruto de amor, não é meu amor? (Cesar e Roberta trocam olhares que brilham diante aquelas pessoas hipócritas surgem um beijo de amor um beijo em Plano Detalhe em Câmera lenta).


Gerald- Boa gente! Vamos aplaudir a ocasião e brindar este momento único. (Todos batem palmas e brindam com suas taças em vinho branco, exceto Annetta, Lucia abraça Roberta).

Lucia- Que felicidade amiga, que lindo Lucas agora vai ganhar um irmãozinho, feliz por você estou amiga linda. (Se abraçam).

Roberta- Obrigada Lucia como sempre você muito gentil e uma amiga a que tantas queriam ter.

Cesar- Bom eu proponho um brinde a esta linda ocasião, então um brinde ao sucesso da CTA e de um novo fruto Pellegrini, um brinde. (Todos brindam a ocasião em câmera lenta).
Mansão Pellegrini, Externo, Noite, fundo musical de: “James Newton Howard/Goodnight”, Roberta entra no carro fecha a porta, carro saindo, Zoom In na janela onde Annetta fica imóvel a olhar o carro de Cesar saindo enquanto todos dormem esta seca sua lágrima que maquia sua face, silenciosa coloca as mãos sobre o pescoço como se estivesse se sufocando a si própria. Corta para: O carro de Cesar.
Roberta- Para onde estamos indo há esta hora meu amor?

Cesar- (Dirigindo). ... Você já vai ver, vai gostar deste lugar. (Carro para num lugar afastado de Gramado com pouca iluminação, vários carros estacionados por ali, uma grande tela de cinema Fundo musical de: “James Newton Howard/Carrying Audrey”).
Roberta- Que lugar é este Cesar? (Cesar sorri pegando no rosto de Roberta esta porem que fica olhando a sua volta).

Cesar- Aqui é um cinema.

Roberta- Cinema? Que cinema é este? (esta sorri).

Cesar- É um cinema, diferente dos que estamos acostumados assistir é um cinema para assistir dentro do carro entende? O nosso país também adotou o modernismo dos países a fora.

Roberta- E como fazemos para escutar o som se esta fechada aqui? (Cesar aperta um botão e abre o teto solar do carro).

Cesar- Ou se preferir pode abrir as janelas do carro, mas eu abri aqui, pois podemos ver a lua antes de começar o filme. (Cesar beija novamente Roberta na boca).


Roberta- E que filme é este que vai marcar nossa noite?

Cesar- (Olhar apaixonado). ... Chama- se “Amor sem Fim” um clássico no cinema de 1981 e que em razão do amor e carinho que sinto por você gostaria sentir esta emoção com a pessoa certa, sempre quis vir aqui, mas só viria com alguém que me completasse que me fizesse feliz, você Roberta me faz feliz eu sou um homem mais feliz da face da terra meu amor por você é eterno nem a morte... (Roberta o silencia com sua mão direita e emocionada o abraça).

Roberta- Porque isso parece uma despedida olha como você esta me deixando emocionada, eu te amo porque você existe e que entre tantos você é apenas um na minha vida, eu te amo Cesar, pois você me faz a mulher mais feliz da vida, eu te amo porque eu sempre serei apenas sua... Amo-te! (Abraçados se beijam banhados pela lua cheia, Zoom Out em Plano Geral, Corta para: Casa de Romano, Externo, Noite, fundo musical de “James Newton Howard/Goodnight”, Interno, Romano levanta-se de sua cama, Angelina continua dormindo, este olha a hora no relógio que esta em sua mão direita, caminha em direção à janela abre a cortina fica olhando para a Mansão dos Pellegrini).


Angelina- O que você faz ai parado olhando para a Mansão Romano? (Romano se assusta fecha os olhos e fecha a cortina).

Romano- Porque sempre me assusta? Estava dormindo e agora está parada ai nesta cadeira de rodas, como conseguiu subir nesta cadeira de rodas, Angelina? (Câmera se mexendo foco no estado Zoom In em três vezes em Câmera Lenta sobre Angelina que fica atônita).

Angelina- Eu? Bem eu apenas puxei a cadeira de rodas e me joguei, porque você seu imprestável só pensa em ficar olhando para a Mansão lembrando-se dos momentos em que ficava se esfregando com aquela vagabunda pelas paredes ocultas daquela maldita família!

Romano- Eu já disse que não estava olhando para lá, será possível que todo dia você tem que ficar falando a mesma historia?

Angelina- Sim sabe por que Romano? Porque a pior coisa e ver seu marido se escapando de suas mãos como a areias do Saara, e olhar para frente e vê que estou assim plantada a uma cadeira de rodas por conta de suas recaídas.

Romano- E você acha que um homem pode ser feliz desta forma? Olha para nos veja, você sempre envenenando nosso casamento.
Angelina- Você não me olha por que sou uma invalida você me odeia desde o dia que aconteceu isso não me tem mais, me despreza, sou sua cruz serei sua cruz ate que a morte nos separe! (Romano balança a cabeça Angelina chora desolada).

Angelina- Você perdeu a coragem de fazer amor comigo desde o dia que aconteceu isso.

Romano- Eu não consigo! Eu não consigo! (Romano sai em disparate atordoado com a pressão de Angelina este vai para o quarto esta o segue)


Angelina- Covarde! Imprestável! Seu parasita você nem parece que é gente! (Romano se tortura com as mãos na cabeça, imagens distorcidas de Romano olhando para Angelina).

3° parte:
Zoom In em Romano, Fundo Musical de: “Alberto Rossemblit/ Revelação do Mal”, este desesperadamente pega Angelina no colo e a Joga na cama com muita raiva.

Angelina- O que você esta fazendo seu monstro? Me solta Romano você vai me machucar assim, esta me machucando!


Romano- Não quer fazer amor sua vadia dos infernos? Solta! Vamos fazer amor sua imprestável. (Romano rasga a roupa de Angelina com as mãos e da uma tapa na cara desta que se defende).

Angelina- Não! Não! Esta me machucando... Romano o que esta acontecendo? Para com isso você esta fora de si.

Romano- Você não quer transar? Eu não sou imprestável? Cala a boca vagabunda! Cala esta boca vaca! (Romano segura às mãos de Angelina que tenta se soltar, este abre o zíper de sua calça o a penetra e violenta Angelina, que chora batendo com as mãos sobre o ombro de Romano).

Angelina- Para você esta me machucando! Para! Por favor, para! Você não era assim para.

Romano- Cala esta boca Angelina! Não era isso que você queria?

Angelina- Eu te odeio seu maldito, maldito! Seu mostro! Monstro!
Externo, Manhã, câmera sobrevoa sobre a cidade de Gramado ao Fundo Musical de: “Marina Lima/ Pierrot”, mostrando a belas imagens da colônia gaucha o sol nascendo clareando a cidade como um tapete que rola numa grande avenida, Corta Para:
Casa de Romano, Externo, manhã, fundo musical de “James Newton Howard/Goodnight”, Interno, Angelina fica deitada na cama chorando, do outro Romano ajusta a gravata Câmera Zoom In em Romano a se olhar para o espelho.

Angelina- Você é a pior espécie que há na face da terra Romano, aposto que com aquela vagabunda vocês fizeram muito amor, não é seu maldito, se aproveita que sou uma invalida e ama aquela imprestável, tudo porque eu sou sozinha, me humilha me maltrata... (Romano senta sobre a cama).

Romano- Eu sou a pior espécie? Então porque não da à separação? Você só esta comigo porque você odeia a Carmela é sempre ela e você acha que pode ser feliz no nosso casamento? Angelina cai na real estamos casados por aparências. (Com muita raiva Angelina seca as lagrimas).

Angelina- Eu odeio vocês dois sabia, separação só por cima do meu cadáver... (sorriso maquiavélico)... Você nunca vai ter este privilégio sabe por que Romano? Porque por amor a você fizemos um pacto e se você romper comigo teremos o mesmo fim no seu momento mais difícil você fez uma jura e se romper tudo estará perdido e você sabe, não sabe?

Acha que me feriu? Engana-se, pois quando me violentava para dizer para o mundo inteiro que estava fazendo o bem social por ser um homem de bem e fragilizado por causa de uma mulher invalida saiba que a única coisa que senti por você naquele momento foi pena e desprezo... (Câmera se mexendo, cores frias pouca iluminação, Foco em Romano que se levanta atônito, Foco em Angelina transtornada, fria)... E não senti nenhuma sensação foi tudo muito frio, para você naquele momento fui uma morta tive que sair de mim e morrer foi a transa mais nojenta e baixa que já tivemos depois daquele acidente eu tenho nojo de você seu imprestável! (Corta para: Externo, casa de Gerald Interno, Quarto, despertador dispara o alarme, Gerald percebe que Emanuelle não mais esta deitada após percorrer sua mão direita sobre a cama imediatamente salta da cama, vai ate sua suíte máster, retira o pijama Fundo Musical de: “Djavan/Triste É O Cara”, pinga um óleo sobre a banheira Câmera Detalhe nos pés de Demetrio que mergulha nas águas da banheira, relaxa acende um cigarrete, traga, logo esfumaça, toma um drink, fica pensativo, aponta o dedo indicador para a câmera representando uma arma).
Gerald- Vadia! Vou acabar com você pistoleira dos infernos! Páaa! (Em seguida dispara o dedo como se estivesse atirando com uma arma sorriso estampa seu rosto pervertido em imagens distorcidas).
Mansão Pellegrini, Externo, Manhã, fundo musical de: “James Newton Howard/Goodnight”, Interno, Annetta levanta se de sua cama abre a porta de seu quarto, todos dormem caminha lentamente até a porta do quarto de Roberta fica parada em frente à porta, Câmera Detalhe nas mãos de Annetta que gira a maçaneta bem devagar, porta abre lentamente, esta entra devagar no quarto, olha para a cama de Cesar, cama arrumada, um silêncio, pouca iluminação do dia reflete sobre o quarto, som de passarinhos que vem de fora.

Annetta- Maldita Roberta! Dormiram fora, foram reatar o casamento como sempre, eu tenho que destruir o amor que Cesar construiu pela jaca podre ela não pode ficar com ele, nem que para isso eu tenha... (Câmera em Zoom In passa para Superclose em Annetta)... Que matar! Matar! (Carmela desce a escada da sala de estar e vai até a cozinha, câmera percorre o sinistro corredor que o a leva até a cozinha, Fundo Musical de: James Newton Howard/ Reflection Of Elijah, Manolo solta o telefone atônito senta sobre o chão e chora).

Carmela- Manolo que houve? Por que estas assim?

Manolo- Ela... Eu tinha esperanças, a vida e a morte é um mistério que a ciência e a humanidade ainda lutam para descobrir este mito, a dor de perder alguém para sempre é igual a um câncer que vai tomando você dia pós dia, mesmo sabendo que seu coração bate, ainda alimenta dentro de si e de pessoas que a ama esperança e fé para continuar, mas a morte vence no final e a dor se faz em mim dona Carmela!

Carmela- Não! Não pode ser... Manolo sua mãe faleceu? (Manolo abraça Carmela e chora a dor da perda). ... Todos nos fomos testemunhas da luta que foi para você e sua mãe enfrentar este momento tão difícil na vida de um ser humano. Não se sinta culpado por achar que fez pouco, nos vimos a sua luta para esta doença em sua mãe.

Manolo- Ela era e foi à mulher a quem mais amei foi meu modelo de vida, mãe e pai mesmo que a morte nos separe são para sempre até a eternidade, é uma dor que não tem remédio Dona Carmela. (Annetta entra na cozinha sua sombra reflete sobre os pisos).

Annetta- O que é isso Carmela? O que estão fazendo na cozinha da Mansão seus ordinários? (Câmera se mexendo Foco em Annetta com cara de má, Foco em Manolo que chora desolado a perda e Carmela que fica atônita).

4° parte:
Externo, Manhã, Carro de Cesar, Fundo Musical de: “Roberta Miranda/ Teu A Deus”, Primeiro Plano em Cesar e Roberta, esta que desperta deitada sobre o peito de Cesar.

Roberta- Cesar! Estamos aqui ainda, não acredito que fiz você perder a hora. (Cesar acorda e se espreguiça).

Cesar- Bom dia amor!

Roberta- Você esta atrasado já era para você esta na CTA.

Cesar- Nossa eu pensei que estivéssemos em casa! (Sorriem).

Roberta- Não amor apenas ficamos aqui assistimos o filme e dormimos só estamos nos aqui estamos parecendo dois adolescentes rebeldes. (Sorrisos).

Cesar- Somos sim dois adolescentes, mas não rebeldes e sim apaixonados... Amo-te Roberta! (Trocam olhares se beijam com os olhos fechados, carro saindo, Mansão Pellegrini, Externo, Manhã, fundo musical de: “James Newton Howard/Goodnight”, Interno).

Annetta- Estou esperando uma explicação Carmela, que cena mais patética é esta sua songa monga. (Carmela levanta se suspira).
Carmela- Manolo acaba de perder sua mãe, Dona Gertrudes acabou de falecer.

Annetta- E você acha que eu vou ficar choramingando a perda da mãe de um funcionário qualquer? Francamente Carmela! Olhe só você, de quatro ajudando um serviçal que baixeza, sabia que você tem uma vida escusa, mas chegar a este ponto não me assustaria se morasse na ponte de uma favela.

Carmela- Annetta! Só estou sendo generosa, Manolo já faz parte da nossa família há muito tempo e...

Annetta- E só se for seu, pois para a família Pellegrini não passa de um serviçal e detesto cena patética.

Manolo- Tudo bem Dona Carmela, vou cuidar dos meus afazeres e ir para São Paulo cuidar do enterro de minha mãe.

Annetta- Se for nem precisa voltar seu imprestável! Berne!

Manolo- Olha aqui Dona Annetta, quem a senhora acha que é para falar assim com este tom, sou um funcionário e não seu escravo, faço parte desta família desde muito tempo, não vou permitir que me insulte, ninguém aqui tem culpa se a senhora é uma mulher amarga ressentida e mal amada. E vai terminar sabe como? Sozinha! Na piores da solidão, pois a morte tem pena de acabar com a sua vida, por que é aqui que você tem que sofrer, na vida, se quiser mandar embora, que seja... Depois mando acertar minhas contas com o Cesar, e sabe Carmela? Eu tenho pena de você, porque sua irmã te critica tanto, mas na realidade ela é que esta acabada por dentro, com licença... 
 
Annetta- Seu animal esta mostrando as garras, pobre seu estafermo, patife! Eu vou te destruir seu merda! O que foi

Carmela porque esta me olhando com esta cara de assustada? Aposto de que esta gostando da peça teatral?

Carmela- Não sei de nada, afinal você sempre esta certa não é? Com licença. (Zoom In em Annetta que espreme a própria mão direita).

Annetta- Maldita! Deveria ter dado naquela noite em que mamãe disse que estava grávida desta imunda, daria um chá para que ela o abortasse e ficaria livre de vez desta vagabunda eu e o Brasil inteiro! (Corta par
CTA, Externo, Manhã, Plano Geral, Interno, Departamento Pessoal.


Porta do elevador abrindo, Gerald saindo rápido vê Mônica comendo um sanduíche este sai balançando a cabeça entra em seu escritório, Romano o aguarda olhando para a janela.

Gerald- O que esta fazendo aqui em minha sala Romano? Assustou-me.

Romano- Estou preocupado Gerald.

Gerald- Refere-se à Lucia? Sua cara não nega, estamos numa encruzilhada ela foi muito esperta agiu cautelosamente, e pouco a pouco ela vai se manifestando como uma praga viral, ela veio em minha sala me por contra a parede e sabe Romano precisamos agir antes que ela ponha tudo a perder.

Romano- Engraçado? Não é estranho que ela tenha aparecido após o marido dela ter morrido e passado toda a herança para a amante?

Gerald- Se for o que esta pensando é possível que seja toda mentira. Ela supostamente deve ter matado o próprio marido e esta historia de amante é uma furada.

Romano- Vê que ela esta passando dos limites, ela esta descontrolada, eu cheguei a tal ponto de descontrole com aquela risada debochada que ela sabe fazer como ninguém, de enforca-la. (Gerald sorri desacreditando).

Gerald- Sério? E porque não terminou de fazer o serviço? Ela precisa desaparecer de nossas vidas, do nosso caminho! (Fundo Musical de: “James Newton Howard/ Blindsided”).

Romano- A única maneira de esta vadia sumir é... (Zoom In em Romano)... Matando ela! (Romano e Gerald se assustam após a impressão de um misterioso fax ambos se olham Gerald toma a iniciativa se aproxima olha para a folha arregala os olhos, expressão de pavor).

Romano- O que foi Gerald? Por que esta com esta cara de terror? (Muito suspense, cores frias, câmera se mexendo Gerald fixa o olhar naquele papel inconformado, paralisado, onde se nota um homem morto com o pescoço cortado e sangue em sua volta, Romano pega o papel fica assustado lê em voz alta, câmera se mexendo clima de tensão).

Romano- Um brinde a vitória seus fracassados...

(Encerramento com a música “Roupa Nova/Na Dor e No Prazer”).



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Salamandra/ 7° Capítulo
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Web Novelas :: Salamandra-
Ir para: