InícioWeb SériesWeb NovelasGruposBuscarMembrosFAQGaleriaRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Salamandra/ 8° Capítulo

Ir em baixo 
AutorMensagem
Wilson Bernardo

avatar

Idade : 34
Cidade : Santa Isabel

MensagemAssunto: Salamandra/ 8° Capítulo   09.04.14 21:50



Salamandra

8° Capítulo
1° parte:

Fundo Musical de: “James Newton Howard/ Hieroglyphics”, Plano Americano, Câmera se mexendo.


Romano- Mas o que significa este fax Gerald quem é este sujeito?

Gerald- Romano para de fazer perguntas, você esta parecendo sua esposa, me deixa digerir esta foto... (Câmera se mexendo, foco em Romano atônito, foco em Gerald que passa mal ao ver a foto se escora sobre sua mesa, passa a mão sobre o cabelo, muito suspense).

Gerald- Este homem Romano ele foi contratado para investigar a vadia da Lucia, ele morreu, ela com certeza deve ter mandado mata-lo, só pode ser ela. Corta Para:

Mansão Pellegrini, Externo, Manhã, fundo musical de: “James Newton Howard/ The Wreck”, carro de Cesar para em frente à Mansão.


Roberta- O que esta havendo? Aquele não é o Manolo Cesar?

Cesar- Sim! Mas vejo que ele esta com umas malas prontas o que será vamos ver?... (Roberta e Cesar saem de dentro do carro)... Manolo o que esta acontecendo? O que são essas malas? (Manolo expressão depressiva, olhos inchados e vermelhos de chorar, suspira).

Manolo- Seu Cesar... Minutos atrás recebi um telefonema do Hospital Santa Marcelina em São Paulo onde me noticiaram a morte de minha mãe... (Este chora, Carmela o abraça se comove também).

Roberta- Ai meu Deus Manolo, como pode? Você foi tão essencial nos momentos decisivos de sua mãe.

Cesar- Confesso que estou chocado Manolo, não como te confortar neste momento. (Cesar abraça Manolo). ... Se precisar de algo pode contar comigo a propósito do que você vai?

Manolo- Bom eu vou de ônibus, vou chegar de madrugada.

Cesar- Não precisa se preocupar Manolo, vou acionar o helicóptero da família para que você chegue o mais rápido possível.

Manolo- Não precisa seu Cesar, seria como se estivesse abusando de sua gentileza.

Cesar- Em momento algum pense desta forma Manolo, pois são vários anos nesta Mansão você ajudou a me criar tenho um grande apreço pela sua pessoa.

Carmela- Aceita Manolo Cesar é tão generoso para pessoas que ele aprendeu a amar, seja uma família, seja um funcionário.

Manolo- (Olha para Roberta aflita com a situação, e olha para Carmela que fica comovida).

Manolo- (sem jeito, tímido) Tudo bem... Vou aceitar. (Roberta pega nas mãos de Manolo se compadece, chora).

Roberta- Sabe Manolo? Sei a dor que sente, a perda de pessoas que amamos é incurável... (Imagens distorcidas voltam ao passado de Roberta surge um grito de horror, uma casa que pega fogo lentamente).

Roberta- Era noite, meus olhos supriram para dentro de minha existência a pior dor da vida, naquele momento estava morrendo junto aos meus pais, perdi tudo, a vida de meus pais, minha vida acabou ali naquela ilha, abandonada sem rumo sem nada, eu era uma indigente que nem documento tinha. E foi quando estava à beira da morte com dois traficantes ao meu lado, via tudo em câmera lenta, entregue sem esperanças, e vi tudo escuro, e vi uma luz forte que me fazia cegar a visão foi quando escutei uma voz masculina em forma de eco me dizia: “Mulher de pouca fé porque temes a morte? Eu sou teu Deus teu salvador, acorde, pois tudo vai ficar bem, acorde... Acorde”! (Imagem se desfigura e volta até Roberta que emocionada abre a mão direita de Manolo e coloca uma medalha sobre sua palma e fecha bem apertado).


Manolo- Esta é a medalha de Nossa Senhora das Graças milagrosas, desculpa dona Roberta não posso aceitar.
Roberta- Aceite, por favor! Ela vai te proteger das ciladas do demônio, você sempre foi generoso comigo Manolo e adora meu filho Lucas, tenho um enorme carinho por você, eu insisto aceite, por favor! (Manolo aceita e fecha suas mãos abraça Roberta, helicóptero sobrevoa no céu prossegue se caminho, câmera se mexendo, Roberta fica abraçada com Cesar e Carmela lamenta emocionada e acena um a deus para Manolo).

2° parte:
Annetta fecha a cortina de seu quarto com raiva vira ficando de frente para a câmera, Zoom In em Annetta que chora friamente.

Annetta- Maldita Jaca podre! Porque ela não morre de vez, essa Mansão era tão feliz quando não tinha essa intrusa em nossas vidas, tudo era um conto de fadas. (Maquiagem borra sua imagem, esta se olha no espelho). ... Porque ele não me olha? Cesar como queria que você me tocasse, me fizesse sua mulher, queria arranhar a pele dele e segurar ele só para mim e de mais nenhuma vagabunda! (Com muita raiva joga o quadro da família sobre o chão, esta deita em sua cama e chora desolada solidão). Corta para:

Externo, Tarde, Trânsito, Emanuelle olha a hora em seu relógio de pulso, insegura, suspira olha no retrovisor percebe um táxi, atrás de seu carro, não se importa olha para frente, Plano Geral, carros então andam em lentidão, Fundo Musical de: “James Newton Howard/ Falling Down”, esta entra na rua sentido à direita, vira à esquerda, sinal vermelho, “ativo”, esta para, lentamente se aproxima um carro de táxi dois carros antes de Emanuelle, com os vidros escuros o sol reflete dando um rápido clarão sobre a câmera, sinal verde esta vira a sua direita e segue uma longa avenida com pinheiros de araucárias e segue.


O sol refletindo em Emanuelle na medida em que a câmera prossegue junto ao carro, esta para seu carro, puxa o freio de mão abre a porta, Plano Detalhe nas pernas de Emanuelle com um sapato de salto alto na cor vermelha que salta para fora de seu carro câmera percorre cada vez que esta anda sentido a uma simples casa, porta abre sozinha Emanuelle entra porta fechando.
Carro de táxi para um pouco distante de Emanuelle ao lado de uma gigantesca árvore, rua pouca movimentada, porta do taxi abre, Câmera Detalhe nas pernas de uma mulher que salta para fora, táxi saindo... Um sapato de salto mais alto que a de Emanuelle câmera percorre esta mulher à medida que ela prossegue, para em frente a uma árvore câmera se mexendo foca Emanuelle entrando na simples casa, câmera se esconde sobre uma árvore, olha lentamente percebe que não há perigo prossegue ao som de seu próprio salto, retira os sapatos, câmera para em frente a simples casa, Câmera Detalhe, nas mãos com luvas negras desta mulher que gira a maçaneta da porta, câmera entrando... Corta rápido para:

Externa, Tarde, Morro próximo à Mansão Pelegrini, Fundo Musical: “Bebel Gilberto/Tanto Tempo”, entra em cena uma simples moça que desce um morro, com vestes simples leva um rádio nas mãos e uma mochila nas costas, cansada do sol resolve entrar em baixo de uma antiga árvore retira sua garrafa de água.

Cidinha- Há não! Minha garrafa esta vazia eu estou morta de sede, minha Nossa Senhora da Aparecida este é o ultimo currículo. (Cidinha beija seu currículo). E agora já andei Gramado inteiro será que vou ate Porto Alegre achar emprego? Cansei! (Esta vê uma senhora lavando a calçada e vê também em Câmera Lenta água caindo e muito brilho imediatamente esta levanta se e no seu desespero sai gritando em direção à senhora que fica sem ação).

Cidinha- Água! (Cidinha pega a mangueira das mãos desta senhora que fica assustada).

Senhora- Solta minha mangueira quanta petulância menina! Atrevida! Me da a minha mangueira!

Cidinha- Senhora! Por favor, estou com sede minha água acabou!

Senhora- Tudo bem beba água vai... (Câmera lenta se mexendo Cidinha se banha com a mangueira como se estivesse numa cachoeira ao Fundo Musical de: “Guilherme Arantes/ Castelo do Reino”, o sol reflete sob as arvores, Corta Para):

Mansão Pellegrini Interna Sala de Estar.


Roberta senta sobre o sofá e ao seu lado Cesar que a beija na boca apaixonados, Carmela interrompe.

Carmela- Bem... E agora que o Manolo vai ficar alguns dias fora para resolver os problemas pessoais, como vai ficar a Mansão Cesar? Manolo trabalha a muitos na antiga Mansão e como bem sabemos ele conhece esta Mansão como a palma da mão conhece histórias antigas da família, sabia que Annetta chegou à expulsa- lo? (Cesar levanta-se caminha em direção ao bar abre um Martini coloca pedras de gelo no copo e bebe).

Cesar- Deve estar enganada tia Carmela... Tia Annetta jamais maltrataria Manolo ele é um dos funcionários dela predileto, Apesar de que vez em quando tia Annetta exagera um pouco, mas tem um bom coração.

Carmela- Será? (Cesar não entende fica surpreso).

Cesar- O que? O que foi que disse tia Carmela?

Carmela- Disse apenas claro que sim... (Câmera se mexendo do alto da escada da sala atrás de Annetta que fica com a mão direita apoiada sobre a cintura à roupa negra retrata ao fundo musical a personalidade da vilã de: James Newton Howard/ Hieroglyphics, esta então os observa de longe, cortando em Plano Geral sobre a sala onde estão Cesar, Roberta e Carmela e passando para Zoom In até a escada onde Annetta desce com um ar de superior).

Annetta- Será o que Carmela? Eu pude ouvir perfeitamente a palavra SERÁ! (Roberta interrompe).

Roberta- Imagina Annetta! Carmela dizia claro que sim... Vamos tomar um chá? Sente se conosco. (Annetta o a olha como se fosse triturá-la).

Annetta- Dispenso já apetecei meu breakfast, obrigada! E você Carmela estava te procurando será que você não faz outra coisa a não ser gastar os cartões da família?

Carmela- Sorella! Apenas comprei umas peças de roupa, queria estar bonita, sabe Cesar estava havendo um evento na Praça Major Nicoletti queria prestigiar o movimento da Cavalaria Rusticana...

Cesar- Sério tia Carmela? Nossa! Gostaria de ter levado Roberta para prestigiar este festival...

Roberta- Nossa fiquei curiosa também...

Annetta- Oras! E porque não pegou as roupas que lhe caem bem?

Carmela- E qual que me cai bem?

Annetta- As de velha... (Ri debochando)... Esqueça querida a velhice lhe apeteci como licor que se aprecia após uma golada fria e calculista.

Cesar- Tia Annetta não seja tão incrédula, tia Carmela ainda é jovem. (Annetta ri debochando).

Annetta- Jovem? Carmela? Francamente Cesar! Não foi essa a educação que lhe privei quando o preparei ainda homem, tinha esperanças, como tinha! (Cesar sorri, Roberta fica sem entender).

Carmela- Acho que esta conversa não vai chegar a lugar algum!

Annetta- Isso esta conversa não nos vai chegar a lugar nenhum, e saiba Carmela que pelo fato do cartão... O que você achou? Achou que eu não ia vincular sua conta? Acha mesmo que vou deixar você torrar o dinheiro assim com suas luxurias?
Francamente Carmela não seja patética sua songa monga e agora que não temos empregado por enquanto trate de lavar as louças não lhe cai bem essas unhas postiças ficam parecendo uma prostituta de cabaré.

Carmela- Você bloqueou meu cartão Annetta?

Annetta- O que acha? Esta vendo este império? Enxerga pelo menos sua velha? A vida inteira trabalhando na CTA para fazer o nome desta família um renome nacional e internacional e graças ao Cesar a empresa se vem crescendo mais e mais, você não sabe afinal, ganhou a vida na Itália, sabemos como, não quer que eu refresque sua memória querida sorella? (Carmela então começa a chorar se puni tapando os ouvidos).

Carmela- Não! Não! Não me torture Annetta eu não quero lembrar-se do, do meu passado, por favor, não me faça ter recordações de uma vida marcada.

Annetta- Quando o a abriguei nesta Mansão que é minha por direito mais do que todos aqui, deixei claro que aqui a história é da minha forma e você se compactuou, não é hora de chorar sua fraca, sempre foi uma fraca e agora uma velha insignificante... Hahahaha! Pobre coitada... (Cozinha obscura câmera se mexendo, Carmela se desliza pela parede até o chão, chora horrorizada, Câmera Detalhe nas pernas de Annetta se retirando da cozinha no silencio se estampa o pisar firme de Annetta nos pisos da sombria Mansão).

3° parte
Externa, Tarde, Morro próximo à Mansão Pelegrini, Cidinha enche sua garrafa a Senhora vê Cidinha com um papel na mão direita fica curiosa:

Senhora- Desculpa ser curiosa esta procurando emprego? (Cidinha suspira, fica a olhar para a Senhora).

Cidinha- Sim estou... E sabe estou exausta sai de São Paulo com o dinheiro que ganhei do meu ultimo emprego e vim para Gramado começar uma nova vida, (Esta sorri) desde então este radio é meu único amigo...


Senhora- Nossa você tem coragem mesmo guria, deixar um passado, uma vida, para traz e começar... Tem que ter muita coragem... (Cidinha vira de costas para a Senhora preocupada, lágrimas nos olhos, câmera se mexendo Fundo Musical de: James Newton Howard/ The Wreck).

Cidinha- Sim tem que ter muita coragem, e eu sou assim sabe sou decidida.

Senhora- Então, mas tem lugar para se hospedar?

Cidinha- Então meu dinheiro esta acabando sabe e eu estou desesperada, eu não tenho lugar mais para ficar e isto me preocupa...

Senhora- Até porque já esta escurecendo... Acho que tenho duas notícias que podem te ajudar.

Cidinha- Mas qual seria? Ajuda como sou grata...
Senhora- Fique hospedada hoje me minha casa e manhã será empregada...

Cidinha- Nossa a senhora fala com tanta convicção que me impressiona, como pode ter tantas certezas? (Senhora pega nas mãos de Cidinha aperta sorri)

Senhora- Nesta vida minha filha a gente não leva nada, temos que ser solidários para com pessoas que realmente precisam e vi em seu olhar esta necessidade de precisar então entre em minha humilde residência seja sempre bem vinda... (A senhora abre a porta e generosa faz um sinal de recepção a Cidinha para que a entre esta então fica reciosa com a recepção dividida esta não hesita e entra, Cidinha fica fascinada com a entrada tudo florido um vasto jardim aos seus olhos, um jardim encantado e entra sendo conduzida pela pobre e velha Senhora, paradas em frente a uma casa velha construída no século XVl).
Mansão Pellegrini Interna Sala de Estar.


Zoom in em Annetta que fica parada olhando Cesar beijar na boca de Roberta e sobe as escadas Cesar fica olhando para Roberta:
Roberta- O que foi esta me olhando?

Cesar- Sim estou te gravando na minha memória, (sorriem se olham, olhares que brilham, se beijam apaixonados) Te amo muito Roberta você é tão pura e inocente que me perco em seus braços e tudo é tão perfeito com você, deitado em seu braços perco tudo o que esta acontecendo amor me perco no seu caminho.

Roberta- Já tive tantas decepções na minha vida, tive uma vida muito simples e marcada, e você apareceu para me fazer feliz novamente, em tempos em que eu achava que não era capaz de amar de saber o que é uma família e tudo agora é tão mágico não quero acordar deste sonho... (Roberta abraça Cesar bem forte troca de olhares se acariciam se envolvem nos olhares se beijam em câmera lenta).

Cesar- Te amo muito, muito... (Mansão Pellegrini Externa Deck Piscina Hall).


Lucas esta brincando com Thor seu cachorro de estimação e sai correndo e Thor o segue...

Lucas- Vem Thor, vem logo amigão, hahaha, seu bobo... (Annetta abre a porta dos fundos chora desolada).

Annetta- Porque que tem que ser assim? Porque fui gostar dele tanto assim? Eu odeio a peste da Jaca Podre eu vou destruir a vida dela vou acabar com tudo que existe que faça lembrar esta maldita dos infernos... Eu a odeio! Odeio! (Câmera se mexendo Zoom In em Annetta, fica impaciente andando de um lado para a outra ansiosa, Fundo Musical de: “Pavor/ Alberto Rosenblit”, imagens distorcidas sobre a antagonista câmera retorna ao normal Annetta vê Lucas brincando com Thor esta se esconde sobre o pilar que ostenta a Mansão).

Annetta- Ele nunca vai ser meu, se ele não pode ser meu de nenhuma mulher será, nem que para isso eu tenha que matar alguém... (Annetta olha para Lucas correndo com Thor em frente à piscina da Mansão, câmera se mexendo, Corta para Externa Sala de Estar da Mansão Pellegrini).

Roberta- Que silêncio não estou escutando Lucas? Não é estranho amor? (Roberta se desprende de Cesar)

Cesar- Esta tudo bem, vai ver deve estar brincando com Thor até porque Manolo vai demorar uns dias em São Paulo para resolver seus problemas, Lucas gosta muito de Manolo. (Roberta sente uma sombria brisa, vozes gregorianas se estampam sobre seu ouvido e sente uma pontada no coração, grito de horror).

Roberta- Não! Não! (Suspiro desesperado falta de ar palpitações, Cesar se assusta, câmera se mexendo).

Cesar- O que houve Roberta? Fala comigo porque você esta assim pálida? (Cesar se levanta imediatamente segura Roberta pelos braços).

Roberta- Eu não sei tive um mau pressentimento, Lucas! É o Lucas Cesar, preciso ver meu filho agora! (Correm em direção a Janela e vê em Lucas correndo com Thor no Jardim da Mansão Roberta abre a gigantesca janela).

Roberta- Lucas! Lucas!... (Annetta se esconde entre os pilares da entrada da Mansão, desconfiada assustada). ...Lucas cuidado filho não fica próximo da piscina!

Lucas- Oi mãe? Eu estou brincando com o Thor... (Cesar abraça Roberta)

Cesar- Viu? Esta tudo bem com nosso filho Thor é um cão amigo e muito fiel...

Roberta- Não sei eu tive um mau pressentimento e me veio meu filho. (Cesar conduz Roberta até ao sofá).

Cesar- Será que não foi por conta do incêndio que você ficou traumatizada amor?

Roberta- Pode ser fico tão nervosa tem horas, tive uma vida tão difícil Cesar não quero que meus filhos tenham o mesmo destino que o meu quero o melhor para eles, porque os amos e agora vamos ter mais um ou com sabe uma herdeira? (Se abraçam, sorriem se beijam Fundo Musical de: Ternura/ Alberto Rosenblit Corta para):

Mansão Pellegrini Externa Deck Piscina Hall Fundo Musical de: Maldição do Mal/ Alberto Rosenblit.
Lucas joga a bola para Thor pegar, mas cai na piscina, câmera foca em Zoom In em Lucas:

Lucas- Ha não! E agora? Eu não posso entrar na piscina eu não sei nadar... (Câmera se mexendo Lucas de costas para a câmera segue de encontro à piscina para na ponta, muito suspense, Câmera Detalhe foca as duas mãos abertas de uma pessoa se aproximando de Lucas que não percebe a tal presença pronta para empurrar).


(Encerramento com a música “Maria Rita/ Minha Alma”).


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Salamandra/ 8° Capítulo
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Séries de Web | Memória :: Web Novelas :: Salamandra-
Ir para: